quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Se existe algo que realmente mexe com a nossa vida é um relacionamento. Seja o início ou o término dele, provoca um avalanche de experiências, pensamentos, ideias,  sensações, sentimentos e mudanças. Hoje eu quero conversar especialmente com as pessoas que viveram ou estão vivendo o término de um relacionamento, seja qual for o  motivo (ou outra grande perda).


Peço licença aos profissionais da psique para tomar emprestado deles o "Modelo de Kübler-Ross", uma psiquiatra que estudou casos de pacientes com doenças terminais, descrevendo os "Cinco estágios do luto/perspectiva de morte" que se aplicam às perdas da vida e aqui vamos direcionar ao fim de um relacionamento:

1 - Negação e isolamento: esta é aquela fase em que a pessoa não quer sair de casa, conversar, não tem ânimo para nada e não aceita aquela condição. Neste estágio, não aceitamos o término, a forma como aconteceu, nos iludimos achando que é algo passageiro, corremos atrás, alimentamos todas as esperanças, pensamos que talvez não tenha sido bem assim e "ele(a) ainda gosta de mim". Geralmente nesta fase, não queremos nos desprender de tudo aquilo que nos liga à pessoa amada com inúmeras justificativas para enganar a nós mesmos: respeito, carinho, "não faz mal". Recorremos o tempo todo às lembranças física ou mentalmente. Outra faceta é a cantada em tantas músicas "a le Wesley Safadón", que são as fugas para fingir que não se importa: curtir, beber, ou para os cristãos, mergulhar numa intensidade de práticas religiosas fora do comum etc. etc..

2 - Raiva: neste estágio vem aquela raiva enorme: "Mas por que ele terminou comigo?" "Eu não merecia isso!" "Eu fui tão bom namorado" "Que vida injusta" "Ah, Deus, mas eu fiz tudo tão certinho" "Ele não presta!" "Do que adiantou escolher esperar, hã?" e seguimos esbravejando mundo a fora, totalmente revoltado(a). É a fase do "vou sair pegando geral!"

3 - Barganha: o mais "evangélico" de todos os estágios. Nele ficamos bem certinhos ou "bonzinhos" de novo para barganharmos conosco mesmo, com o ex e com Deus. É a etapa do "vou só olhar o perfil dela". Com Deus dizemos: "Pai, se der certo a gente voltar, não vamos mais fazer isso e aquilo", "vamos trabalhar juntos na obra" ou em outros casos: "se você me der outra chance, agora a gente casa" "a gente visita mais seus pais", "vou te elogiar mais", "vou ceder aos seus desejos".

4 - Depressão: ao se dar conta de que nem barganha, nem negação, nem raiva trouxe o relacionamento de volta, a pessoa evolui para um estágio de dor e tristeza mais profundo. É quando de fato começa a "cair a ficha". Vem o desânimo, apatia, choro, desesperança. "Nunca mais vou ser feliz de novo" "não vou amar outra pessoa assim" "ninguém é como ele(a)" (às vezes, não ter alguém como a pessoa perdida é a melhor notícia de todas, mas só lá na frente você se dará conta)

5 - Aceitação: já sem desespero e sem negar sua realidade, começamos a aceitar o fim daquele ciclo/relacionamento. É uma fase de paz e de recomeçar a caminhada, reaprendendo a viver, reconstruindo e recriando hábitos. Esta fase é real e eu creio que ela chegará em sua vida por mais que esteja parecendo impossível agora!

Os estágios do luto não são necessariamente todos (alguns passam por 2 deles, por exemplo) para todas as pessoas e quanto tempo cada um demora é relativo. Ao longo dos anos trabalhando no @worksolteiros, acompanhei histórias, além de minha própria experiência. Vi pessoas superarem seus "lutos relacionais" e serem felizes. Deus é restaurador de corações e o Espírito Santo, nosso Consolador. Se você está sofrendo, procure ajuda de pessoas sábias, tementes a Deus, assim como de profissionais que poderão te ajudar a conscientizar-se do estágio em que está e ajudá-lo a não ficar estagnado(a) nele, avançando para a aceitação. Deus é especialista em novos começos (que nem sempre é o que esperamos, mas é sempre muito mais excelente!)

Se você está vivendo esta grande dor, recomendo muito a leitura deste texto: Restaurador de S2

Ósculos de esperança,

Iky Fonseca

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons