sábado, 23 de setembro de 2017

A Primavera começou ontem no Hemisfério Sul, e esse clima de flores e frutos nos prepara a passos lentos para o Verão, movimentando nossas emoções e expectativas de que, a qualquer momento uma coisa realmente boa pode acontecer. Aproveitando a poesia dessa estação, nesse e no próximo sábado vamos ter textos interligados na observação do começo e do recomeço, quando falamos do amor romântico entre um homem e uma mulher.  Quem sabe o “Sol da Primavera” trará pra sua vida a oportunidade e um novo tempo para dar os primeiros passos de um amor pra vida inteira?  Esses textos são biblicamente fundamentados em Eclesiastes 3: 1, 2.
“Estava cansada dos “quases” que nunca se concretizam. Decidida e empenhada na reinvenção de si mesma, começou lendo outros livros e assistindo seriados que até ontem não sabia que existiam. Usou a tesoura do desejo de mudar e cortou o cabelo. Fez uma lista das transformações que empreenderia de dentro pra fora. Já não era mais a mesma pessoa. O trabalho novo era cansativo e inspirador. Gostava do salário, rotina e convivência com um universo de pessoas que não sabiam nada sobre seu passado. Buscava todos os dias, um novo desafio para reinventar a rotina. A novidade preferida era mudar o local onde almoçava. E, em mais uma terça-feira qualquer, partiu em uma caminhada ritmada para comer em um local diferente. Entre mordidas e goles, o viu chegar. Conhecia o rosto, mas como não tinha intimidade, limitou-se ao meio sorriso dos que apenas não são estranhos. Voltou sua atenção novamente ao prato que estava a sua frente, quando foi provocada pela presença masculina que com a bandeja em mãos, disse: posso almoçar com você? O desafio de dizer sim, venceu a vontade de proteger-se através do “já comi, pode ficar com a mesa”. Olhou atentamente para aquele homem e pensou: Aconteceu... Começou um possível amor...”
Nesse ano tornei-me uma consumidora ativa de doramas, seriados da Coréia do Sul. Aos poucos, fui entendendo que existe uma multidão de brasileiros que assistem esses produtos que são do outro lado do mundo. Entre os argumentos que justificam a inserção dessa linguagem na rotina dos ocidentais, a forma como o começo das relações amorosas é apresentado se destaca. Quando consumimos seriados brasileiros e norte americanos, por exemplo, até a metade do primeiro episódio já vimos o começo, meio e fim de um amor e, o primeiro beijo mais parece o passo desesperado para uma relação sexual do que, o gesto inicial e concreto de afeto entre um casal.  Já os doramas, em sua maioria com 16 episódios, só trazem o primeiro beijo a partir do 9 ou 10 e, caso a cena seja apresentada antes disso, o publico é presenteado com miudezas românticas que minimizam uma visão de amor associada mais ao erotismo do que a delicadeza. 


Não sei como os homens pensam e sentem o começo de um amor, mas como mulher eu gosto da ideia de um inicio que se faz passo a passo, sabe? Conquistar e/ou deixar-se ser conquistado, não precisa ou deve ser um jogo de quem pode mais. Aprendemos e replicamos modelos de galanteios arrebatadores, mas vazios de sentimentos sinceros. Idealizamos o padrão ideal de corpo, voz, personalidade e conquista assemelhando nossas preferências ao que consumimos midiaticamente, como homem ou mulher ideal.  Querer encontrar alguém que tenha “borogodó” não é um pecado mortal, mas isso apenas não tem o poder de gerar um começo maduro e frutífero para história de dois que ao se encontrarem, decidem investir na empreitada de ser um. 
Eu não sei o quando e onde / Eu te encontrarei /
Mas em cada passo que eu dou / Eu me sinto cada vez mais perto / Meu amor
Carta Escondida – Henrique Cerqueira
Mesmo mantendo os pés no chão, perceber e viver o começo de um relacionamento com leveza e romantismo deve ser maravilhoso.  Evite a queima de fases, pois aqueles que já passaram ou estão passando pelo começo nesse exato momento, dizem que o sabor dos primeiros passos é inesquecível. Vale à pena semear as boas sementes em nós mesmos, permitindo que em meio à rotina que endurece nossos corações e esfria nossa capacidade de amar, sempre exista um espaço para que uma raiz rompa o asfalto e brote em flor no meio do cinza endurecido da nossa vida. E nessa Primavera façamos, vamos amar!

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons