Archive for Setembro 2017

Rabiscos de Sábado: E, quando a opção é recomeçar?

Compreender, teoricamente, que cada coisa tem o tempo exato de começar e terminar é fácil. Na escola primária, aprendemos que o ciclo da vida é limitado entre o nascer, crescer, reproduzir e morrer. Hoje, quando olho pra minha vida particular e reconheço o movimento do tempo, percebo que de fato na dimensão do aqui e agora, nada é eterno. Como bem diz o Provérbio Português “Não há bem que sempre dure e nem mal que nunca se acabe”. Seja um namoro de cinco anos, onde as promessas de um casamento são esvaziadas pela rotina; a escolha de prender-se em um relacionamento abusivo mesmo com provas constantes de desamor, que impedem o projetar de um milagre que salve o casal que nunca foi de dois ou a ilusão do quase amor que deixou de ser, sem nunca ter sido: chega o momento em que somos levados para o fim, a morte, a interrupção da rota que exige uma mudança de direção definida por nós mesmos.
“ Entendeu que as cartas pensadas e nunca escritas, não seriam lidas por esse alguém que em uma terça-feira qualquer, saiu do lugar de mais um rosto na multidão e preencheu seu imaginário com leves e doces sonhos de um futuro a dois. Mesmo ele não tendo entrado na sua vida, não sabia bem o que fazer com o coração que estava arrumado e ansioso por sua chegada. Olhou para dentro e viu as memórias dos encontros casuais organizadas cronologicamente; sabia que era necessário se desfazer de tudo aquilo. Não queria mais vê-lo. Desejava tornar-se invisível, pois seria muito cruel lidar com sua gentil presença em mais um encontro casual. Bagunçou-se para terminar o relacionamento estável que tinha desenvolvido com a ilusão. As caixas cheias do que se tornou lixo emocional, ilustravam a necessidade e única opção que ela poderia escolher naquele momento: recomeçar!”

Todo fim pressupõe a necessidade de um novo começo, mas nem sempre estamos dispostos a empreender dentro de nós, pois fazer uma faxina e descartar o lixo emocional é o tipo de ação que além da dor, dá muito trabalho.  Aqui, quando escrevemos sobre relacionamentos focamos nos solteiros, pois antes do SIM existe uma gama de possibilidades, ações e escolhas que podem ser acionadas no movimento da vida que traz e leva todas as coisas. No primeiro texto, pontuei que biblicamente estávamos baseados no entendimento que “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou (Eclesiastes 3: 1-2)”. Faz-se necessário que entendamos: cada conclusão de ciclo, exige de nós tempo e espaço para que a casa interior seja arrumada, oportunizando assim o recomeço. Muitas pessoas trocam de amor como quem muda de canal na TV ou se livra dos anúncios no YouTube, pois  no mundo, existe uma visão distorcida de que a única coisa que cura a frustração de um amor mal sucedido ou não correspondido é um novo relacionamento.


Cuidado! Ninguém tem como ocupar seus espaços vazios. Esse dom não foi dado aos humanos. Pensar que um novo relacionamento vai completar ou refazer sua vida do ponto em que ela parou é um engano.  Não invista na “tentativa e erro” quando o assunto é a sua saúde emocional, diante de relacionamentos amorosos que não deram certo. A dor que nos obriga a pensar em novos rumos precisa ser encarada como um impulso pra frente e não como uma ancora que nos prende no mesmo lugar. Você não precisa ser de todo mundo na tentativa de sufocar a tristeza, frustração, solidão e o vazio de estar sem o “BoyUnção” ou a “Toda Abençoada”. Aproveita e faça da única opção sua melhor escolha... Recomece!

A vida tem dessas coisas... Em meio aos sins e nãos ela só espera uma atitude / escolha de nós: coragem.

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 30 de setembro de 2017

Relações amorosas: Adolescentes X Suicídio

O suicídio é um ato que vem aumentando ao longo do desenvolvimento da vida e, infelizmente os adolescente não estão fora dessa realidade. A pressão da sociedade em todas as áreas da vida fazem que o adolescente cobre cada vez mais do que pode dar no momento. É perturbador para eles o fracasso de um vestibular não ser compreendidos pelos pais, se sentirem perdidos quanto a sua identidade e, certamente, no termino de um romance.

Todos nós sabemos que o adolescente passa por um momento de transição nesse estágio da vida e, que, é normal os inúmeros conflitos nessa fase. Compreende – se que o ajuste familiar juntamente com amigos faz com que o jovem compreenda melhor seus desafios e consiga passar nas etapas das longas e curtas fases da vida. “ A família e os amigos são essenciais para amortecer os sérios problemas emocionais da adolescência principalmente a depressão e raiva, que podem levar ao suicídio ou a crimes violentos.” ( Berger, 2016).

Nos rompimentos amorosos existem a falta de equilíbrio emocional para lidar com os términos. Os “ nãos” que o suposto objeto de amor possa dar, traz ao ser que ama uma “morte lenta” dentro de si mesmo. Como citou, Berger ( 2016), “ O suicídio é uma indicação do estresse emocional que muitos adolescentes experimentam”. O desgaste afetivo é extremamente favorável para a busca da “eliminação da sua dor”. Nenhuma fase do desenvolvimento humano dura para sempre. O ser humano está em constante transformação e isso faz de nós seres sublimes. Todos os seres humanos enfrentam problemas, as dificuldades podem ser maiores ou menores, mas, não podemos invalidar a dor e a alegria do outro.

Para o adolescente no seu processo de encontro pessoal com a vida, possa aparecer ao longo da caminhada dificuldades diferentes dos outros, e podem trazer um desencadear de outros problemas. Porém, faz parte desse ciclo e os ajustes são necessários. Todas as famílias passam por problemáticas sociais, financeiras, emocionais, mas, prosseguem para o respeito mútuo e superação continua.

A ajuda familiar faz toda diferença nesse processo de maturação. Os exemplos podem originar melhorias significantes para cada sujeito. Os amigos podem ser ótimos companheiros para o momento de dor, e a possibilidade de se permitir amar outra vez , certamente, traz o alivio de que nascemos e seguimos nas perdas e ganhos da vida.

Segundo o que diz Berger ( 2016), “ os adolescentes são por natureza, inovadores, idealistas, desafiadores de riscos, abertos a novos padrões, objetivos e estilos de vida.” Isso traz um novo olhar sobre o futuro de cada um dos jovens que passam por conflitos tão tensos nessa época, além de serem exemplos de seres em maturação trilhando novas jornadas.

“ Os jovens podem encontrar uma trilha que os afaste das restrições e do peso do passado, cheios de interesse e prontos para o futuro. Essa trilha conduz à fase adulta” ( Berger, 2016). Essa é a esperança para cada um desses adolescentes que vivem hoje em conflitos internos e externos. O poder de evoluir e buscar a mudança em si mesmo, se fazendo um ser autentico e capacitado o suficiente para atingir novos horizontes.

Steffany Reis
Psicóloga | CRP/ IP15393


Resultado de imagem para setembro amarelo pela valorização da vida
segunda-feira, 25 de setembro de 2017
Tag :

Rabiscos de Sábado: Aconteceu... Começou!

A Primavera começou ontem no Hemisfério Sul, e esse clima de flores e frutos nos prepara a passos lentos para o Verão, movimentando nossas emoções e expectativas de que, a qualquer momento uma coisa realmente boa pode acontecer. Aproveitando a poesia dessa estação, nesse e no próximo sábado vamos ter textos interligados na observação do começo e do recomeço, quando falamos do amor romântico entre um homem e uma mulher.  Quem sabe o “Sol da Primavera” trará pra sua vida a oportunidade e um novo tempo para dar os primeiros passos de um amor pra vida inteira?  Esses textos são biblicamente fundamentados em Eclesiastes 3: 1, 2.
“Estava cansada dos “quases” que nunca se concretizam. Decidida e empenhada na reinvenção de si mesma, começou lendo outros livros e assistindo seriados que até ontem não sabia que existiam. Usou a tesoura do desejo de mudar e cortou o cabelo. Fez uma lista das transformações que empreenderia de dentro pra fora. Já não era mais a mesma pessoa. O trabalho novo era cansativo e inspirador. Gostava do salário, rotina e convivência com um universo de pessoas que não sabiam nada sobre seu passado. Buscava todos os dias, um novo desafio para reinventar a rotina. A novidade preferida era mudar o local onde almoçava. E, em mais uma terça-feira qualquer, partiu em uma caminhada ritmada para comer em um local diferente. Entre mordidas e goles, o viu chegar. Conhecia o rosto, mas como não tinha intimidade, limitou-se ao meio sorriso dos que apenas não são estranhos. Voltou sua atenção novamente ao prato que estava a sua frente, quando foi provocada pela presença masculina que com a bandeja em mãos, disse: posso almoçar com você? O desafio de dizer sim, venceu a vontade de proteger-se através do “já comi, pode ficar com a mesa”. Olhou atentamente para aquele homem e pensou: Aconteceu... Começou um possível amor...”
Nesse ano tornei-me uma consumidora ativa de doramas, seriados da Coréia do Sul. Aos poucos, fui entendendo que existe uma multidão de brasileiros que assistem esses produtos que são do outro lado do mundo. Entre os argumentos que justificam a inserção dessa linguagem na rotina dos ocidentais, a forma como o começo das relações amorosas é apresentado se destaca. Quando consumimos seriados brasileiros e norte americanos, por exemplo, até a metade do primeiro episódio já vimos o começo, meio e fim de um amor e, o primeiro beijo mais parece o passo desesperado para uma relação sexual do que, o gesto inicial e concreto de afeto entre um casal.  Já os doramas, em sua maioria com 16 episódios, só trazem o primeiro beijo a partir do 9 ou 10 e, caso a cena seja apresentada antes disso, o publico é presenteado com miudezas românticas que minimizam uma visão de amor associada mais ao erotismo do que a delicadeza. 


Não sei como os homens pensam e sentem o começo de um amor, mas como mulher eu gosto da ideia de um inicio que se faz passo a passo, sabe? Conquistar e/ou deixar-se ser conquistado, não precisa ou deve ser um jogo de quem pode mais. Aprendemos e replicamos modelos de galanteios arrebatadores, mas vazios de sentimentos sinceros. Idealizamos o padrão ideal de corpo, voz, personalidade e conquista assemelhando nossas preferências ao que consumimos midiaticamente, como homem ou mulher ideal.  Querer encontrar alguém que tenha “borogodó” não é um pecado mortal, mas isso apenas não tem o poder de gerar um começo maduro e frutífero para história de dois que ao se encontrarem, decidem investir na empreitada de ser um. 
Eu não sei o quando e onde / Eu te encontrarei /
Mas em cada passo que eu dou / Eu me sinto cada vez mais perto / Meu amor
Carta Escondida – Henrique Cerqueira
Mesmo mantendo os pés no chão, perceber e viver o começo de um relacionamento com leveza e romantismo deve ser maravilhoso.  Evite a queima de fases, pois aqueles que já passaram ou estão passando pelo começo nesse exato momento, dizem que o sabor dos primeiros passos é inesquecível. Vale à pena semear as boas sementes em nós mesmos, permitindo que em meio à rotina que endurece nossos corações e esfria nossa capacidade de amar, sempre exista um espaço para que uma raiz rompa o asfalto e brote em flor no meio do cinza endurecido da nossa vida. E nessa Primavera façamos, vamos amar!

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 23 de setembro de 2017

A Dois - PC Baruk #fridaysong

A música é de Paulo César Baruk, então não precisamos falar muito. Bora ouvir. <3


O tempo passou e faz tanto tempo
Que eu te vi
Pra não mais ser o mesmo
Cidades distantes e um pouco hesitante
Percebi, só mais perto
Eu me via completo


E quando alguém pergunta
Se esse amor pode ser pra sempre
Da gente depende, é escolha, é intenção
É seguir em frente
E quando alguém pergunta
Se o “a dois” vai durar pra sempre
A gente entrega o nosso amor nas mãos do Amor
Pra seguir em frente

Eu te amo mais do que no dia em que te conheci
Eu te amo mais e desde quando você disse sim
Eu te amo mais, mais
E a cada novo sol eu amo mais

Eu te amo mais do que o pássaro ama a flor
Eu te amo tanto e é tão grande esse nosso amor
Eu te amo mais, mais, mas se no fundo
Você entender que mais ainda é pouco
Eu te amo tudo
E em tudo eu te amo
Tudo e em tudo



Se quiser conhecer um pouco mais dessa História de Amor de Verdade "A Dois", pode ler aqui.
sexta-feira, 22 de setembro de 2017

70 x 7 No Relacionamento

O namoro, noivado ou casamento é formado por duas pessoas que se amam, mas também que possuem personalidade, defeitos e qualidades e que quando são somados podem gerar momentos de atrito. 

É normal em alguns momentos o casal ter divergências, afinal de contas somos carnais e falhos. Por mais que façamos de tudo para evitar situações de conflito, em alguns momentos elas são inevitáveis. Tanto a mulher como o homem pode ficar chateado no momento ou ficar magoada (o) com as palavras que foram ditas. 

E o que fazer mediante esta situação? Como agir? Será que tudo acabou? 

Keep Calm!!!!! Nem tudo está perdido. Existem alguns, de muitos passos que são fundamentais:

1. Ter sabedoria: antes de agir, é necessário que ambos pensem e reflitam sobre suas atitudes e o que deve ser dito ao outro. 

2. Liberar Perdão: após pensar e refletir sobre sua atitude, peça perdão a pessoa amada. Mesmo que você não seja a culpada ou o culpado, peça e libere perdão. De alguma maneira também erraremos um dia.

3. Pensar e refletir sobre o problema: os problemas sempre vão surgir, mas o casal não deve se apegar a eles. O namoro é um período de preparação e aprendizado para o casamento e por isso é necessário que aprendam juntos a lidar com os momentos bons e ruins. 

4. Ver as discussões como uma lição: elas tornam muitas vezes o relacionamento mais sólido. Sim. Isso é possível. De alguma maneira isso mostrará ao casal que é preciso ter fé, paciência e persistência para que permaneçam firmes no propósito de Cristo. 

Em Colossenses 3:13 diz: “Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou.”

Resultado de imagem para me perdoa

Cada um de nós pode cometer erros. O que nos cabe é pedir perdão ao Senhor e meditar em sua palavra dia e noite para que nos tornemos mulheres e homens sábios, edificados e transformados pelo amor de Cristo. Quando aprendemos a liberar perdão no relacionamento, por mais que tenha sido algo “bobo” como, por exemplo, a data de aniversário ou de namoro, um jantar ou aquela saída pra comer coxinha que foi desmarcada de última hora e que você se planejou e sonhou com este momento há dias, quando ele desmarcar aquela ida ao cinema para assistir o UFC ou a partida do timão com os outros vasos (rsrsrs), dentre outras ocasiões, passamos a compreender a importância de ter Cristo como o centro de tudo em nossas vidas e um forte exemplo de perdão e amor. Passamos a ter maturidade para entender e compreender o outro, o casal se prepara para ter um casamento mais sólido, vão aprender a importância do perdão para que o relacionamento não se torne algo que tire a paz de ambos, etc.

Todos nós temos a capacidade de perdoar. E porque não dialogar com o namorado (a), noivo (a) ou esposo (a) e perdoá-lo (a)? 

Que tal colocarem na balança tudo que está em seus corações e ver o que está pesando mais na vida de vocês? 

Busquem orientação pastoral, tirem alguns minutos do seu dia e orem juntos pelo relacionamento. Tenho certeza que o Eterno irá ajudá-los no que for preciso e trará paz espiritual em seus corações!! 

Até o próximo textinho!

Rafaella Lima

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 18 de setembro de 2017
Tag :

O que a Bíblia tem a ver com o meu comportamento? (PARTE 4)

Olá, pessoal! Quase que não tínhamos texto no domingo, mas madrugada vale? Deixando de lado as apresentações vamos para mais um P do nosso estudo sistemático das Escrituras. 


Estude com Paciência!



Esse sim é um adjetivo que é muito importante no momento de se estudar seja o que for. Mas ao se tratar das escrituras é bem latente, quantas vezes não deixamos de ler a Bíblia por não ter paciência para compreender o texto?



Imagine então, que o tempo de estudo com as Escrituras é uma poupança. Cada dia você coloca um pouco de tempo, depois mais um pouco de dedicação e no fim da vida temos uma fortuna de conhecimento e uma fé fundamentada na verdade. 




Fácil não é, mas assim como os outros P’s que estudamos (propósito, pespectiva) esse é tão importante quanto qualquer outro ou até mesmo o mais, porque muitas vezes não conseguimos ser pacientes em um contexto complexo da vida, não somente no que se refere ao estudo da Palavra.



Por hoje é só, não esqueça de ser paciente ao que se refere a meditação e lembre-se que a Bíblia produz frutos a longo prazo, até a próxima! 

domingo, 17 de setembro de 2017

Rabiscos de Sábado: Setembro Amarelo

Muitas pessoas sobrevivem.  Caminham, trabalham, comem, bebem e vivem apenas do lado de fora, mas por dentro, experimentam um inverno emocional sem fim. Os ventos fortes das incertezas e medos, dizem que não vale mais a pena.  Sussurram que a dor vai acabar, através de um passo que leve a queda definitiva. As dores não superadas são como grilhões arrastados, dia sim e dia também. Silenciosos, em sua maioria camuflam a dor com um simples “tudo bem; tudo indo; tudo na paz; vou caminhando, cantando e seguindo a canção”, quando questionadas sobre o estado atual de suas emoções. 
Se ainda há ar
Se ainda há vida
Então não acabou
Ainda há saída
Para a mãe e seu filho
Para a vó tão sozinha
Para o homem caído
Para o tempo perdido [...]
Ainda há tempo
Ainda há tempo sim
Ainda Há Tempo - Marcela Taís

A campanha Setembro Amarelo, acontece no Brasil desde 2015 objetivando a conscientização sobre a prevenção do suicídio, bem como, a divulgação crítica sobre o aumento do quantitativo desses casos. De acordo com o site do movimento, gerido pelo Centro de Valorização da Vida - CVV, atualmente acontecem 32 suicídios por dia em nosso país e, a Organização Mundial de Saúde, pontua que entre 10 casos, 09 poderiam ser evitados através de ações preventivas. Pessoas com tendências e / ou pensamentos suicidas estão nos ônibus; curtem suas fotos nas redes sociais; esperam a vez na fila do supermercado; participam de Ministérios de Jovens, Adolescentes, Casais e outros mais; conhecem a Deus, mas não acreditam 100% em seu amor; têm cargos e altos salários ou perderam tudo em meio a crise financeira; desfrutam da fama e beleza que a juventude gera; passam dias presas no silêncio de seus quartos e casas sem serem notadas; vivem momentos dolorosos em total solidão e, muitas vezes, postam fotos milimetricamente calculadas para evidenciarem uma das maiores mentiras sinceras do nosso tempo: a felicidade. Você conheceu alguém assim? Já esteve nesse lugar de quase fim? Aproveitou uma oportunidade para dizer que ainda havia tempo e que apesar dos pesares, a vida sempre vale a pena?


Muitos abrem mão da vida, enquanto as vozes de fora lamentam o fato de que o individuo tinha uma vida pela frente, mas por dentro a falta de sentido para seguir vivendo, justifica uma atitude definitiva diante de problemas temporários.  Hoje, estamos no mês onde este tema ganha destaque na mídia nacional e, de modo geral, somos convidados a refletir sobre os problemas de saúde mental como uma epidemia do século XXI. Precisamos entender que independente de campanhas temáticas e cores que nos alertam de alguma forma, esse ato é recorrente tornando-se mais comum e midiático, considerando que algumas pessoas em 2017 transmitiram seus suicidios, através das redes sociais. Ansiedade, depressão, síndrome do pânico, fobias sociais ou não, problemas familiares, traumas gerados por abusos físicos e emocionais, entre tantas outras situações são gatilhos que detonam o suicídio com uma escolha feita por homens, mulheres, adolescentes, jovens, crianças e idosos.

Tenha atenção para dor camuflada de alguém que pode estar muito perto. Escolha ser amado e ajudado se estiver passando por um momento de dor, onde nada faz sentindo, inclusive a vida.  Seja sal e luz (Mateus 5: 13-14) em um mundo carente de pessoas sensíveis, umas com as outras. Não limite seu entendimento diminuindo as tristezas alheias como tolices, manhas e dramas. Usemos nossa mão no resgate dos nossos irmãos, sem esquecer de deixá-la estendida para que os que estão do nosso lado, também possam nos socorrer das circunstâncias que podem nos levar para morte, antes da sua verdadeira hora.


Beijos e Queijos,


Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 16 de setembro de 2017

Se for com você (pode ser) - Estevão Queiroga #fridaysong

Vamos dar uma animada nesta #fridaysong? Achamos muito fofa esta musga, este clip e ainda tem joguinho de bônus!! Muito massa!


Noite escura, embaixo do sol
Chuva e até temporal
Todo momento se for com você
Pode ser

Chorando muito, rindo demais
Sabendo tudo ou sei lá
Todo momento se for com você
Pode ser

Se for com você, pode ser
E vai ser legal, e vai ser
Eu mais Tu mais Deus mais ninguém
Tudo que for entre nós pode ser

Nadando em grana, ou nada na mão
Em um palácio ou no chão
Todo momento se for com você
Pode ser

Mudando tudo, fazendo igual
Agora ou tempos depois
Todo momento se for com você
Pode ser

Se for com você, pode ser
E vai ser legal, e vai ser
Eu mais Tu mais Deus mais ninguém
Tudo que for entre nós pode ser

Se for com você, pode ser
E vai ser legal, e vai ser
Eu mais Tu mais Deus mais ninguém
Tudo que for entre nós
Tudo que for entre nós
Pode ser


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Quando não há elevador


É sempre a mesma correria. Passos de um lado para o outro, seguem sua direção em seu próprio ritmo. São passos únicos. Enquanto alguns escrevem sua trajetória, outros apenas a observam passar. Sempre preferi a primeira opção, mas meus pés sempre vão precisar descansar. E antes de escolher outra etapa, sempre virá a indecisão: caminhar outra vez? Ou talvez caminhar outro caminho? Nem sempre os melhores caminhos são os mais fáceis. Para alguns lugares altos não há elevador. Mas diante de uma nova escada, pés cansados sempre vão se questionar. Parece difícil demais, cansativo demais. Há ainda tantos lugares para ir. Será que realmente preciso chegar lá? Insegura, escolho dar o primeiro passo, sim, finalmente já estou aqui, mas diante de mim tantos degraus ainda há. Apegada, dou outro passo, sofrendo por tudo que não pude levar. Incerta, no meio da escada, não sei se vou chegar. Desconfiada, cercada de tantas pessoas, algumas dispõem-se a ajudar. Encorajada, prossigo no caminhar. Cansada, não sei se vai valer a pena, se ainda me restarão forças para alcançar. Lembro que chegar ao topo, vai meus próximos passos facilitar. Até - finalmente - terminar. E olhando para trás, me sinto maior. Chegar, me fez ver de outro ângulo. Reconheço cada degrau, passo, tropeço e auxílio que me trouxeram aqui. E este é só o começo de outro caminho.

Ósculos persistentes,
Iky Fonseca

P.S.: Voltei! Meu texto virou vídeo! Obrigada pelas contribuições das colegas Ana e Amanda =)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Falta de vitamina (D)eus

Claro que é um trocadilho. Deus e nós somos muito mais complexos do que só um tipo vitamina. Mas essa é especial, tem a ver com o SOL. Uma metáfora ideal para compreendermos a nossa necessidade da presença da Trindade em nossas vidas.

Após uma bateria de exames, soube que a quantidade de vitamina D no meu corpo estava muito abaixo da média. Segundo minha médica, o esperado é de pelo menos 50, o ideal é acima de 70 e o meu estava em 20. Baixa imunidade, dores no corpo, fraqueza dos ossos, dificuldades renais, fadiga extrema e sonolência são só alguns dos sintomas de sua relativa ausência no organismo.  (Saiba mais sobre vitamina D clicando aqui).

Existem três formas de prover vitamina D para nosso corpo. Ingerindo alimentos ricos em óleos de fígado de peixe e alguns derivados do leite; suplementos vitamínicos manipulados ou a mais eficaz, a exposição ao Sol.

Gosto de pensar na Trindade (Deus-Pai, Jesus e o Espírito Santo) como o SOL. Não temos como negar que o sol existe. Já sabemos muitas coisas sobre ele, mas com todo conhecimento que já temos, ainda é impossível fazer algumas afirmações sobre o Sol. Pois ele é grande, gigante em sua dimensão e peculiaridades. E como já pensava Nicolau Copérnico e Galileu Galilei na Idade Média, a Terra não era o centro do universo, orbitamos em volta do Sol.

Deus é o Sol. A luz radiante e intensa do Sol é Jesus. (João 8:12) Derrota toda treva. Brilha com verdade e autoridade. Mesmo em dia nublados de adversidade, temos o calor do Sol a nos aquecer: o Espírito Santo.

Definição do Wikipédia: O Sol é a estrela central do Sistema Solar. Todos os outros corpos do Sistema Solar, como planetas, planetas anões, asteroides, cometas e poeira, bem como todos os satélites associados a estes corpos, giram ao seu redor.

Assim como o nosso corpo necessita de exposição ao Sol, nossa alma carece níveis altos do Sol da Justiça. Devemos ter certeza de que mesmo em bravas noites, a nossa Estrela da manhã continuará brilhando. Não é a toa que o nosso destino é o céu. Gaste mais tempo experimentando o Deus-Sol e seu corpo refletirá isso.

Para comprovar minha criação batista-raiz (rs), fica a dica de uma música do CC. “Deixa a Luz do Céu entrar”



Abraço solar,
Tainan Piantavinha

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

LABIRINTO

Você já brincou com joguinhos de labirinto quando era criança? Se imagine agora dentro de um, você entra por um caminho e não é a saída, vai de novo, de novo e nada de encontrar o caminho certo, aliás, são tantos os caminhos para escolher, mas parece que você sempre volta para o mesmo lugar, o tempo vai passando e o desespero começa a tomar conta do seu coração por não conseguir escolher o caminho certo e atingir seu objetivo, sair do labirinto. Talvez a sua vida esteja assim, parece que todos os caminhos que você busca não são a saída correta, seu coração se enche de expectativa cada vez que alguma “oportunidade” surge e você pensa “agora vai dar certo”, pode ser o desejo de cumprir seu chamado, uma tentativa de emprego, o sonho de ser feliz no amor, a compra de um bem material, decisões na vida profissional, ou qualquer projeto que você pense para sua vida. Até que a ansiedade e a tristeza podem começar a fazer morada dentro do seu coração afinal, você é ser humano e a sua vida parece muito enrolada.



A vida é assim um verdadeiro labirinto para todos, vivemos sempre tentando acerta o caminho, as escolhas rumo à concretização dos nossos objetivos, estão todos em um labirinto e acredite todo mundo já errou, já chorou, e voltou a “estaca zero” em alguma área da vida, pois, somos seres humanos imperfeitos, limitados, não sabemos do dia de amanha muito menos qual o melhor para nossas vidas por isso erramos. Agora, pense que você está no labirinto e só consegue enxerga de baixo, cada caminho por vez, mas, Deus ele está vendo de cima e sabe do caminho certo a escolher, sabe qual caminho é melhor para você e também sabe o porquê de tudo está dando “errado” e você não acha a “saída”.


Calma, ELE está com você, te ama e tem portas e bênçãos para a sua vida, faça o que está em suas mãos, não seja preguiçoso, batalhe pelos seus sonhos, crie estratégias, converse com Deus e abra seu coração.


"Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Mateus 7:7


Não se esqueça você é um filho de Deus e por mais que você não entenda seu pai está trabalhando ao seu favor e até todas as vezes que você errou o caminho e se entristeceu ELE tinha um propósito, não perca a esperança do seu futuro, não jogue a toalha, e quando ficar perdido lembre-se disso:


“Quem é o homem que teme o Senhor? Ele o instruirá no caminho que deve seguir.” Salmos 25:12


Deus te promete instruir o seu caminho se você convidar ELE para a caminhada sendo temente e obediente ore ao Senhor e peça a ele para te guiar, pois, é promessa dele. Então, se as suas escolhas têm dado errado, lembre-se que o seu Pai é perfeito e Fiel e vai te ajudar apenas, confie e esteja pronto a seguir o caminho que ELE apontar.

Presente de Karen Roseno

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 11 de setembro de 2017
Tag :

O que a Bíblia tem a ver com meu comportamento? (PARTE 3)

Quem acompanha os nossos textos sabe que estamos em uma série de textos sobre como as escrituras influenciam no nosso comportamento. Esse entendimento é de fácil assimilação, porém o que muitos de nós as vezes não sabem é a importância de ler a bíblia, ou na verdade, ler de forma sistemática e correta. 


Hoje é o dia do nosso segundo P, Estude com Perspectiva!



Semana retrasada vimos que estudar com Propósito é enxergar que todas as histórias bíblicas tem uma característica de apontar rumo a uma história principal e demonstrar o Reino e Governo de Deus. Vimos também que as histórias na Bíblia são organizadas na forma de uma metanarrativa. 


Muitas vezes muitos de nós vê na Bíblia um livro de auto ajuda, onde abrimos ao acaso e colocamos o dedo em um versículo isolado e acabamos por ter uma revelação. Alto lá! Se você estiver fazendo isso, só pare, ok?


A Bíblia é mais que um “livro bingo” ela foi inspirada por Deus para trazer uma mensagem do próprio Deus para um povo, logo, existe um contexto empregado e que deve ser levado em consideração quando lido. Quando temos essa perspectiva dos escritores originais temos a chamada exegese do texto e esse estudo consegue trazer uma visão muito mais completa e profunda da palavra Divina.


Mas talvez você ainda esteja se preocupando com o termo e falando, “exegese o quê?”, calma existe perguntas fáceis que ajudam na compreensão do texto com base no propósito original com o qual foi escrito. E elas são:


1.Quem escreveu o texto?
2.Quando ele foi escrito?
3.Para quem ele foi escrito?
4.E qual estilo ele foi escrito?
5.Por que ele foi escrito?



Fácil, né? Esse tipo de leitura exige mais tempo do leitor, mas esse investimento causa um efeito mais impactante e importante na nossa vida cristã. No seu livro, “Mulheres da palavra: como estudar a bíblia com a nossa mente e coração”, Wilkin faz uma abordagem profunda sobre cada um dos pontos e não farei de forma semelhante para que vocês comprem esse maravilhoso livro e transforme as suas vidas devocionais!


Falta só mais três P’s, keep calm e inté quinzena que vem!


domingo, 10 de setembro de 2017

Rabiscos de Sábado: Identifique e preencha seus vazios

Vejo, leio e escuto que uma das explicações sobre o descontrole alimentar de pessoas glutonas, pode ser a confusão que elas fazem entre sede e fome. O fato de não terem o habito de tomar água, faz com que toda sensação de vazio estomacal seja visto como fome e, desse modo, além de desidratadas elas se alimentam constantemente, dificultando o processo de digestão e queima de calorias.  Essa métrica de vazios não identificados e, tentativas de preencher o que não é conhecido a fundo, se aplica perfeitamente aos espaços da nossa existência, onde apenas existe o eco das dúvidas, ilusões, frustrações e porquês sem respostas.
“Um profundo suspiro, fez com que reconquistasse a ciência de onde estava e o que devia fazer. Sozinha, era a primeira vez que fazia as compras do mês. Outrora, ir ao supermercado sem companhia era sinal de que tinha algumas “gordices” pra comprar. Gostava de chegar em casa com o iogurte preferido de sua mãe, pois era uma forma de demonstrar amor e cuidado. Hoje, foco e disciplina eram necessários para comprar tudo que uma casa necessitava, com o quase nada de dinheiro que tinha no momento. Verduras e frutas para se sentir saudável. Café hoje, amanhã e sempre. Frios e a massa de tapioca, afinal, não ia fazer arroz e feijão pra uma boca solitária. Produtos para higiene pessoal e limpeza geral, pois tornou-se a dona da casa. Riu, enquanto escolhia o detergente mais em conta: “pia sem pratos sujos é uma cena poética”, pensou com seus botões. Deu ok nos itens da lista improvisada em um papel qualquer. Ensaiou um segundo suspiro, ao pensar que a vida seria mais simples se existisse um lugar onde comprar produtos que preenchessem os vazios da sua existência, todavia outra coisa chamou sua atenção. Promoção! Seu sorvete preferido, estava pela metade do preço. Diante de dias tão amargos, seu paladar merecia esse mimo. Não hesitou e antes de mudar de ideia, partiu para o caixa. Dispensa cheia e coração vazio. Pelo menos, nos próximos dias...”
O dom de ocupar o espaço vazio que cada humano tem, não é parte do “Kit de Utilidades” que homens e mulheres possuem, logo, nem vale à pena crer na idéia de que temos a metade da laranja, como forma de ocupar locais desocupados no secreto de todos nós. Mesmo que religião seja uma palavra que pressupõe a nova ligação entre o homem e seu Senhor, ela por si só não tem como gerar salvação e encontro, pois muitas, através da religiosidade geram mais muralhas do que pontes, entre Cristo e sua noiva. Ideologias condicionam percepções e escolhas, auxiliam no encontro de grupos sociais equiparando pessoas por pontos de vista, mas não ocupam os buracos do “Eu”. Viajar é um investimento na criação de memórias, contudo é no voltar que muitos se depararam com um circulo vicioso que limita a alegria ao ir, e não ao retornar. Trabalhar, para muitos de nós, é uma simples obrigação isolada do prazer de sentir-se útil e realizado. As baladas estão cheias de indivíduos que escolhem o tempo e o momento, para experimentar e vender um contentamento que não passa das redes sociais e likes virtuais. Aquele final de semana na Netflix, que pode virar semanas e meses dependendo do status profissional e emocional da pessoa, alimentado por chocolates e outras guloseimas faz o tempo passar, mas não coloca a vida no lugar. 


Quem nunca tentou preencher sua existência vazia, através de um novo amor, religião e / ou religiosidade, ideologias, viagens, trabalho, baladas, Netflix e chocolate, mas percebeu no fim que nada disso tem o poder real de ocupar as salas vazias de uma alma sedenta por transbordar?! A completude do humano vem do divino e, essa é uma verdade que não tem como ser contestada.  Busquemos em Jesus Cristo a revelação do Pai. Identificaremos de fato o que nos falta, quando lançarmos o nosso olhar para aquele que nunca nos deixou. As aflições sempre surgiram no aqui e agora, mas a ocupação do vazio que gera o desespero diante da dor, não está em nada terreno, limitado e finito. Eu e você precisamos crer, esperar e entregar, pois:

Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.  Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve (Mateus 11: 27-30).

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 9 de setembro de 2017

O tempo e a corrida

O casal caminhava na área de lazer da cidade. Quando ele perguntou se ela conseguiria acompanhá-lo na corrida. Prontamente, ela se esforçou para alcança-lo no ritmo de suas passadas. Poucos minutos depois, ofegante e desapontada, ela parou. Ainda não tinha condicionamento físico suficiente para uma corrida. Precisou sentar, respirar fundo, beber água e recomeçar com uma leve caminhada. 

Cada fase da vida exige um ritmo de nós. Naturalmente, temos o objetivo de nos mantermos saudáveis (plenos e realizados) em todas as áreas de nossas vidas. E para isso, queremos a todo custo CORRER para alcançar esta façanha.

Deus sabe sobre nossa estrutura, condicionamento, nosso tempo e o ritmo adequado para cada etapa. Ás vezes, estamos tão ansiosos pela conquista (profissional, emocional e pelo conhecimento), que não nos damos conta de que AINDA não estamos fortes o suficientes para passos tão largos.

“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento.
Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.
Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão;
Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” (Isaías 40:28-31)

Peculiarmente, Deus disse que até os jovens - no auge do vigor hormonal -, correram e se cansaram. Existe um “time” para cada coisa. Espera. Confie. A sua impaciência não muda o tempo de Deus. Portanto, curta o caminho, não só o destino. Caminhe com Ele. Do contrário, você se fadigará. E terá que começar o exercício novamente. Avancemos com e para alvo: Jesus Cristo.

Beijinhos e Brigadeiros,
Tainan Piantavinha
quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Respirar em Deus

A sociedade com suas inúmeras complexidades e constantes mudanças, nos faz adaptar-nos e sobrevivermos vivendo em quase um mundo paralelo em Deus. Quando nossos olhos estão abertos para nossas carências e medos é muito fácil tentar dar "jeitinhos" para sermos aceitos ou sofrermos menos por sermos os "diferentões".

Mediante a isso escolhas são propostas e a adaptabilidade muitas vezes levam ao erro. Erros estes que podem ser considerados acertos óbvios em nosso convívio e errado é você que achou ser errado entende?

Se adaptar as situações, coisas, pessoas, ambientes etc que entristecem o Espirito Santo que habita em nós, nos trás alegria momentânea porque é legal e divertido para nosso corpo, para nosso ego, mas, e depois? Sempre haverão outras e outras e outras situações para tentarmos suprir uma necessidade que somente Deus pode preencher. Romanos 12:2 fala para não nos conformarmos a este mundo, mas, transformar-nos pela renovação de nossa mente, para que experimentemos a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.


Se você aprendeu que o vazio que há em nós"serumaninhos"é do tamanho de Deus, aprendendo com os erros dos outros, parabéns, ou se assim como eu aprendeu tentando acertar, porém, errou feio, bata aqui. Em ambos casos o amor de Deus continua sendo o mesmo e está de braços abertos para renovar nossa mente, transformar as nossas necessidades e nos deixarmos felizes por ser o ideal, porque quem disse que a maioria é certa? Se fosse assim todos os governos seriam perfeitos por exemplo, entretanto esse é outro assunto é melhor não entrarmos agora, rs.

Sendo prático, até porque simplicidade é a cara de Jesus, se Deus te diz “faz assim meu filho para você não sofrer”, então “faça assim e não assado", como dizem os mais velhos.

Respire fundo, seja feliz, brilhe Jesus e o resto tudo se ajeita .

Presente de Tamires Carvalho Rocha

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 4 de setembro de 2017
Tag :

Notas Sobre Maturidade Cristã



Há semanas atrás, iniciei um devocional disponibilizado por um aplicativo de bíblia para smartphone “You Version” (fica a sugestão para quem quiser. É um aplicativo que vale a pena) de quatorze dias, que tem como título “Devocional Campo de Batalha da Mente”, escrito pela pastora e escritora Joyce Meyer. No quarto dia, a escritora usou como ilustração para o que se pretendia abordar, um diálogo com uma amiga, que dizia ser imatura. A queixa era que mesmo sabendo que deveria fazer o correto, fazia o mal, o qual não se queria fazer, apesar dos vinte anos de
vida cristã. Essa ilustração lembrar uma temática que foi abordada no ministério da igreja que congrego, que foi sobre maturidade.

O estado de maturidade se perpassa por um processo. Imaginamos a maturidade como algo vinculado a “infantilidade”: a forma de agir sem responsabilidades, sempre com desdém daquilo que é importante. Uma pessoa madura seria alguém austero, um adulto já capaz de encarar as dificuldades da vida e de tomar decisões em situações complexas. Contudo, se analisarmos a maturidade enquanto processo, veremos que é uma busca por crescimento, dessa forma compreenderemos a maturidade Cristã.

Quando nos convertemos, ficamos encantados com o amor de Cristo e seus ensinamentos, todavia, os aprendizados adquiridos inicialmente não podem ser o suficiente, precisamos buscar mais. Não podemos tardar a progredir. Temos que buscar alimentos sólidos, pois a batalha espiritual acontece a todo o momento e precisamos nos manter fortes! (Hebreus 5: 11-14). A maturidade cristã está atrelada a esse desenvolvimento; na incorporação do caráter e valores de Cristo.

O alvo do cristão deve ser o de crescer nas coisas da fé. É possível e necessário se discutir sobre o que é maturidade cristã de várias formas e por várias vertentes. Com a ilustração em um devocional de Joyce Meyer, percebi que uma pessoa que reconhece suas falhas e procura acertar e melhorar enquanto pessoa, ela é uma pessoa madura.





domingo, 3 de setembro de 2017

Rabiscos de Sábado: Sozinha eu não consigo

Confesso que nunca gostei dessa música, conhecida entre os Cristãos brasileiros:
Eu preciso de você, você precisa de mim
Nós precisamos de Cristo até o fim
Sem parar, sem cessar, sem vacilar, sem tremer, sem chorar (2x).
Eu Preciso de Você – MPI (Música Popular na Igreja)

Não sei o que me irritava mais: o ritmo, a limitação de uma letra repetitiva ou a coreografia de mãozinhas movendo entre o parar, cessar, vacilar, tremer e chorar. Fato é que toda vez que alguém cantava, eu já revirava os olhos e pensava “de novo, universo?!”... Depois de muito investigar de dentro pra dentro, percebi finalmente o motivo central da minha cisma, incompreensível durante anos: além das questões supracitadas no inicio desse parágrafo, a valorização da ideia de que necessitamos uns dos outros e de Cristo, tema central da letra em questão, era o motivo mais forte para minha resistência.  

Sim, caros leitores, eu não gosto de depender de nada e de ninguém, e super sei que como eu muitos internalizaram a necessidade de “se virar sozinho” em uma sociedade onde a dependência é vista como fraqueza, falta de autonomia e fracasso pessoal. Não tenho dificuldade nenhuma de escutar e compartilhar os problemas e desafios do cotidiano, gosto muito de estar no lado de quem dá assistência, orienta, anima e apoia quem precisa de colo e afago, mas ser o outro lado da moeda, aquele que precisa ser alvo do serviço dos irmãos como manifestação do amor de Deus, realmente é desconfortável pra mim. E quando a circunstância tem relação direta com questões financeiras, movidas por desemprego e imprevistos, o meu incomodo se agiganta dentro de mim e, a frase de impacto “Não quero ser peso pra ninguém” dá mais na minha língua que chuchu na cerca, embora eu nunca tenha visto um pé de chuchu na vida (rs)!


Estava eu, pensando nas minhas vacas super desnutridas e vi o cartoon acima. Nesse momento a vida me deu um “Vraaaaaaa... Toma distraída!”, e ouvi de mim mesma um questionamento super pertinente: quem disse que você vai conseguir resolver seus problemas sozinha, hein queridinha?! Vontade de ser independente não falta, mas no final de todas as tentativas de auto-suficiência, sempre chegaremos à conclusão de que dependemos sim, mesmo, muito, de verdade e totalmente de Deus. Inclusive, podemos considerar que a busca pela independência do Senhor, foi um dos motivos que geraram o pecado original e todas as conseqüências que ele nos causa até hoje.

A dependência é algo que nos apavora, pois exige paciência, confiança e espera; afinal aqueles a quem entregamos nossas petições também têm um tempo e espaço para agirem em nosso favor.  Cá pra nós: se Deus que é o “Todo Poderoso” tem um tempo totalmente diferente do nosso, imagine os humanos em quem confiamos e que também possuem outras prioridades, demandas e os próprios problemas pra resolver...

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia (Grifo meu). Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. (Selá.) Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã. Os gentios se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Selá.) Salmo 46: 1-7

Hoje, mesmo em meio a tantas coisas que me inquietam, quero escolher confiar e aceitar que sozinha eu não consigo colocar minha vida onde e como ela deve estar. Dependo de Deus, Jesus Cristo e do constante consolo que o Espírito Santo, através dos que me amam e tem meu amor, vem semeando em mim. Mesmo preferindo ser a mão que oferece ajuda, aceitarei que esse é o tempo de recebê-la. E você, tem que fazer essa confissão pra si mesmo também?!


Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 2 de setembro de 2017

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons