Uma coisa me basta

Só uma coisa me basta. Não é a riqueza. É melhor ser "rica em sonhos e pobre, pobre em ouro". Mas os sonhos também não me bastam, porque eles são fugazes e não são tão felizes se não tenho com quem vivê-los. Mas os amigos também não me bastam, porque quando volto para minha cama, eles não estão comigo. Mas uma companhia para dormir também não me basta, porque eu quero algo que permaneça depois do café da manhã. Mas um casamento também não me basta, porque por mais que dure, não irá além da morte que nos separará. Mas só as lembranças também não me bastam, porque se não aprendo com elas, reincido no mesmo. Mas a sabedoria também não me basta, porque o sábio e o louco igualmente se vão. Mas a loucura também não me basta, porque fazer minha vontade e viver como quero me prendem numa vaga ilusão. Mas a realidade também não me basta,porque ela por vezes é tão cruel que rouba a esperança do mais forte do homens. E se nem a força me basta, que me resta? Só a tua graça me basta, porque o teu poder se aperfeiçoa na minha fraqueza.

Ósculos de graça,
Iky Fonseca
quarta-feira, 19 de junho de 2019

Para que(m) você tem vendido sua primogênitura?

O texto em Gênesis 25: 29-34 têm batido em minha mente constantemente nos últimos meses pois retrata sobre a história de dois irmãos Esaú e Jacó.

Esaú chegou em casa cansado após um dia de trabalho e sentiu o cheirinho do ensopado de lentilhas vermelhas que seu irmão Jacó tinha acabado de preparar. Faminto, Esaú pediu um pouco e Jacó lhe respondeu "vende-me primeiro o teu direito de primogênitura". Esaú estava tão desesperado de fome a ponto de dizer "de que me aproveitará o direito a primogênitura?" E ali mesmo jurou a Jacó e vendeu-lhe o seu direito de filho mais velho. Vocês sabem o que significa a primogênitura? Significa que Esaú tinha primazia sobre seu irmão e também porção dobrada da herança paterna.
Talvez para nosso tempo esse direito não seja algo muito relevante, mas no contexto em que se fala aqui era e o direito poderia ser perdido diante de um pecado grave ou negociado como vemos na história.

No finalzinho do capítulo no versículo 34 vemos uma importante informação "ele comeu e bebeu, levantou-se e saiu. Assim, desprezou Esaú o seu direito de primogênitura".
Após ler esses versículos eu me peguei refletindo em uma série de coisas e me veio o seguinte questionamento: para quem ou o que eu tenho vendido/negociado meu direito de primogênitura?

A primogênitura aqui no contexto de hoje, metaforicamente falando, ou melhor, espiritualmente falando, seria o que temos em Deus. Seria a nossa intimidade com nosso Pai, o nosso relacionamento com Ele.

A quem você tem vendido? Ou para o que?
Para o mundo e os seus prazeres? Para um namoro que tem ocupado o primeiro lugar em sua vida? A faculdade/trabalho dos sonhos que tem tirado seus momentos de intimidade com Deus? Para sua carne? Seus próprios prazeres e vontades? Ou os seus sonhos tão desejados a quem você tem disposto todo seu tempo?
A reflexão que desejo trazer hoje é interna, parte de cada um! Que possamos nos avaliar e ver para o que ou quem temos negociado nossa "primogênitura". E que possamos a partir dessa reflexão ser diferentes de Esaú e jamais negociar o que temos em Cristo em prol de nossa vontade, nossa carne e nossos desejos.
Que não desprezemos o nosso direito a "primogênitura".



Com carinho, Isnaile
segunda-feira, 17 de junho de 2019
Tag :

Menino

Era só um moleque,
talentoso, ganhou destaque,
mal teve tempo de crescer.

Ganhou status,
ganhou reconhecimento,
ganhou dinheiro,
ganhou poder.

Mas sem maturidade,
seguiu seus instintos,
saciou seus desejos,
nem se viu perder.

Uma moça bonita,
seria mais uma Dalila?
Quem sou eu pra dizer?

Só sei que o menino
é como eu e você
e por sua concupiscência
resolveu pagar pra ver.

Só que a conta
quase sempre é mais cara,
e ficamos sem cara
e sem ter o que fazer.

Abre os olhos, menin@,
você tem mais que dinheiro,
tem uma história inteira
que vale mais que o prazer.

Ósculos sem clubismo,
Iky Fonseca

P.S.: Não custa esclarecer que o caso ainda será julgado e não estamos aqui para defender nenhuma das partes, apenas para ilustrar que a vida é mais que prazer carnal. QUe a verdade sempre prevaleça e que a justiça seja feita!
quarta-feira, 12 de junho de 2019

Patinando no gelo

Depois de mais de 10 anos sem andar de patins eu me vi cara a cara com a oportunidade de viver um sonho: uma pista de gelo no meio do shopping. Eu tinha tempo e ainda estava em promoção! Não pensei duas vezes! Coloquei os patins, toda a proteção e parti! Sim, com muitas exclamações e entusiasmo! Primeiro passo na pista de gelo, pfv, segura em minha mão pra eu começar, primeiros passos duros como se eu estivesse marchando na neve. Com o tempo fui me soltando, pezinhos deslizando e  até uns giros. Wow! 

Recomeçar é assim. Dá muita insegurança. A gente precisa da mão de alguém nos primeiros passos que são vacilantes, inseguros, mas lá dentro de nós, de alguma forma a gente ainda guarda como se faz. 

Tinha algumas crianças na pista. Algumas caíram e... Saíram chorando sem nunca mais querer voltar. Claro que não! Choraram, pediram ajuda, levantaram e recomeçaram! Que aprendamos com elas a graça de tentar outra vez!

E eu, se eu caí? Fiquem sabendo meus amigos resenhistas que não... Mas isso aí já é assunto pra outro texto, tema: milagre kkkkkk

"Por isso, levantem as mãos cansadas e fortaleçam os joelhos vacilantes. Façam caminhos retos para os seus pés, para que o manco não se desvie, mas seja curado." Hebreus 12: 12, 13

Ósculos para recomeçar,

P.S.: Aproveito para agradecer publicamente a Deus por isso. Ele me proporcionou essa alegria em meio a tamanha dor, foi parte do pacote de cuidado e amor perfeito dEle. ♥
quarta-feira, 22 de maio de 2019

Enfraquecido

Está tudo escuro. Como eu não me dei conta? Eu sou um guerreiro experiente. Muitos se surpreenderiam se eu lhes contasse as proezas que já vivi, quão poderosos enfrentamentos já venci com facilidade. Forte! Todos me conhecem assim. Eu acreditei tanto nisso, eu me apoiei tanto em minhas experiências e achei que nada mais me derrubaria. Depois de tudo que já venci, eu posso vencer qualquer coisa! E nessa convicção, me acostumei tanto que esqueci: a força em mim não me pertencia, a força não era minha, a força que me fez sempre triunfante e indestrutível, eu não a dominava, eu a pertencia. Confiei tanto em mim que, "independente" não percebi, e nesta falsa segurança na força aparente do eu, me entreguei cegamente aos meus sutis adversários. Tão sorrateiros, tão sedutores, tão convincentes! Distanciando-me de Ti, pouco a pouco caí em suas mãos e eles escureceram minhas vistas. Já não consigo enxergar a luz, ainda que ela esteja lá. Não distinguo os meus caminhos, tudo ao meu redor é confusão. As vozes que escuto aumentam minha vergonha, o forte tornou-se fraco. Mas, oh, que maravilha, nessa fraqueza, lenta e processualmente cresce  e se aperfeiçoa em mim, a tua força outra vez! Destituído de minha independência, clamo à Força e o verdadeiro Todo-Poderoso misericordiosamente me dá vitória sobre meus adversários. 
"O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio." (Sl 18.2)

Ósculos da fraca fortalecida,
Iky Fonseca

Inspirado em Juízes 13 ao 16.
quarta-feira, 15 de maio de 2019

Maquiagem

Muitas vezes nós usamos coisas para mascarar a nossa fraqueza espiritual e o desespero da nossa alma. Quanta base já foi usada no rosto com a intenção de esconder marcas colecionadas de decisões que estavam claramente fora da vontade de Deus? Que acumulamos por não compreender vontade do Senhor. Rm 12:2 vai nos dizer: e não sedes conformados com esse mundo mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento para que experimentais qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Quanto produto já usamos para anular olheiras cultivadas durante noites em que nos tornamos ansiosas, medrosas e chorosas por não reconhecer o valor inestimável que nos foi atribuído pelo sacrifício de Jesus? Ficamos  mendigando valor de homens que não podem nos dar aquilo que nós mesmas não sabemos quanto vale.

Porque, nós escolhemos acumular  marcas e escondê-las, ao invés de prostrarmo-nos em terra e clamarmos pela purificação que só o perdão Divino traz a nós?
O que nos falta? Por que o amor, a bondade e presença de Jesus não conseguem nos preencher?
Provérbios 3:15 nos diz: mais preciosa é do que os rubis mais puros, e tudo o que podes ambicionar.
Onde estamos procurando o nosso valor? Os dias passam, vemos mulheres cristãs que Deus quer usar para transformar nações e abençoar gerações, cobrindo o rosto com a base das aparências, passando nos olhos o rímel da cegueira, seus lábios são coloridos com o batom da omissão e o único corretivo que passam em suas vidas são aqueles para esconder marcas que não precisavam ter acumulado, mas que hoje precisam esconder porque não se sentiram valorizadas. Só Jesus pode dar a nós valor. Não dê pérolas aos porcos, suas noites devem ser bem dormidas e não em claro chorando por pessoas que não valorizaram seu coração.

Você tem valor! Só teremos coragem de nos desfazer da nossa maquiagem espiritual quando estivermos prontas para nos lavar nos pés do Senhor, Ele é o melhor demaquilante nesses casos. E se a sua angústia é casar-se, você precisa encontrar o valor em Deus. Uma mulher pronta para casar é aquela que cultiva a sabedoria. A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme o Senhor será elogiada. Pv 31:30.



Com carinho: J. M
sábado, 11 de maio de 2019
Tag :

Joãozinho Perdido na Multidão


João, apelidado de “Joãozinho” pelos familiares, esteve atento aos anúncios de um novo supermercado na cidade. No dia da inauguração após o CEO do supermercado cortar a fita e declarar "aberto o mais novo e moderno mercado da região", uma enorme multidão tomou conta do interior do estabelecimento e o pequeno João lá estava com seus pais, entrando quase que espremidos pelas grandes portas.

Joãozinho, moleque travesso, corria de um lado para outro enquanto seus pais faziam as compras ao mesmo tempo em que gritavam “JOÃO, PELAMOR DE DEUS MEU FILHO, OBEDEÇA A SEU PAI!”. Em um momento de gaiato, Joãozinho se perde dos pais e um leve pânico assola sua mente em meio a multidão, mas se manteve forte e saiu em busca dos seus pais. A priori, no auge dos seus 1,20m de altura, ele não conseguia achar seus pais por conta da quantidade de pessoas ao seu redor dificultando a visão e tampouco conseguia ouvir a voz deles, pois a multidão dentro do mercado falava quase que ao mesmo tempo, todavia, de forma inteligente, Joãozinho procurou sair da multidão para ter uma visão clara e pouco barulho para ver e ouvir seus pais e foi assim que Joãozinho os achou. Seus pais, na porta do supermercado já com a feira em mãos, não tinham perdido seu filho de vista e ainda avisaram “Joãozinho, estávamos o tempo todo te observando e te chamando, ainda bem que você saiu da multidão para nos escutar e nos enxergar!”.

Não faça como nosso Little John! Não saia de perto do PAI e caso isso aconteça, se examine e identifique essa multidão, procure de desvencilhar dela, ainda que seja subindo em cima de uma casa e arrancando os telhados para que possa ouvir com clareza a voz do Pai te chamando, te curando e te instruindo. Ele nunca nos perde de vista!






segunda-feira, 6 de maio de 2019

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

Jesus Cristo te ama e em breve vai voltar!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons