quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Uma confissão: o texto de hoje não seria hoje. Buttttt, quis o SENHOR, que através de um notebook travado o texto predestinado para hoje não pode ser recuperado. Então, corri para finalizar o tema escolhido. #arminianismo? #calvinismo? #parei

O comercial “Dia dos Pais” está chegando e sei que muitas pessoas se identificaram com o título. Portanto, quero compartilhar um trecho da carta de reencontro de uma filha para um pai que a abandonou. Antes de continuar lendo, quero que você (pelo menos tente) exercitar dois verbos: PERDOAR e LEMBRAR. Reflita sobre quem você se tornou com a dor; o quanto ela te amadureceu, possibilitando, inclusive, que você seja capaz de perdoar os que erraram contigo. Não menos importante, traga a memória o único que sempre te amou de tal forma (JO 3:16), nunca te desamparou (DT 4:31) e jamais te esqueceu (IS 49:15).



Meu pai que precisa de Pai,
Definitivamente, eu não te conheço. Mas, todos os dias ao olhar no espelho sabia que você estava lá: no fenótipo, gene e no famoso mau gênio. Por muitas noites me perguntei onde você estava e por qual motivo não quis que eu estivesse aqui. Durante muitos anos ouvi histórias sobre quem você era e como as escolhas foram egoístas, desastrosas e irreversíveis. Hoje, não importa quantas lembranças na escola eu fiz e não te entreguei. Não faz diferença as solenidades que você não participou. Tudo foi uma oportunidade, acredite. Não foi algo que você perdeu, mas que eu ganhei. Sua ausência me trouxe outros sorrisos, braços, colo, consolos e confrontos. Eu não seria tão forte sem as minhas feridas. Não se preocupe, sei que você também tem suas marcas. Também sei que agora, no meio da sua crise existencial, você se arrepende de não ter me visto crescer, andar, falar e voar. Eu estou bem, ficaremos bem. Para além do perdão, eu te agradeço. Como Deus, sei que Ele se apresentaria de algum modo em minha vida, mas, foi nos momentos mais agudos de sua ausência que tive a chance de reconhecer em Deus todas as características de um pai perfeito, dedicado, provedor e presente. Já experimentei de um amor paterno incondicional. Não se culpe, o nosso grande pai cuidou de mim. Você também quer sentir esse amor?!

Abraços calorosos,
De uma filha já amada.

Beijinhos e brigadeiros,
Tainan Piantavinha

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons