Archive for Fevereiro 2014

“Bixo”

Para quem não sabe, calouros ou bixos são as pessoas iniciantes na vida acadêmica. Cadê os meus bixos no
namoro, espero que ainda existam ok? Rs
Hoje, eu vivo um momento muito bom que o de ser calouro, gente ser calouro é demais! A galera, a emoção tudo acaba sendo novo e muito gracioso, nós queremos explorar esse momento ao máximo.
Há quase um ano atrás eu também era iniciante na arte de amar, e hoje posso dizer, que tempo bom! Aproveite! Ser veterano na arte de amar não é bom, há marcas, existem coisas que não são apagadas, nem o tempo apaga os momentos bons, e se não deixar a cura entrar, é bem capaz que os dias maus ecoem na cabeça e no coração.
Quem ver a calouros na universidade reconhece de longe! É tudo novo para gente, mas não é só isso! Agimos com cautela, que sejamos assim em relacionamentos também! Quando estamos condicionados há algo novo cumprimos as regras, vamos a fundo, mas com cuidado respeitando os limites pré-determinados. Se soubéssemos o futuro entenderíamos a importância de levar isso a serio. Em toda relação, mas principalmente em namoro, há uma relação muito forte de troca, e porque não dizer de desgaste? O renovo da relação acontece dia após dia, aos poucos sem pressa e com cautela. Não deixe as situações ofuscarem tudo aquilo que construíram juntos.
E vocês que namoram, lembram-se das declarações feitos um para o outro? Cuidado! O sentimento pode até ser mudado, a chama pode até se esfriar, mas as palavras, principalmente quando escritas, permanecem para sempre. Cuidado com o começo de namoro, aquela fase do “Eu não existo longe de você” quem ouve acha que foi real, mas infelizmente na maioria das vezes é uma dupla ilusão. Quando digo dupla é o que emissor da declaração nem sempre sabe que o sentimento não é sólido.

Então galera, cuidado com o que vocês dizem, cuidado para não mutilar dois corações com uma carta só, vai com calma, relaxe, inicie seu namoro como começou sua graduação, obedecendo aos veteranos!
Por Isabelly Santos
domingo, 23 de fevereiro de 2014

Estou na carne...


Muitas pessoas acreditam que “estar na carne” é uma expressão exclusivamente ligada a questões de ordem sentimental e sexual. Curiosidade, borboletas no estomago quando um (a) novato (a) chega à comunidade e até uns devaneios sem muita lógica, em minha humilde opinião são normais quando mantemos a razão e não condicionamos nossa fé a uma possibilidade que talvez não saia nunca do campo das ideias.  Cair na carne  (#Gl 5:19) está além de questões sentimentais, alimentamos essa parte de nosso ser todas as vezes que escolhemos lançar nosso olhar de julgamento para o outro no lugar de valorizar as obras que Deus tem feito em sua vida, em cada momento que colocamos nosso foco nos defeitos e não nas qualidades do irmão e sem querer querendo vamos semeando a discórdia no lugar do amor, paciência, perdão e fé no poder do Senhor para operar milagres em qualquer ser humano.
Desde que me converti estou sem beijos na boca e juras de amor eterno (certo, mesmo antes de minha conversão a parte das “juras” nunca representou algo muito recorrente mesmo rs) e nos momentos de intensa carência agradeço a Deus pelo discernimento de manter minha fé como prioridade apesar dos pesares cotidianos. Talvez seja o momento de transformar os muros de proteção em pontes de acesso, mesmo compreendendo que a carne vai tentar assumir o controle dessa obra interior. A ela, que é tão esperta e fraca na maioria das circunstâncias digo sem medo: sai daqui cretina, pois não é o lugar e a hora de você ser alimentada; não pretendo me gastar “desperdiçando meu mel, devagarzinho flor em flor”, pois acredito que em algum lugar do mundo existe um homem escolhido por Deus para beber cada gota do meu ser com tudo o que tenho e sou desde as melhores bênçãos até as miudezas mais esquisitas.
 Enquanto esse momento não chega vou seguindo como sou e sendo como posso, escolhendo dia sim e dia também os caminhos do Senhor e habilitando meu espirito para ser cada vez mais forte e radiante em toda e qualquer circunstância.  E se o varão, valoroso, virtuoso e valente simplesmente não chegar?! Paciência produção... Existem outras formas de amar, mas o que realmente não vale a pena é entregar-se para alguém que não saberá como colher o melhor de tudo o que Deus plantou em nossas vidas! Só acho...rs


                                                          Por Tacila Sousa
segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Mais do que "borogodó"

Provavelmente você já ouviu alguém dizer: "Aquele cara tem borogodó!" Pode ser usado para mulheres também: "Essa mulher tem um borogodó..." Ainda que ninguém consiga definir bem o que é o "borogodó" sabe-se que é um poderoso e desejado atrativo. (Quase) todo mundo quer ter ou sente-se atraído por quem tem "borogodó". Talvez por isso o Dicionário Houaiss defina-o como "atrativo pessoal irresistível".


Cá entre nós, o "borogodó" pode até ser bom, mas há algo melhor que isso. Uma coisa diferente, uma atração muito mais irresitível, porém não pessoal, é espiritual. Eu estou falando daquelas pessoas que se parecem mesmo com Jesus (talvez até em sua aparência humana, rs #Is53.2). Elas tem um brilho diferente no olhar e falam de uma forma doce, firme, sincera, pura e com palavras temperadas que nos atraem a ouvi-las #Cl4.6 e a querer ter por perto. 

São pessoas que não precisam se esforçar para fazer diferença onde passam e alcançam graça aos olhos dos outros #Et2.15b. Suas ações são como fontes de águas vivas aliviando, saciando, limpando, fluindo. É bem evidente que só há uma forma dessas pessoas terem esse "algo": aceitando a Graça de Cristo e retendo-a #Hb12.28 numa relação de intimidade com Ele, num contínuo caminhar #Os6.3a e carregar a cruz #Mc8.34

O diferencial do verdadeiro cristão está muito mais próximo de "frutos dos lábios que confessam seu nome" que do "ser usado" ou possuir muitos dons. Por isso há muitas vantagens em escolher alguém que tem esse atrativo, as quais podemos resumir na convicção de que terá do seu lado alguém que escolheu amar a Deus e por isso irá amá-l@ como Ele ensina. O "borogodó" um dia passa e mesmo enquanto dura é insuficiente para as necessidades do coração. 

Se você busca ter ou ser alguém que tenha "borogodó", mude de foco. Há algo que sobrepuja a isso, é o que de mais atrativo e irresistível alguém pode "ter", o melhor, o eterno e imutável, o nosso diferencial - o precioso tesouro em vasos de barro #2Co4.7, o Espírito Santo. E não se entristeça se alguém disse que você não tem "borogodó", antes esteja cert@ de que aquilo que você tem e que te tem é muito, muito mais do que isso #1Co6.19.

Ósculos de santa admiração,

Iky Fonseca
quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Conheceu alguém interessante?


O que é particularmente interessante à você não sei. Mas há um ponto que precisa ser interessante à todos os jovens cristãos que procuram um relacionamento sério, com Deus no centro da sua vida: a pessoa tem que amar a Deus, ama- Lo acima de todas as coisas. (#Mt 22:37). Se você verdadeiramente ama ao Pai irá amar as pessoas que estão próximas a você (#Mt 22:39). Ou seja, escolher uma pessoa que ama a Ele, é escolher também alguém que tem como centro de sua vida a ação de amar como chamado. Por isso não negocie essa condição, a menos que você queira ter uma vida em desarmonia familiar; não acredito que esse seja o seu desejo. #2 Co 6:14 

Então, vamos lá!!
Para saber se a pessoa ama mesmo a Deus você terá que conhece- la melhor, e por que não construir uma amizade?! Amigos são sempre bem- vindos e se a pessoa não for uma boa amiga, valerá a pena dividir sua vida com ela? Afinal, se você busca viver uma vida de santidade, não está procurando alguém só para “dar uns beijos”, embora muitas vezes essa seja a vontade de seu coração (humanamente enganoso! #Jr 17:9) viva no Espírito homem de Deus, mulher de Deus! Encare a luta contra a carne sem desgrudar do Pai, #acarneéfraca #Mt 26:41. Tudo tem a hora certa. #Ec 3:1
Então se a pessoa possivelmente pode ser um (a) grande amigo (a) conheça- a como quem investe em uma nova amizade (sem fingimento/com prudência/em oração-oração nunca é demais).

Primeiro, você evita alimentar muitas expectativas, tipo: olha para a pessoa e já vê até como vai ser o casamento, ou como diria uma amiga minha, já pensa até na feira da casa! Não há problemas em ter expectativas a respeito da pessoa, as expectativas nos impulsionam a buscar conhecer mais, mas viver esse momento em função dessas expectativas, em alguns casos até já tentando se moldar à pessoa, pode trazer frustrações desnecessárias. O seu oleiro é o Senhor, Ele pode te moldar. É verdade que ao longo do relacionamento fazemos renúncias, faz parte, mas tudo com diálogo e sabedoria, a favor do relacionamento tendo Deus como base, certo?!

Segundo, você estará mais a vontade para ser quem é e permitir- se conhecer a outra pessoa como ela se mostra. Você ficará menos tentado (a) a fazer “tipo”, mostrar uma personalidade aparentemente mais agradável ao outro. Vai viver cada etapa sem tanta ansiedade, curtindo os momentos de longas conversas, de silêncios, encontros e desencontros, saboreando melhor cada um deles. 

“Ah, mas eu sou desajeitado (a), tímido (a)!” O outro também tem as dificuldades dele, e vocês precisam se entender em meio a elas. Somos humanos. Não camufle os seus defeitos (também não precisa jogar todos no ventilador de uma só vez!), mas valorize o que você tem de melhor.  #Sl 15:2/ #Sl 24:4

Terceiro, se no final das contas, noves fora for igual à zero, você terá mais um (a) amigo (a). Não vale a pena depois de um período de “flerte”, ou fazendo a corte, “mal-sucedido”, se afastar da pessoa definitivamente (algumas de fato, precisamos nos afastar!), mas é bom que estejamos em paz com todos. #Rm 12:18
Querendo ou não, no reino de Deus, somos todos irmãos.

 “Ah, Bárbara, mas se você ficar amigo (a) demais estraga o clima! Tem que ter um climinha de romance no ar!”. O “climinha” acontece naturalmente, você também não precisa colocar muros, cortar o clima, se tudo estiver caminhando na paz do Senhor. Mas prefiro olhar para pessoa inicialmente com olhar de amizade do que de futura esposa, ainda que eu esteja disposta a formar uma família, e não apenas a ter um namorico. O nosso olhar frente ao outro muda de acordo com o grau de intimidade e do papel que aquela pessoa assume na nossa vida. Se o relacionamento for prosperando haverá o momento de olhar como quem olha para um namorado (a), depois noivo (a), e enfim esposo (a), parceiro (a) no evangelho para todo o sempre.

Que o Senhor nos guie nos nossos relacionamentos, nos encha com Seu amor e paz e incomode quando algo não for do Seu agrado.

“Amai afetuosamente uns aos outros.” #1 Pe 1:22

Abraços !!!

Por Bárbara Uinan
quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A recriação do homem


“E viu Deus que tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.”
O sexto dia foi o dia da criação dos seres viventes, até mesmo do próprio homem e da mulher. Eu acho fantástica essa história porque Deus contempla a criação feita por Eles (O pai, o filho e o espírito) e acha que tudo aquilo era muito bom.
Enquanto eu relia essa história, tão importante, eu imaginava aquele que talvez fosse o momento mais importante para toda humanidade. O momento que até hoje em pleno século XXI os cientistas imaginavam saber. Passava um filme em minha cabeça, o Dono do mundo “brincando” de criar. Imaginei-o sentado, pegando no barro e dando forma a tudo aquilo tinha sido vazio.
Essa atitude dEle não foi diferente na minha vida, moldou como barro e criou vida no vazio da minha alma. E quando não havia mais esperanças Ele trouxe! Ele recriou, Ele transformou o meu ser. 
A história não importa, porque ela se repete todos os dias. Deus perdoou os nossos pecados até mesmo antes de cometê-los, mas há uma culpa, há uma acusação. E aí que entra o poder de Deus, existe uma reconstrução, existe uma recriação para a alma ferida. Deus reconstrói, Ele ergueu os muros na antiguidade, Ele é o mesmo de ontem e será eternamente. Mas com o homem é diferente, a reconstrução de um coração dilacerado é algo muito mais complexo. Porque:
  •          Existe uma vontade da própria pessoa, há o livre arbítrio. Nosso Deus não invade!
  •          Nós temos uma inclinação carnal que tende a culpa.
  •           Mesmo depois de curados as lembranças podem tentar nos aprisionar novamente.
Talvez você esteja pensando:
Mas Isabelly, então é impossível!
E eu te digo, para Deus não há impossíveis! Ele é o Deus que restaura e digo novamente Ele creia o homem. Ele recria o nosso modo de viver, as nossas condutas, a nossa mente. Precisamos ter a mente de Cristo, pois essa é sarada, a culpa é removida e as feridas saradas.
Ore, confesse seus pecados. Tá fraco? Segura na mão de Deus e vai! Você é guerreiro, quando você tá fraco Deus te fortalece e faz vencer. Sim, guerrear sobre sua própria carne, uma batalha entre alma e espírito e você que decide quem sai vitorioso nessa batalha.

Deus vai curar todas as suas feridas, permita a entrada dEle, permita que a cura adentre sobre o seu coração, permita a sua recriação espiritual.  

Por Isabelly Santos
domingo, 2 de fevereiro de 2014

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons