Instáveis


Existem tempos extremamente difíceis em que não sabemos o que fazer ou em que realmente não há nada mais que possamos fazer, ou ainda em que já tentamos tudo e... nada. Momentos de completa instabilidade, momentos em que parece que a vida leva muito a sério a nossa expressão inocente: "As coisas não podem piorar!". Existem dias de solidão total, não pela ausência de pessoas, mas porque a guerra parece ser unicamente nossa. Estágios em que pouco a pouco tudo desmorona, um abismo chama o outro, as notícias ruins não param de chegar e que quando parece que nossos pés finalmente se equilibram outra vez em um terreno estável, então o chão desliza outra vez sob nossas fragilidades. 

Quando o amor se vai ou quando o amor nunca vem, quando a lágrima rasga o rosto, quando a frieza do túmulo furta o calor do abraço, quando a saudade não tem prazo para acabar, quando a frustração cobre as vitórias, quando o silêncio só escuta soluços amargos e as palavras perdem o valor, quando o abraço amigo disfarça um punhal, quando a oportunidade se fecha deixando entrar as dúvidas, quando as tentativas se multiplicam em estagnações e tudo sai do lugar - menos nós mesmos, quando a dor convida a doença, quando decreta-se o fim, quando o sofrimento machuca quem amamos, quando há só guerra nas fortalezas e se enfraquece a paz, quando se perde o prazer de voltar ou não há mais como voltar, quando não há afagos ou amigos, quando a vergonha afasta, a incapacidade acusa e o prato favorito perde o sabor, quando o dia não traz luz para a noite, quando a tempestade balança o frágil bote, quando terremotos abalam sem estrondo, quando o sorriso parece ter se despedido, quando as leis mais naturais se invertem, quando a ferida vem de onde se esperava cura... 

Tu estabilizas meu coração... 



Ósculos do amor que estabiliza,

Iky Fonseca

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Rabiscos de Sábado: Cheiro de histórias novas

Não sei se é desse jeito contigo, mas acredito que tenho memórias olfativas. Algumas fases da minha vida são marcadas por cheiros característicos e, tais aromas, surgem quando passo de nível ou volto para o lugar de segurança atingido com uma pontuação anterior. Esses aromas de dezembro trazem expectativas por novidades festivas e que, de algum jeito, podem ser percebidas como migalhas que sinalizam o caminho para um tempo melhor.
 Como as canções que só ela sabia; pedaços inteiros e desconexos para uma menina de 7 anos; nomes de peças de carros antigos e palavras como paralelepípedo; guardava alguns cheios específicos na sua memória. Os melhores eram os do mês de Dezembro: férias e aniversário, somados com a chegada do verão sempre a deixavam animada. Era peculiar que o cheiro do asfalto super quente fosse unido com a brisa do final das tardes, em que brincava de boneca no quintal da casa. O som da máquina de costura da sua mãe, abafava os diálogos entre o apaixonado, casal de brinquedos. Quanta criatividade e vida pela frente! Ela sempre quis crescer, só não sabia que a chegada nesse ponto de encontro e despedidas a faria desejar, imensamente, uma fórmula mágica para voltar ao início.

Manter-se equilibrado na “corda bamba de sombrinha” que a vida é, nem sempre flui de um modo seguro e oportuno para nós. Precisamos firmar os pés no chão de cada momento e tentar sorrir, verdadeiramente, por crer que tudo vai passar, afinal aqui e agora somos estrangeiros que peregrinam de volta pra casa. Sabe aquela magoa que ainda tem feito você perder tempo? A frustração da meta que, por um detalhe, não foi cumprida? O bem querer não correspondido? Tropeços em algumas escolhas que te fazem pensar: nunca sairei do lugar? Crises na fé? Medos alimentados pelo passado? Tudo isso vai passar!


Certa vez, ouvi o Provérbio Português que diz: “não há bem que sempre dure e nem mal que nunca se acabe”. Porém, aqueles que creem e prosseguem no conhecer a Palavra sabem que o mal passará e o bem prevalecerá por toda eternidade.
E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. Apocalipse 21: 4-5
Coloquemo-nos, uns nas vidas dos outros, como portadores de boas novas. Sejamos solidários e dedicados ao amar mais e julgar menos. Todos já passamos e /ou passaremos por momentos de crise e dor, onde o primeiro amor parecerá uma simples ilusão alimentada pelos tolos, mas ali... Logo ali... Depois da curva, cada um em sua estrada será surpreendido, por algo que o Pai tem preparado de modo único para cada filho e filha que segue, apesar de tudo, amando-o e buscando sua presença. Se agora, os cheiros e sabores de novidades têm surgido diante dos seus olhos, viva-os da melhor maneira possível, mas se ainda tens passado por dias cinzas, espere contra a desesperança que as boas novas, certamente floresceram em seu jardim trazendo o melhor dos aromas: o de Cristo!


Beijos e Queijos,




Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 21 de abril de 2018

Hoje não teve você


Hoje não teve você para ser a primeira pessoa que vi quando acordei de manhã, sentada, em seu próprio mundo, ainda sonolenta e com pouca disposição receber meus carinhos ou conversar.
Hoje não teve você, para bater na porta no meio do meu xixi e querer que eu abrisse imediatamente, com aquele sorriso lindo do outro lado a esperar.
Hoje não teve você para interromper meu banho, abrir o box e toda a minha privacidade deixar vazar.
Hoje não teve você para me pedir para escovar seus dentes, só porque eu escovava os meus e depois impedir totalmente o feito aos dentinhos travar.
Hoje não teve você para colocar a cadeirinha e tudo mais no meio do meu quarto, pegar meus sapatos e pela casa espalhar.
Hoje não teve você para me contar pela milésima vez a mesma história e requerer toda minha atenção enquanto eu tentava estudar.
Hoje não teve você para pedir meu almoço, mesmo já tendo almoçado, levando embora o último pedaço de carne, fazendo minha comida esfriar.
Hoje não teve você para eu fazer coceguinhas, morder e apertar, e ver seu sorriso mais lindo, e doce, e puro que alguém já pôde encontrar.
Hoje não teve você para interromper tudo que eu estava fazendo só para fazer a retaguarda enquanto você subia a escada para se aventurar.
Hoje não teve você se aplaudindo por seus feitos incríveis, se olhando em meu espelho, brigando para lavar o cabelo, mas se rendendo em troca da simples promessa de batom e perfume passar.
Hoje não teve você para me pedir a benção na cama, depois dos últimos cheirinhos do dia, me expulsando do quarto e "dando ordem" para a luz apagar e a porta fechar.
Hoje não teve você, mas que bom que domingo você vai voltar.

Este textinho fala da saudade que senti de um dos pequenos amores de minha vida quando viajou. Quis compartilhá-lo por um motivo especial: convido você para parar aí onde estiver agora e orar pelos familiares que perderam seus filhos, netos, irmãos, sobrinhos ainda pequeninos. Se minha saudade é tanta, não consigo imaginar a dor deles, mas podemos dividir um pouco orando. Vamos fazer isso agora?

Ósculos de saudoso clamor,
Iky Fonseca
quinta-feira, 12 de abril de 2018

Rabiscos de Sábado: Organiza que dá certo!

Os momentos das nossas vidas têm cores, sons, texturas, tempos e sabores diferentes. Por mais clichê que possa parecer, vamos experimentar na pele determinados comportamentos que compõem tais estações. Os apaixonados que estão vivendo o lado bom do amor, trocam ternurinhas em situações fofas e constroem “memórias base” (Se assistiu Divertidamente, vai lembrar esse conceito =]) para o futuro; os que tiverem expectativas desfeitas reorganizam suas emoções e, talvez, prometam que nunca mais vão se interessar por alguém; os focados em concursos esperam que a véspera da prova seja de neurônios atentos para aprender o necessário pra passar...


Convivi no final de 2016 com um casal que estava à espera do nascimento de suas filhas gêmeas. Certa vez, estávamos em um shopping e o futuro pai disse:

 - Quando as meninas nascerem vou comprar um tipo de coleira dupla... Assim será mais fácil de manter o controle sobre elas.

Não sei se a dita coleira foi comprada, mas posso imaginar que o tempo entre essa frase e o nascimento das meninas deve ter amolecido essa e outras convicções, criado alguns medos e certezas, bem como, feito com que ele visse o surgimento de seu outro "eu".
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; / Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de calar, e tempo de falar; / Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.  Eclesiastes 3: 6-8

Ano passado entre o deserto, medos, lutas, ajudas e luto a palavra que moveu minha história,  foi GRATIDÃO.  Já o ano presente, deve ser regido pelo conceito da necessidade de ORGANIZAÇÃO: prioridades, finanças, estudos, relações, saúde, metas, fé, vocação, trabalho e até mesmo a casa... Tudo tem exigido de mim uma visão estratégica e funcional. Claro que no meio do caminho acontecem algumas situações que nos fazem sair da curva do tempo presente, mas sendo um ditado popular ou uma frase contextualizada com a Bíblia, precisamos agarrar a ideia de que a cada dia basta o seu mal, certo?! E pra você... Qual é o conceito e/ou palavra de 2018?


Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.



sábado, 7 de abril de 2018

Rabiscos de Sábado: Esperando meu AMADO

Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor. Mas entendam isto: se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam. Mateus 24: 42-44

Somos, todos nós, “A Noiva” de Cristo e, preparamo-nos para o reencontro que transformará nosso status para um relacionamento sério e eterno com o único que nos amou, ama e amará de verdade.  A Páscoa nos traz muitas imagens da infância, desejos alimentares e até coloca um feriadão no calendário dos que acreditam ou não.  E você, além das vozes de agora, espera e tem sentindo falta daquele que é o Cordeiro sacrificado pela humanidade?


Eu sinto saudade de coisas que nunca vivi com Ele. Seja na frente do mar, no quintal de casa em noite de apagão ou naqueles dias em que minh’alma clama por sua presença real: olho para o céu e investigo entre nuvens e estrelas, se existe algum sinal novo de que a hora está mais próxima. Não sou aquela que ostenta firmezas de uma fé inabalável. O silêncio me faz “tremer nas bases” e muitas vezes, emudece minha oração, bem como, interrompe o fluxo natural das emoções que buscam sua presença. Mas, mesmo assim, em meio às vozes desse século que colocam a fé em um lugar subjetivo e infantilizado, o meu interior clama pelo dia em que, ao seu lado, direi face a face que antes de sua volta, tudo tinha sabor de saudade!


Talvez seja hoje, amanhã ou em um dia quando não estaremos mais na Terra para contemplar as dúvidas virarem certeza entre um abrir e fechar de olhos, mas precisamos crer um pouco mais a cada dia que o mesmo Cristo, cumpridor de suas promessas até a ressurreição, em breve voltará!

Feliz Páscoa!
Feliz ESPERA!
Beijos e Queijos,




Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.







sábado, 31 de março de 2018

Ainda não me chame de bebê

"Porque era assim que ela me chamava
E um apelido carinhoso é o mais difícil de esquecer..."
(se não entendeu a referência NÃO clique aqui)
Boa noite, varoadores do meu Brasil Guaranil! Infelizmente esta pessoa que vos fala tem um sério problemas com músicas chiclete, principalmente se passo um dia inteiro na piscina ouvindo a mesma várias vezes - involuntariamente, não custa esclarecer). Parece que essa é a sertaneja do momento e eu a convidei para este texto porque esta semana, minha amiga e blogueira deste site, Tai Piantavinha me lembrou da famosa #sqn regra dos seis meses.

Antes que você continue, preciso esclarecer que este assunto não está na Bíblia ou em qualquer outro manual confiável, é apenas resultado de observação e muito aconselhamento. Vamos ao que interessa! Muitas vezes quando terminamos um relacionamento, ficamos carentes ou extremamente "animados", afinal, estamos na pista outra vez. ;) Resultado: começamos, voluntariamente ou não, a buscar outro relacionamento para preencher o espaço daquele ou às vezes simplesmente são eles que nos procuram.

Então o que fazer? Partir pra outra? Afinal dizem que "só um novo amor pra curar o velho". Primeiramente, bom dia! Não concordo com esta frase. Mas se você realmente precisa de um amor pra te curar, bebê, lance-se aos pés da cruz - melhor coisa! Também dizem por aí que "o pior alucinógeno que existe é a carência", e essa frase sim é bem coerente!

Mas talvez você diga: "mas eu terminei diboaz, não tô na bad, o que que tem partir pro abraço?" Afinal "ninguém tem nada a ver com sua vida" (Sério que você ainda acha isso? Lê este texto aqui, pfv) Não vou dizer para você que é pecado, mas realmente há tanta urgência em se envolver novamente? Se você já errou uma vez, não é melhor ter calma da próxima? Ponderar melhor, se conhecer um pouco mais antes de firmar laços?

Por isso inventei a tal regra de seis meses. É um tempo razoável para você se repensar e pesar antes de qualquer decisão. Claro, isso varia de cada caso e embora leve o nome de "regra", não está escrita em lugar nenhum. Tem gente que passa 2, 3 anos sem se recuperar de um relacionamento. Em outros casos, tudo é surpreendentemente rápido! O mais importante é lembrar que o amor é paciente!

Então, por favor, se for para entrar em um relacionamento, que você  já esteja preparad@ para ser chamad@ de "bebê" ou de qualquer coisa. Fazer como o eu-lírico da música e usar uma pessoa de enfermeira das feridas sentimentais causadas por outra vai apenas contagiar seu novo par com suas dores. E se você está do outro lado da equação, não aceite isso.
"Eu sei que você poderia ter escolhido alguém menos complicado
Que não tivesse, no presente, uma pessoa do passado"

E poderia mesmo. Aceitar isso não é prova de amor, é mais fácil ser falta de amor próprio. Dê um tempo pra si e pro outro, se for pra ser, "Não precisa ter pressa quando se mira o infinito." (me)

Kisses on babies,
Iky
quinta-feira, 29 de março de 2018

Ô vontade de JOGAR A TOALHA!

O ministério dos solteiros adverte: este é um texto de auto-motivação com ajuda do Alto.

Você pecou, pecou e pecou. Pecou de novo, de novo, de novo e depois nem notou mais, mas continuou pecando. Mas o Espírito lhe chamou atenção novamente e com amor começou a pegar em "seu pé" por causa daquilo. Novamente você não é mais um ignorante do seu pecado, aleluia! Seria ótimo - se você não estivesse tão acostumado(a) a cometê-lo.

A partir destes dias, seus próximos são de intensa luta. Não num deserto, numa tempestade ou uma prova de fogo, é a pior das batalhas: a da sua carne contra o espírito. E você percebe que está (se) perdendo. Um dia ou outro tem um avanço e no seguinte olha você vivendo (ou morrendo) habitualmente... 

Talvez você esteja exatamente como eu hoje e até tenha proclamado (não que eu tenha dito isso, com certeza eu disse): "a vontade que dá é de desistir", 

J O G A R  A  T O A L H A!

Aí Deus vem e usa o pastor que lê estes "velhos e batidos" (com todo respeito) versículos:

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em SACRIFÍCIO vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E NÃO VOS CONFORMEIS com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12:1,2)

Sem mais, vou ali pegar minha toalha de novo.

Ósculos santos,
Iky Fonseca
quinta-feira, 22 de março de 2018

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

Jesus Cristo te ama e em breve vai voltar!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons