domingo, 4 de dezembro de 2016

Entre beijos e delírios estávamos nós, o nosso corpo ardia em agonia, queríamos muito um ao outro, mas sabíamos que sempre depois de momentos calientes, tínhamos horas ou até mesmo, semanas de arrependimento profundo. A ânsia por ter um ao outro sempre foi muito marcante em nosso namoro, mas o desejo por viver a vontade de Deus sempre foi maior. 

A pergunta que inquieta o coração muitas vezes é, “mas será mesmo que Deus tem se importado com as nossas vidas sexuais? Ou então, qual a vontade de Deus para nossas vidas?”

Momentos de ardente desejo são constantes entre casais de namorados, por que somos seres dotados de hormônios e isso merece atenção, mas o que em nós não é cheio de desejo? Na vida cristã precisamos aprender a conviver com tantas coisas "incontroláveis" por que não o desejo sexual?

E se nosso corpo é tempo do Espírito Santo porque temos apetite sexual? Afinal, sexo é pecado?
Sobre os hormônios (por que sempre culpamos a eles por nossos desejos desenfreados?), precisamos entender a grande verdade da vida, sobre o que Deus pensou quando criou o sexo. Assim que Ele criou a Eva o desejo do Criador foi expresso na consumação do ato sexual na vida do homem e da mulher (Gn 2:24), mas isso é desde que seja em um âmbito matrimonial (Nem me fale que Adão e Eva não casaram esse é um assunto para outro dia).

 Se os vilões não são os hormônios, quem são os vilões? 

Bem, a resposta é mais simples do que parece. Depois da queda do homem a natureza corruptível do homem deu o ar da sua graça e nunca mais saiu da humanidade. Por mais que tenhamos obtido a graça divina através de Jesus, ainda precisamos lutar contra a natureza decaída todos os dias! 

Ninguém é santo, okay? Mas não culpe os hormônios (já fiz isso, confesso...) por que foi o próprio Criador que colocou eles em nós e justamente para que tivéssemos como desfrutar da melhor forma possível esse presente de casamento.

O nosso corpo é para a glória de Deus e não somos mais nossos, mas sim d’Ele, conforme I coríntios 6:19-20. Na mesma carta a igreja a corínto Paulo ainda fala nos versículos posteriores que devemos fugir da imoralidade sexual que era tão presente naquela cidade. Agora imagine, as vezes as pessoas falam da deliberalidade do sexo nos dias atuais, mas esse mal é velho! Essa fuga é fundamental porque diferente os outros pecados, a imoralidade é praticada em nosso próprio corpo e a pessoa que a comete se torna um com um que muitas vezes não se torna a sua ou seu espos@. Além do mais tem várias razões para se abster sexualmente até o casamento. Motivos físicos, emocionais e espirituais, tratados com uma clareza maior na nossa oficina!

“Eu e minha namorada não aguentamos e cedemos ao pecado sexual, e agora?”, O conselho óbvio é tentar essa abstinência até vocês puderem casar, iniciar um período de corte e buscar um pastor experiente são boas escolhas. Mas pessoalmente (Isabelly), eu acho que se vocês querem viver para a glória de Deus realmente, deem um tempo, reflitam se vocês acreditam que esse relacionamento vai mesmo durar a vida toda, se vocês não conseguem nem suportar uma abstinência por alguns meses e/ou anos. Geralmente os pecados sexuais, são apenas a parte visível de um coração idólatra e escravizado pela ira, em busca de aceitação ou com vários outros tipos de conflitos. Acredito que seria bom vocês darem um tempo para deixar a razão entrar e agir na espiritualidade de ambos.

Deixando que Cristo aja em todos nós com a graça que foi obtida através da sua morte, me despeço! Com carinho, 
Isabelly Santos 

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons