Archive for Julho 2017

Antes de dizer sim, reflita! (PARTE 2)

Quando compramos uma casa, nós assinamos um contrato e consequentemente sabemos dos direitos e consequências desse ato onde o papel e a caneta protagonizam. Ao casar fazemos um ato semelhante. Mas o que de fato é casar e quais são as implicações desse contrato?

Bom, sabemos que as pessoas casadas acabam construindo bens, uma propriedade privada, filhos e várias implicações que as vezes fazem com que o casal despreze a ideia de uma separação, a conveniência se torna mais forte do que o amor e assim vão se vivendo anos e anos acorrentados a uma construção social. 

Em conformidade com as ciências sociais, as construções sociais como os papéis femininos e masculinos ou a propriedade privada, não passam de um ideal criado pelo homem. Espécie essa formada sem propósito, por meio de várias mutações ao acaso. Dói ver essa naturalização do ser humano e desconstruir conceitos tradicionais está em alta, mas isso não é sobre o mundo e sua influência nas nossas comunidades cristãs. 

O que a Bíblia nos diz sobre o casamento? Será que um teste drive antes de envolver os bens do casal não seria uma boa escapada, já que o importante não é o contrato de casamento, mas sim o viver-se bem?!

De forma alguma! Na nossa sociedade temos regras e formas de conduta e a sistematização do casamento é uma delas, porém é importante observar que o casamento foi criado por Deus desde o começo da criação e com base no casamento bíblico que vamos fundamentar o seu significado.

O Livro Sagrado na verdade é uma compilação de estórias sobre o Reino e governo de Deus, os temas Criação, Queda, Redenção e Consumação estão desde de o Gênesis ao Apocalipse e todas as estórias menores tem o objetivo de contar o principal, o plano que Deus teve desde do início [1]. 

Observamos que o casamento tem espaço em vários livros e passagens bíblicas, inclusive reintegrando o que foi dito anteriormente, Deus usa o casamento para falar da relação entre Cristo e a igreja (Efésios 5:32), ou seja, vale-se de uma estória menor para falar sobre a principal, a redenção e consumação.

De acordo com a bíblia, a mulher representa a igreja e Cristo o seu esposo. Como ilustra Dave Harvey, “o casamento foi estabelecido no mundo no seu lar e no meu como lembrete, uma parábola viva do relacionamento de cristo com a igreja” [2]. A mulher na bíblia é vista como vaso mais frágil, honrada e amada por seu esposo de maneira sacrificial, como podemos ver no livro de 1 Pedro 3:7, a bíblia pedindo para os homens tratarem as suas esposas com honra e com cuidado, já que caso isso não aconteça até mesmo as suas orações podem ser impedidas. 

Mas em contrariedade, as pessoas se apegam a alguns elementos bíblicos para distorcer a vontade de Deus para as nossas vidas. Geralmente as pessoas utilizam-se do mesmo texto anterior, mas apenas o versículo 1, “semelhantemente, vós, mulheres, sede submissas a vosso marido”, não terminam nem o versículo (que fala sobre conversão de maridos incrédulos pela forma de viver de suas esposas) e colocam a submissão de maneira equivocada, na qual essa não passa de uma forma de limitar o poder da mulher, como podemos ver abaixo:

“A religião é uma das responsáveis pela produção e reprodução dessa hierarquia dos sexos, sacralizando papéis socioculturalmente construídos [...] a religião é uma das grandes responsáveis pela a inferiorização e secundarização das mulheres em nossa sociedade” [3].

Pena que esses “pensadores” como são chamados, esquecem que o evangelho é mais que uma religião, ele é poder de Deus para aqueles que creem e sabemos que é a vontade de Deus. Muito mais que uma construção social os papéis dentro do casamento são a expressão do querer de 
Deus, que prefigura o casamento de Cristo e da igreja. 

Para finalizar, que possamos entender a nossa fragilidade e experimentar uma graça única no casamento, graça semelhante a que a igreja recebe. E perceber que de alguma forma, ao ensinar aos nossos filhos a serem submissos aos pais, como somos aos nossos esposos, começamos uma forma de governo nos nossos lares que pode fazer a sociedade glorificar a Deus com sua maneira de viver. Já que, sem dúvidas, estes quando crescem ao se tornarem homens vão amar as suas esposas e serão submissos a Cristo como esse foi ao seu Pai, se entregando a sua noiva amada. A família não é só uma célula da sociedade, como também é a representação da vontade soberana de Deus para a humanidade.

Que possamos ficar regozijadas ao saber que simbolizamos a igreja que precisa da proteção do seu amado Senhor! Despeço me deixando o link (https://www.youtube.com/watch?v=mu3dPT6Eb4A) de um pedaço de uma palestra da Norma Braga que inspirou a escrever o presente texto.

Abraços e até a próxima,

[1] Jen Wilkin, “Mulheres da Palavra: como estudar a bíblia com nossa mente e coração”, São José dos Campos, SP: Fiel, 2015.
[2] Dave Havey, “Quando pecadores dizem sim”, São José dos Campos, SP: Fiel, 2009.
[3] Antônio Lopes Ribeiro, Razão e sensibilidade: a desconstrução do mito da fragilidade feminina. Congresso de Teologia da PUCPR, 10, 2011, Curitiba. Anais eletrônicos. Curitiba: Champagnat, 2011. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/congressoteologia/2011/.



domingo, 30 de julho de 2017

Medo (des)necessário

Um dia desses conversando com uma colega sobre uma apresentação que ela fez, ela me falou sobre o medo que sentiu para executar esta tarefa. Diante do sucesso que eu presenciei, eu disse:

Medo desnecessário!

Mas depois fiquei pensando, era desnecessário mesmo? Não falo da capacidade dela, porque ela realmente foi bem, mas comecei a pensar também sobre minhas próprias experiências. Ela preparou tudo com muito cuidado, mas ainda assim preferiu repassar a apresentação para algumas pessoas para assegurar que tudo sairia ótimo. Mesmo lidando com público desde criança (coisas de quem cresce frequentando comunidades cristãs), esse medo também é recorrente para mim. 

Pensei comigo que o medo colabora para que a gente se dedique, se esmere sobre algo. Ao não "superestimar" nossa própria capacidade diante dos desafios, nos entregamos mais, mergulhamos, ouvimos outros, pesquisamos, damos o nosso melhor. Percebi naquele momento que o medo, desde que não se torne um impeditivo, não é um super vilão.

O medo nos faz mais cautelosos e talvez mais prudentes. Enfrentá-lo é uma necessidade, ignorá-lo é vaidade irresponsável. O medo existe para que nos entreguemos ao amor que pode lançá-lo fora e quando isto acontece, descobrimos novas realidades muito além de nossa imaginação. Não estou aqui "encorajando o medo", mas demonstrando que podemos e devemos usá-lo em nosso favor, muito mais como um freio para segurança que um cabresto controlador.

Ósculos santos,
Iky Fonseca
quinta-feira, 27 de julho de 2017

Rabiscos de Sábado: Abaixo de zero

Na Bahia, vivemos um inverno atípico. Mesmo em cidades em que as temperaturas geralmente são estáveis, os casacos não estão mais no fundo dos armários e circulam pelas ruas, principalmente durante a noite. Não sou uma estudiosa dos conhecimentos relacionados à saúde, mas percebo as mudanças e a dificuldade de aquecer meu corpo quando o frio me pega de “calças curtas”. Seria maravilhoso se as baixas temperaturas fossem limitadas ao externo do nosso ser e, nossa alma não recebesse rajadas de vento que mudam a constância do relacionamento que temos com Deus.
"Que o fogo nunca se apague do altar"
Foi a ordem que você me deu
Eu pensava estar atento, mas
O fogo apagou
Mas a glória se foi [...]
Eu quero voltar a queimar – Ministério Zoe

Às vezes nos sentimos distantes do primeiro amor. Em algumas circunstâncias, as murmurações são as palavras que falam do que o nosso coração está cheio. Mesmo nos aquecendo, através da participação nas programações das nossas comunidades de fé e no aconchego dos amigos - irmãos, em determinados momentos o frio brota de dentro pra fora e a sensação da temperatura espiritual cai bruscamente. Tudo isso, se não for remediado e blindado com as armas do Espírito Santo, pode nos levar mais a fundo, em níveis inimagináveis até para Previsão do Tempo dos telejornais mais conceituados do Brasil.


A coisa complica mesmo quando já não vemos sentido em buscar o calor do amor de Deus e, nos contentamos com o morno do dia a dia. Não clamamos, choramos e buscamos sua presença como antes, o frio congela nossa mobilidade emocional e a indiferença, diante das promessas de presença constante e cuidado do Senhor, já não nos convencem e então percebemos: saímos do limite da segurança e espiritualmente nossa temperatura já está abaixo de zero.

Quando o esfriamento é corporal, buscamos cobertas, roupas e meias quentinhas, pois sabemos que elas ajudam na proteção externa, mas não esquecemos de providenciar um café, chá, sopa, caldo ou um delicioso chocolate quente para que o calor seja sentido dentro e emanado para fora diluindo assim a concentração do frio, naqueles pontos estratégicos do corpo: nariz, mãos, pés... E como fazer para resolver o inverno da nossa caminhada na fé?

1.  Fuja do processo de negação: como cada novo ano traz consigo o ciclo das quatro estações, espiritualmente também viveremos muitos verões, outonos, invernos e primaveras;
2.    Busque o conselho dos sábios: converse com pessoas que te inspirem a buscar mais de Deus e a se reinventar, por meio do enfretamento de velhas crenças que sufocam seu fervor espiritual;
3.   Estabeleça uma rotina de ações práticas que colaborem para manutenção do seu relacionamento com a fé: leitura e estudo da palavra, boas conversações, consumo de pregações e literaturas edificantes (como os textos disponíveis no site do Workshop de Solteiros... #PropagandaSanta! =] );
4.     E siga as instruções do nosso “bom companheiro” Paulo:
Amai-vos dedicadamente uns aos outros com amor fraternal. Preferindo dar honra a outras pessoas, mais do que a si próprios. Não sejais descuidados do zelo; sede fervorosos no espírito. Servi ao Senhor. Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração. Cooperai com os santos nas suas necessidades. Praticai a hospitalidade.
Romanos 12: 10 – 13
As dicas supracitadas, não são como uma receita de bolo ou algo do tipo, mas precisamos buscar estratégias para não fazermos como os ursos que víamos nos desenhos animados e entrar na toca para dormir até que o inverno passe. Mova-se e fique perto do calor que emana do amor de Deus.  Na vida espiritual o inverno só vira primavera se não deixarmos a tríade corpo, alma e espírito parada, refém da própria sorte.

Beijos e Queijos,


Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 22 de julho de 2017

Um texto clichê sobre amizade

Existem muitos tipos de amigos.

Tem aquele amigo das antigas que continua presente na sua vida até hoje.

Tem aquele amigo das antigas que é mais ausente que presente, mas o carinho, cumplicidade e respeito permanecem tão sólidos quanto anos atrás, como revelam os bons e raros reencontros.

Tem aquele amigo que parece das antigas, mas você conheceu não faz muito tempo.

Tem aquele amigo que você conheceu numa viagem e não sabe se vai reencontrar algum dia de novo.

Tem aquele amigo que você só conhece virtualmente.

Tem aquele amigo que está sempre com você, já virou referência sua, é tipo "dedo e unha", "Salsicha e Scooby", "Debi e Loide", "Fred e Barney".  

Tem aquele amigo que você amou desde a primeira vez que viu, mas também tem aquele que você não suportava e hoje não desgruda.

Tem aquele amigo que é conselheiro, seu muro de lamentações para onde você corre quando precisa de ajuda.

Tem aquele amigo que te faz de Facebook e conta tudo da vida dele para você.

Tem aquele amigo que some, mas sempre te marca nas redes sociais como prova de que nunca te esquece.

Tem aquele amigo com quem você tem várias fotos e aquele com quem por algum motivo inexplicável do universo você sempre esquece de tirar fotos. 

Tem aquele amigo com quem você ri de um monte de idiotices.

Tem aquele amigo que é chato, que te irrita, mas você ama.

Tem aquele amigo que te chama para comer (melhores pessoas).

Tem aquele amigo mais chegado que irmão.

Tem aquele amigo como ferro que afia outro ferro, lhe fala verdades, lhe poda para seu crescimento.

Tem aquele amigo fiel, mesmo que isso possa resultar em prejuízo para ele, como Jonatas e Davi.

Tem aquele amigo que vira cônjuge sem deixar de ser amigo.

Tem aquele amigo que é da família e aquele outro que é como se fosse.

Tem aquele amigo que deu a sua vida em resgate de muitos e que está conosco todos os dias. 


Feliz dia da amizade! =D

Ósculos amigos,
Iky Fonseca
quinta-feira, 20 de julho de 2017

Antes de dizer sim, reflita! (PARTE 1)

Existem questões importantes para observarmos antes de casar e sobre um desses pontos vamos conversar hoje. O que vocês pensam sobre a mulher cristã e o mercado de trabalho? Muitas de nós estão nas universidades e mercado de trabalho, mas e depois do casamento o que fazer em relação a nossas carreiras?

Somos mulheres que se preparam a cada dia mais para o mercado de trabalho e isso é bom. Mas o nosso coração não deve estar nisso. O nosso coração deve estar em Cristo, Ele é a rocha! E como princípio de nossas vidas precisamos entender o nosso papel na sociedade e principalmente dentro do nosso lar.

A mulher cristã não necessariamente precisa deixar de estudar e voltar os tempos em que as moças eram apresentadas apenas a serviços domésticos. Apesar de hoje a domesticidade estar fora de moda, nós sabemos da sua importância, quão bom é voltar para um lar aconchegante onde tem amor nos mínimos detalhes.

Embora o serviço doméstico seja por vezes desgastante, ele é sem dúvidas necessário! Quem é que não gosta de chegar em casa e ter uma pia lavada de louças? No entanto, não estou dizendo que essas obrigações são somente femininas, mas sabemos que o dever masculino é de provisão e proteção do lar. 

Quando um casal ainda não tem filhos, é importante a mulher trabalhar para complemento da renda familiar e até mesmo pensando no futuro econômico da família. Porém quando os casais tem um bebê, a prioridade sem dúvida é dele, já que o homem é o provedor, em conformidade é aconselhável que a mãe não trabalhe em tempo integral ou até mesmo total dependendo das situações. 

Mas em contrapartida, tudo isso não significa que esse homem não deva cuidar dos filhos, não só deve, como é papel dele também. É um papel masculino que auxilia muito na compreensão dos filhos, saber que o papai cuida dele. 

Eu acredito que podemos trabalhar, desde que essa função não deixe com que as outras sejam mal executadas. Uma boa escapada é pensar em uma função que você não precise trabalhar em tempo integral, por que precisa-se tempo e amor para ter prazer nas atividades do lar. 

Para finalizar, trabalhe desde que seja para a glória de Deus! Não podemos esquecer o nosso papel enquanto mulheres cristãs. A vida acadêmica e carreira profissional não podem ser maior que a nossa missão enquanto esposas e mães. A leitura de Provérbios 31 será bênção na sua vida! Por fim, desejo uma boa semana a todas! 

domingo, 16 de julho de 2017

Rabiscos de Sábado: Amor meu? Sou eu!

Você ama o reflexo que recebe do espelho todos os dias pela manhã? Você mergulha em sua personalidade e ri com as “tretas” do seu universo particular? Você acredita que por amor Deus entregou seu único filho para te/nos salvar (João 3:16)? Quando pensamos, falamos e escrevemos sobre relacionamentos vivenciados de acordo com a vontade do Senhor, geralmente focamos na parte interpessoal da questão; deixamos de lado o cuidado necessário para que nossas emoções e percepções sejam positivas e permitam que o amor próprio seja uma realidade concreta, e não um simples conceito de auto-ajuda.

“Se você pudesse se enxergar com meu olhar /
Você não diria que é exagero meu...”
Estética – Henrique Cerqueira

Buscando o universo de músicas que todo mundo conhece (menos eu rs), encontrei uma canção do Henrique Cerqueira chamada Estética e do nada, a letra criada para descrever o amor romântico me fez rir, pensando que de fato: Se eu tivesse como me ver com os olhos de Deus, que me criou e ama, seria mais fácil me amar conforme o padrão dEle. O romantismo dos pedidos de casamento no YouTube, as cenas de amor dos livros e filmes, as canções fofas que estimulam a imaginação dos solteiros não podem acorrentar corações em um sonho que termina na idealização do felizes para sempre. Antes que o amor romântico queira ser despertado (Cânticos 8:4) eu e você precisamos amar o que somos e ainda vamos ser segundo os planos e ações do Senhor.




Desejo que seus melhores sorrisos, abraços, sonhos, desejos, projetos e anseios sejam relacionados com o desenvolvimento de uma auto-percepção que gere amor próprio, aquele que não precisa de um cúpido com flecha em punho para surgir e ser vivenciado no cotidiano. Somos obras primas do Criador que por amor tornou-se Pai do povo adquirido pelo sacrifício de Jesus na cruz (1 Pedro 2:9). Somos melhores que as ficções e expectativas que elas geram em nós. Amar-se é um mandamento que cumprido nos liberta da dependência emocional que relacionamentos falidos podem causar. Vale à pena acreditar que Deus foi além quando nos criou e que todos os dias, apesar de sermos humanos e falhos, Ele ainda nos ama!

P.S: Que tal escutar e amar uma das melhores obras que o Senhor fez: VOCÊ!? =]


Beijos e Queijos,

Tacila Sousa


Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste trabalho em https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.


sábado, 15 de julho de 2017

E pra arrematar...

Iky é uma jovem como outra qualquer, embora às vezes se sinta estranha no mundo. Ruiva de coração, negra de alma, pele tão branca e tão esquecida e com a cabeça cheia de coisas, ela lota sua agenda de afazeres dos quais não dá conta. Mesmo assim, (quase) todas as semanas ela separa um tempo de qualidade para prestar o ato de serviço de escrever palavras de afirmação e entregar a vocês como presente, despedindo-se com ósculos santos. E Iky não queria deixar de fazer algumas considerações para selar as reflexões das nossas últimas semanas. Sintam-se amados!

Olá, pessoas lindassssssssss! Primeiro, desculpa por não ter aparecido semana passada. Sou uma serumaninha sujeita às mesmas provações que vocês e as últimas semanas foram bem atípicas, mas vamos pro assunto: 5 linguagens do amor (LA). Só para arrematar uns pontos que acho importantes.

Como descobrir a LA de alguém (inclusive você mesmo)? Três perguntas ajudam muito:

1- O que mais faz para expressar seu amor?
Ex.: Sempre traz alguma comida ou paga alguma coisa pra você. (Presentes)

2 - O que ou como mais gosta de receber?
Ex.: Valoriza muito cartas, bilhetes ou declaração nas redes sociais. (Palavras de afirmação)

3 - Do que mais se queixa? 
Ex.: Que milagre você vir me visitar! (Tempo de qualidade)

Mas por que eu me daria ao trabalho de descobrir isso? Para agradar quem você ama e fazer seu amor ser compreendido por este alguém; para expressar o amor de Deus de uma maneira mais eficaz e assim alcançar almas; também para experimentar outras dimensões do amor de Deus, afinal Ele fala as 5 linguagens. 

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. (João 13:34,35)

É claro que, como qualquer conhecimento, praticar as LA é uma escolha e, sim, demanda esforço. Mas acredite, vale muito a pena! Então minha recomendação é que, por mais que você seja bom em sua LA principal, você se espelhe no próprio Amor e seja um poliglota, fluindo nas 5 linguagens. Vai fazer bem a você e às pessoas ao seu redor. Me despeço então da série com a citação do linguista Borges Neto:

"É preciso que as pessoas se leiam mais, que compreendam o ponto de vista do outro."

Ósculos e todas as demais linguagens,

Inspirada na coleção As 5 linguagens de amor, de Gary Chapman.


quinta-feira, 13 de julho de 2017

Na falta de criatividade, não teremos título hoje

           Na busca de encontrar algum título criativo, de maneira que eu pudesse instigar o caro leitor(a) a ler este texto somente pela forma convidativa que ele se coloca em seu início, eu me lembrei de um clássico ditado: “ Não julgue um livro pela capa”. Assim como um livro ou um breve texto da página do Workshop de Solteiros, aprendemos que não é saudável julgar as pessoas por meio da primeira impressão que temos delas. É bíblico! Explicado o motivo deste título que não tem sentido algum, ou melhor, a falta dele, vamos conhecer o conteúdo deste pequeníssimo e simples artigo.

Existe uma música que assim que comecei a ouvir, gostei muito, mas deixei de ouvi-la por não concordar com um trecho do refrão, que diz: “... tudo é de graça pra você se arrepender do que ficou pra trás”. Eu tinha uma concepção de que tudo aquilo que passou, não tem mais jeito, não tem mais conserto. Passou, é hora de seguir em frente. Se errou, fazer diferente, se acertou, manter-se assim. Durante a semana, escuto novamente essa música, quase que acreditando que aquele trecho não estaria ali para que eu pudesse ouvir com mais frequência, mas lá estava o trecho. Contudo, mudei de opinião sobre o trecho.

Há coisas na vida que nos prendem ao passado e nos impedem de prosseguir. Fazemos de tudo para nos livrar das amarras que nos prendem mas temos orgulho e não voltamos atrás. E sobre perdão, é necessário voltar atrás para poder seguir em frente.

Paulo na carta aos Colossenses diz que devemos perdoar o próximo como o Senhor nos perdoou. Isso é profundo e difícil. Mas pensando no quão falho eu sou e o Senhor ainda perdoa meus pecados mesmo sabendo que eu vou pecar novamente, me faz pensar em quem eu sou para que eu não possa perdoar ao próximo e no mal que faz a mim mesmo guardar rancor.

Quando o assunto é perdão, há um conselho bastante comum: “você não precisa conviver com a pessoa após perdoá-la”. Isso é fato. Perdoar não é retornar ao mesmo convívio que outrora era (existem casos e acasos), mas é um mandamento divino e um ato de amor ao próximo.

É necessário retornar na caminhada para poder avançar. Resolver algumas situações, liberar e pedir perdão para que possamos seguir em frente. Por fim, a intenção desse texto na verdade, é convidar aos leitores a refletir sobre o perdão e o amor durante a semana. As coisas óbvias ditas acima não foram por falta de palavras, mas sim porque o óbvio precisa ser dito em algumas vezes.

Samir Santana
domingo, 9 de julho de 2017

Rabiscos de Sábado: Como será o amanhã?

Fui consultar o calendário para começar a escrever o texto de hoje: faltam 177 dias para 2018 começar. O passar dos anos, tem gerado em mim e nos amigos de longa data, a sensação de que o tempo passada rápido de mais nos dias de hoje. Lembro-me que em minha infância, esperava com ansiedade a chegada do mês de dezembro, que consigo trazia as férias, o Natal – meu aniversário, presentes e comidas gostosas; além de um cheiro diferente que pairava no ar com a chegada do verão e a expectativa de irmos; eu, minha irmã e nossos pais; a praia a bordo de um caminhão, que diante dos meus olhinhos de criança parecia enorme.

Sei lá / Tem dias que a gente olha pra si / E se pergunta se é mesmo isso aí / Que a gente achou que ia ser / Quando a gente crescer
Já É – Lulu Santos
As memórias de outrora, despertadas por fotografias, músicas, sabores, cheiros, reencontros e despedidas dizem muito sobre quem éramos e os sonhos que tínhamos nos “ontens” da nossa vida. Folhear o passado, nos faz analisar o agora e pensar em como será o amanhã vivido em cada novo dia. Recordar das promessas de final de ano que não saíram do campo das idéias, e ainda aguardam uma repescagem racional que as lancem na plataforma de auto-promessas para o ano seguinte, ilustra a verdade de que somos apenas mordomos e não donos absolutos das nossas vidas. Nessas horas, muitas vezes silenciosamente, perguntamos ao Senhor: o que a vida vai fazer de mim?



Os tropeços, rotas reorganizadas e passos pra traz que damos ao longo da história que construímos na Terra, são facilmente associados com as palavras escritas por Thiago entre os versículos 13 – 15 no capítulo 4 do seu livro:

E agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano, negociaremos e ganharemos. No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo.

Mesmo sabendo, incontáveis são as vezes que esquecemos: a vontade de Deus é soberana em todas as coisas. Nossas ilusões sobre o controle do universo ou da essencial separação do Criador são confrontadas sutilmente todos os dias, mas em momentos de travessia como a morte de um alguém querido, por exemplo, o entendimento da breve sutileza da vida é inevitável. Reconhecer-se no meio da dor, fragilidade emocional, distanciamento de um lugar de fluida esperança e fé, não é fácil, mas precisamos levar em consideração que a certeza de que nada escapa do controle e cuidado do Senhor, é algo funcional para o renovo das nossas forças e alimento da esperança que carregamos ao longo da vida. Sim... Viver não é fácil, mas existe esperança ao logo do caminho!

Beijos e Queijos,

Tacila Sousa


Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste trabalho em https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 8 de julho de 2017

Preparada para o Casamento?


Não mais a chamarão abandonada,
nem desamparada à sua terra.
Você, porém, será chamada Hefzibá,
e a sua terra, Beulá,
pois o Senhor terá prazer em você,
e a sua terra estará casada.
Assim como um jovem se casa
com sua noiva,
os seus filhos se casarão com você;
assim como o noivo se regozija
por sua noiva,
assim o seu Deus se regozija por você.
Isaías 62:4-5.

Deus faz uma promessa a Israel acerca da sua segunda vinda e Ele usa o casamento para representar a alegria que Deus terá na união de Cristo e sua noiva.
Coloco diante do texto algumas impressões pessoais, sei que a ainda não estou noiva, mas o anseio e a alegria no meu casamento futuro, já se faz presente no meu ser. Mesmo sabendo que meu namorado é falho, cheio de defeitos e um pecador, assim como, eu mesma.
Agora reflito, imagino pensar em um casamento que durará a eternidade com um Noivo completamente apaixonado, amoroso e PERFEITO.
Porém, uma grande contradição interessante acontece,  pensar que muitas vezes a noiva desse Cara perfeito não está nem um pouco ansiosa ou querendo logo esse casamento. Muitas coisas efêmeras e menos importantes estão em foco e acabam tomando mais tempo e prioridade na vida da noiva.
E nós como estamos afinal?
Noivas apaixonadas ou uma noiva que desejar adiar o seu casamento sempre?
Essas reflexões precisam estar constantemente em nossos corações, pois muitas vezes as pessoas vivem vidas inteiras sem pensar na brevidade da nossa estádia no mundo e acabam vivendo para as suas formações profissionais e/ou acadêmicas, ou até mesmo a sua família acaba sendo o seu deus. O que vale viver um período pequeno aqui como reis se na eternidade podemos estar na perdição eterna?
Que possamos cada vez mais viver para Cristo, sejamos hoje melhor do que ontem, que a nossa podridão de hoje seja regenerada pela graça de Deus e que vivamos na sua dependência e ansiosos para o Casamento!
 
Sem perder a esperança naquele que nos salvou de nossas próprias paixões,
Isabelly Santos
domingo, 2 de julho de 2017

Rabiscos de Sábado: Alimente sua esperança

Existem diversos mistérios que não vão ser desvendados pelos nossos olhos, curiosidades e ímpetos de domínio humano, antes que toda promessa divina seja vivenciada do justo modo como foi pensada pelo Criador. Invisto horas olhando para o céu em noites claras, onde a brisa suave dança pelo meu rosto e contemplo a organização das estrelas que consigo enxergar. Busco, nesses momentos de contemplação da obra, entender algo do Pai que ainda não enxerguei ou notei na caminhada diária. Os erros, medos, traços irrefutáveis da carne e a sensação de que a fé escapa entre os dedos, diante das nossas fraquezas, têm o poder de afastar da memória, as inúmeras provas do amor de Deus e de sua existência soberana, independente da nossa natureza. 

“Será que você não sabe? Nunca ouviu falar?O Senhor é o Deus eterno, o Criador de toda a terra.Ele não se cansa nem fica exausto; sua sabedoria é insondável.Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças.Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem;mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças.Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam.” Isaías 40:28-31
A certeza de que o amor de Deus não muda e que Ele nos ama não pelo que podemos fazer para convencê-lo, precisa ser uma das verdades que alimenta nossa esperança diante das adversidades da vida. O Pai possui o profundo conhecimento dos seus filhos, reconhece quando estão cansados e sobrecarregados, os convida para perto com a promessa de paz e renovação do vigor para enfrentar as aflições desse mundo, onde no tempo presente jaz o maligno. Contra todas as certezas mundanas que dizem não para existência do Senhor e decretam a falência das suas promessas, a Bíblia é o alimento verdadeiro que sacia a fome, enquanto abri outros apetites pelo conhecimento da vontade revelada pelo Pai, através da inspiração dada por Ele a cada mão humana que escreveu o nosso guia de ações práticas e escolhas espirituais.



Acima de tudo, devemos nos segurar nas memórias que confirmam o caráter do Senhor, pois elas têm o poder de nos dar esperança e certeza de que Ele nos ama e em breve cumprirá sua promessa, resgatando os imperfeitos filhos acolhidos como geração eleita pelo seu imenso amor.
“Lembro-me da minha aflição e do meu delírio, da minha amargura e do meu pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim.Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade! Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nele porei a minha esperança.”
Lamentações 3:19-24

Que hoje, começo de um novo mês, recebamos do Espírito Santo a inspiração necessária para alimentarmos nossa esperança e fé em Deus. Minha oração concentra-se na necessidade de crer independente das circunstâncias e das memórias, que fazem por vezes nosso emocional e/ou racional duvidarem em meio a tantas provas das misericórdias do Senhor, que se renovam a cada manhã. Nem mesmo as lamentações e frustrações, têm o poder de mudar quem Ele é e o que tem para fazer em nossas vidas: creiamos em suas promessas e vejamos a sua glória manifestada através de nós. Ele vem!


Beijos e Queijos,

Tacila Sousa


Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste trabalho em https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 1 de julho de 2017

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons