Archive for Outubro 2017

Não repara a bagunça

Imagem inline 1

Não sei se você é mulher, mas se não for já conheceu alguma que fez algo parecido com o que fiz hoje. Cheguei mais cedo no trabalho e fui arrumar minha bolsa. Fui tentando ajeitar pegando as coisas uma por vez mas, não deu muito certo, porque as que permaneceram na bolsa mudaram de lugar, se misturaram mais ainda e eu não sabia mais qual papel já havia aberto ou não. Então despejei tudo em cima da mesa. A minha mesa que antes estava toda arrumada, com o material de trabalho em ordem, agora estava um caos.

Conforme fui selecionando o que jogar fora ou armazená- lo em outro lugar, me veio a palavra que um dia ouvi em algum lugar: "para arrumar é primeiro necessário bagunçar". Com isso passei a lembrar- me de situações que vivi.

Ás vezes achamos que já superamos determinadas situações e seguimos nossas vidas, porém nem sempre isso implica que houve a cura completa, e nem muito menos que perdoamos quem as causou, principalmente se fomos nós os causadores da nossa própria dor.

A situação pode estar bem camuflada, aparentemente insignificante e superada, até que um dia de forma inesperada tocam no assunto e você não consegue nem calar- se e nem falar sobre, sem que aquilo te cause dor ou que fales mal ou de forma inadequada sobre outrem.

Dai vem a vozinha no pé do ouvido dizendo que isso ainda meche contigo. Quer dizer, as vezes damos a falar que não dá para ouvir nem que o estamos falando, que dirá uma voz sábia no ouvido.

O que fazer então? Primeiro é bagunçar tudo por dentro mesmo, e se auto analisar no que ainda te causa dor. Sempre funciona de cara? Não! Mas, pode acontecer. As vezes, outra situação da vida bem diferente daquela que passastes te fará ver isso, ou as vezes uma simples análise resolva, como disse. Uma ajuda psicológica também é muito válida, e sobretudo clamar ao Senhor que te mostre e te ajude.

Depois desse processo difícil e doloroso aquela dor vai passando e você passa a se libertar das cadeias que te prendem, passa a respirar e sua necessidade de "descarregar" reclamando e etc, nem existe mais, ou se existir você consegue resistir a ela.

Acredite, quando você menos esperar já arrumastes tudo na bolsa, ela estará limpa por dentro e por fora e sua mesa prontinha para você começar a trabalhar.

Tamires Rocha

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.


segunda-feira, 30 de outubro de 2017
Tag :

Porque eu NÃO sou feminista!

Na verdade faz vários meses que eu senti a necessidade de escrever esse texto, mas queria ter certeza sobre algumas dúvidas que permeiam o meu coração. Eu cresci ouvindo acerca de ter uma independência financeira, mas ao mesmo tempo sempre fui ensinada sobre a importância do casamento e o papel da família na vida da mulher. Essa vivência infanto-juvenil foi fundamental no meu processo de concepção enquanto mulher.

Em minha grande família pude crescer vendo diversas mulheres fortes que são belos exemplos de feminilidade e domesticidade, sempre pude me prender nisso, mesmo vendo que ao mesmo tempo essas mulheres de alguma forma pareciam injustiçadas pelo labor doméstico ou por uma má escolha de parceiro. Onde estava Deus? Como podem ainda essas mulheres serem submissas a essas situações?

Ao passar dos anos pude ver discussões mais palpáveis sobre direitos femininos, mas nunca cheguei a militar esse tipo de causa. Porém uma coisa me inquietava: por que as pessoas, principalmente mulheres, se transformam tanto ao ingressarem no ensino superior público? A liberdade sexual sempre está atrelada a essas mudanças, discursos cada vez mais egoístas, não existe muito mais o nosso, mas a pauta sou eu, ou melhor dizendo, a classe na qual estou inserida. Não vamos mais nos calar, a mulher tem voz, ela pode ser o que ela quiser. Mas será mesmo?!

Não é difícil entender porque o feminismo ganha mais adeptas todos os dias, é só ligar a televisão no jornal do fim de tarde, teremos dezenas de mulheres mortas ou agredidas por seus companheiros e, na real, alguém precisa fazer algo para mudar a realidade das nossas mulheres. E agora quem poderá nos salvar? “Eu, o feminismo!”.

Fiz uma pesquisa na minha página pessoal do Facebook, onde perguntei o motivo das pessoas se intitularem feministas, as respostas seguiram a mesma linha de pensamento, mas infelizmente o resultado que eu obtive não foi satisfatório, eu esperava mais respostas, talvez de pessoas que realmente leram O segundo sexo de Beauvoir. A maioria das respostas falaram do tal patriarcado e que acreditaram na equidade entre os sexos, teve uma pessoa que citou algo correspondente a realmente se amar através do feminismo por entender o seu papel na sociedade. O meu questionamento para você leitora é: mas se o feminismo é tão paz e amor por que não “posso” ser cristã e feminista? Ou melhor ainda, onde está o problema em buscar um salário equivalente ao de um homem trabalhando a mesma função e em mesmas quantidades de tempo?

A pergunta cerne seria “qual o problema com o feminismo?”. Se você conhecer um pouco das principais difusoras do feminismo e você for uma conhecedora das Escrituras, essa resposta pode ser compreendida com maior facilidade, mas caso não seja, vamos conversar um pouco sobre o feminismo em uma perspectiva histórica e bíblica.

Para conseguirmos um melhor entendimento vou tecer comentários sobre as três ondas do feminismo de uma forma honesta, porém modesta. Existe um pouco de confusão, mesmo porque a dissociação do feminismo entre a Europa e EUA é bem clara inicialmente, depois elas se entrelaçam e os posicionamentos se tornam semelhantes.

Antes de detalharmos a sequência histórica, quero dizer que particularmente acredito que existem vários princípios perigosos no feminismo. O primeiro é o resgate a filosofia humanista onde tira-se a necessidade do homem de um Criador e o torna um personagem central onde os seus anseios e realizações pessoais é o que realmente importa. O que se relaciona muito distante da cosmovisão cristã, ou seja, da forma como a filosofia cristã se relaciona com o mundo e com o indivíduo. Associando aos perigos do feminismo ainda sinalizo a instaurada guerra dos sexos, abandono da legitimidade do casamento, questões pró-aborto, liberalização sexual fora e dentro casamento, questões que nem preciso sinalizar com anti-bíblicas.

Bom, historicamente as mulheres foram inicialmente subjugadas e maltratadas. No ano de 1776, uma mulher não feminista chamada Abigail Adams pediu ao seu esposo para que ele reconhecesse as mulheres civilmente, por ele ser influente na época, mas isso não teve resultados, ela queria direitos civis, pois naquela época a mulher depois de casada perdia a voz socialmente e era tratada como um escravo. Acredito que foi importante esse relato porque mesmo ela não obtendo resultados, vemos que ela lutou por algo legítimo e que não precisa ser feminista para lutar pela sua valorização, mulher.

A primeira onda é caracterizada por lutar por direitos civis, entre eles o voto, luta justa na qual garantiu uma herança maravilhosa para a geração atual de mulheres. Sua principal protagonista foi a Elizabeth Candy Staton, porém além de direitos justos essa onda tem uma nuance que ataca o cristianismo e coloca a igreja em um papel de vilã nas lutas de gênero, propondo inclusive uma reforma no cristianismo.

O grande erro é justamente esse, porque historicamente o protestantismo traz uma valorização do casamento e do papel da mulher na família, a colocando em uma posição de equidade no casamento, “Se o esposo e a esposa falham em amar um ao outro acima de todo o mundo, eles não somente ofenderam um ao outro, mas também desobedeceram a Deus” (Edmund Morgan).

Já a segunda onda é estrelada por dois ícones marcantes, Simone de Beauvoir e Betty Friendan. Elas desenvolveram literatura no mesmo período histórico, Beauvoir com O segundo sexo na Europa e Friendan com A mística feminina nos EUA.

É muito difícil falar de Simone e não falar de Sartre, os dois foram muito influentes com a sua filosofia libertária e ambos afirmavam a importância de um relacionamento fora dos padrões de fidelidade e com uma completa liberdade individual. O seu livro, O segundo sexo, trata a condição subordinada da mulher, na qual, segundo ela, era apenas a sombra de um homem, tratada apenas como um objeto, talvez ela afirmasse isso com tanto vigor porque para Sartre (a quem ela dedicou a vida, mais do que qualquer outra coisa) ela não passava disso.

Em 1953 O segundo sexo foi traduzido para o inglês e chegou aos EUA, mas nesse período as mulheres norte-americanas se preocupavam com questões mais triviais, como o tédio que a dona de casa estava passando nos seus lares. A Mística feminina de Betty, trata a questão do significado feminino, segundo ela, existe um problema que não tem nome, a mulher não se sente plena sem a sua carreira, a vida domestica para ela é um desperdício do potencial feminino, como também, um papel de menor importância em relação ao papel masculino. Ela também foi a cofundadora do grupo de ação política pró-aborto.

Por fim, temos a terceira onda chamada de sexo-radical ou sexo-positivo, geralmente quando uma pessoa vai falar bem do feminismo nunca cita essa onda, mas sim, ela existe e ela vai de encontro a muitos preceitos bíblicos. É na terceira onda que surge a vulgarização feminina, o advento de indústrias pornográficas, além de ser o momento de empoderamento, as chamadas Girls Power ou campanhas como “my body, my rules”. Sensualizam mulheres e as tratam como fêmeas no cio, mulheres são expostas como carne no açougue, na verdade, acredito que aí sim começa a tal da cultura do estupro.

Não, o feminismo não me representa! Sei que existem homens maus que maltratam, mas para isso existem leis e diversas formas de episteme para essa mulher ferida se encontrar e se amar. Só Cristo pode restaurar corações partidos a beira de um poço, como Ele fez a Samaritana sedenta (João 4) que mesmo tendo vários relacionamentos ainda precisava de se amar, ainda precisava de um Salvador.

Porém todas nós precisamos de Cristo, precisamos da sua luz e sua redenção que nos faz livre das mazelas mundanas. Ainda podemos observar que uma característica forte do feminismo é a super valorização da mulher e mesmo tendo funções sociais diferentes, para Deus homens e mulheres possuem igual valor.

Dizendo adeus e me desculpando pela a extensão do texto, um abraço a todas! Manda o link para as amigas feministas cristãs, um beijo e até a próxima,


Referências:
McCulley, C. Feminilidade radical: fé feminina em um mundo feminista. São José dos Campos, SP: Fiel, 2017.
PEACE, M. Mulheres em apuros: soluções bíblicas para os problemas que as mulheres enfrentam. São José dos Campos, SP: Fiel, 2010.
domingo, 29 de outubro de 2017

Rabiscos de Sábado: Irmãos que se tornam amigos

Atenção: esse texto não é essencialmente indicado para filhos únicos (rs)! Ressalva feita podemos começar nosso papo sobre aqueles que pegam suas coisas sem pedir, são inconvenientes quando você leva seus amigos e/ou aquela pessoa especial na sua casa pela primeira vez, rivalizam pra ver quem vai comer a coxa da galinha assada nos almoços de domingo, dividem o espaço e a atenção dos seus pais contigo e as vezes parecem uma pegadinha da vida pra te lembrar sobre a importância de cultivar a paciência no seu jardim. Irmãos... Se você tem, já deve ter vivido momentos em que perguntou ao Senhor o porque de não ter sido a única herança dos seus pais.
Dedique-se a conhecer os seus pais.
É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez.
Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu
passado. E possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar
 no futuro. Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns poucos e bons.
Filtro Solar – Pedro Bial
Mesmo que no cotidiano o relacionamento entre irmãos não seja um “mar de rosas”, ninguém pode negar que eles são um laço forte entre o que fomos e seremos quando pensamento na família. As vivências na mesma casa mostram o melhor e o pior de todos nós, logo, é fácil compreender superficialmente o porquê de muitos irmãos terem relacionamentos nocivos, onde magoas e diferenças são alimentadas constantemente. Eu e minha irmã temos uma diferença etária de 19 anos, fato que contribuiu para que nossa relação seja mais fraterna do que de rivalidades por atenção e espaço, diante dos afetos e cuidados da nossa mãe. Mas isso não quer dizer, que o estilo paz e amor, sempre foi a linguagem do nosso relacionamento. Lembro-me como se fosse ontem, da dor que eu sentia quando ela decidia fazer trancinhas em todo meu cabelo, bem como, creio que ela nunca esquecerá meus ataques de sinceridade em público e da minha insistência em mantê-la acordada, depois do almoço e antes de voltar ao trabalho. Mas, em nosso caso, as memórias positivas e divertidas são infinitamente maiores em quantidade e no valor que dedicamos para cada uma delas.


Fazer uma verdadeira guerra, por causa de situações extremamente simples, como qual o melhor lado pra tirar pedaços do papel higiênico, é um dos tons do relacionamento entre irmãos, mas de modo geral é possível que em cada família os filhos possam ser amigos e cúmplices, inspirando uns aos outros no desenvolvimento de talentos e habilidades. Ciúmes e disputas podem ser transformadas em cooperação e amizade. A Bíblia nos diz muitas coisas sobre amigos que se tornam irmãos, mas fazer com que nossos irmãos sejam mais que parentes e desfrutem do melhor de nós, através da nossa confiança e senso de humor, sempre ativos no palco onde amizades são desenvolvidas, precisa ser uma escolha de fé e ação consciente de que, mesmo havendo individualidades e diferenças, nossos irmãos e irmãs também são alvo do amor descrito em 1 Coríntios 13: 4-7:
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
Não estou fazendo uma apologia sobre uma mudança impossível de ser feita. Compreendo que cada caso tem suas peculiaridades, mas podemos buscar estratégias inspiradas pelo Senhor, a fim de que relacionar-se com a família não seja sempre uma obrigação social e, sim uma escolha racional e cheia de sentimentos e memórias positivas. A palavra nos faz um convite, diante da necessidade de suportarmos e perdoarmos uns aos outros mutuamente, assim como o Senhor nos perdoou (Colossenses 3: 13).  Busque sabedoria por meio da oração, pedindo ao Senhor que as situações que fizeram muros no lugar de pontes, entre você e seus irmãos, sejam transformadas em oportunidades para o plantio do perdão, misericórdia e graça. Quando pensamos em família, antes tarde do que mais tarde ainda... Comece agora e colha entre seus irmãos novos amigos!

                                                                           
Beijos e Queijos,




Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 28 de outubro de 2017

Nada vai me separar de você - Deise Jacinto e Márcio Franks #fridaysong

Sexta-feira é dia de quê? Isso mesmo! De #FridaySong! E essa musica "lomântica" também é linda viu, vem ouvir com a gente! #SoltaosomDJ!


Foi um dia tão bom quando te vi
E percebi que o tempo voava pra perto de ti
Tanta coisa aprendemos, nos ensinamos a viver
E hoje diante de Deus eu quero te prometer

Nem altura, nem profundidade
Nem a distância ou tempo
Me farão desistir do amor que eu tenho por ti
E se fraca ou desanimada eu estiver de repente
Teu sorriso me trará a certeza
Que nunca estaremos a sós
A certeza do amor que Deus tem por nós

Tanto tempo esperei pra celebrar
Esse momento tão lindo
Assim como do amor de Deus
Nada pode me separar de você
E hoje, diante de Deus eu quero te prometer

Nem altura, nem profundidade
Nem a distância ou tempo
Me farão desistir do amor que eu tenho por ti
E se fraca ou desanimada eu estiver de repente
Teu sorriso me trará a certeza
Que nunca estaremos a sós
A certeza do amor que Deus tem por nós





sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Mais mil passos

"E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas." (Mateus 5:41)


Ser obrigado(a) a caminhar a primeira milha não é nem um pouco confortável. Sim, porque se fui obrigada não é porque eu queria fazer aquilo. Dizem historiadores que soldados romanos tinham o direito de obrigar um cidadão e sua família a carregar suas armas e outros fardos por uma distância de mil passos. Você está ali, seguindo sua trajetória e de repetente: "- Ow, para tudo que está fazendo e venha carregar meu peso e seguir o meu caminho".

Eu realmente não acho esta ideia muito amigável. Andar muito para mim não é uma coisa ruim, eu gosto, mas preferencialmente sozinha ou acompanhada de um bom amigo. Andar um monte com alguém que não desejamos é uma grande renúncia. Mas não poucas vezes eu precisei parar minha vida, mudar minha rota para segurar a barra de alguém. E na verdade, quando lembro das vezes que fiz isso, não lembro de ter prejuízos na minha própria estrada.

Só que o desafio agora é bem maior. No contexto de um sermão (aquele da montanha) em que Jesus ensina como deve ser um cristão, Ele começa a derrubar a ideia de vingança. Ele fala de sede de justiça, mas também refaz o conceito de justiça. Não mais olho por olho. "Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau" e começa uma lista de como reagir àqueles que não nos fazem bem - ou que não são tão bons quanto a gente queria. Uma lista à qual nossa carne não tem a mínima predisposição de seguir. Dê a outra face, dê mais do que ele quer de você, ame, não fuja de quem quer tomar emprestado (meus livros, socorrooooo!).

E ainda tem essa de andar a segunda milha. Mil passos. Dois mil passos. Muitos passos. Não é simples por em risco nossos compromissos, planos e prazos para subjugar-se em amor e perdão às necessidades de outras pessoas. Não, não é fácil continuar andando lado a lado.  Afinal já andamos a primeira milha, já cansamos e pelo visto, não adiantou muito. Agora vem mais uma milha inteira. E não adianta correr, tentar apressar as coisas. É para andar, e andar junto. Sem limites de custos - 70x7!

Mas Jesus não ensina nada sem ter Ele mesmo vivido isso. E se quisermos continuar no Caminho, teremos  paradoxalmente que mudar de rota. Alguns vezes, vai ser necessário passar por "Samarias", voltar à sua parentela e até andar pela via dolorosa. Uma, duas milhas...

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. (Lucas 9:23)

Ósculos peregrinos,
Iky Fonseca






quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Cartas Vivas

Conectei-me a uma nova perspectiva de vida e de prioridades. Raiou em mim algo que sou incapaz de nomear. Uma sensação desconhecida até então e uma convicção de que se gerou uma nova vida/história.

Há uma espécie de alegria imensa que se externou demais e nem todos a compreenderam, ainda estou me moldando a realidade. Constantemente ouço "Não parece que de fato você está aqui."

Um júbilo em virtude da tristeza, deparei-me com mortos que apenas vivem. 

O júbilo resplandeceu!

Lembrei-me de uma promessa feita por um amigo que é fiel para cumprir.

"Os corações se alegrarão e ninguém a tirará. A mulher que está para dar a luz, sente tristeza, sua hora de sofrer chegou. Depois de ter a criança nos braços, já não se lembra mais da aflição, só sente prazer. Assim, agora vocês estão tristes mas essa tristeza se converterá em alegria."


Eu apenas cri, e novos sonhos se despertaram, e os mortos foram vivificados. Eu cri e semblantes contristados deram lugar a sorrisos e perspectiva de vida.

Retornei e compartilhei essa experiência missionária. Contei as maravilhas, e pessoas se impactaram com a bondade do Pai; relatei a miséria e a realidade desconfortável de se ouvir e simultaneamente curiosa, e dúvidas foram levantadas a respeito do Seu caráter invariável.

É usual focar no cenário de sofrimento e não glorificar tanto os prodígios. Adaptar atitudes humanas ao caráter divino, denominar efeitos da desigualdade a "vontade de Deus". Referir-se ao seu perfeito amor como condicional e designar uma comunidade a "castigada por Deus."

Sua humildade nos viabiliza a reproduzir seus atos e nos garante confiança para sermos Jesus para alguém, ainda que na condição humana e falha. Na sua simplicidade há a dádiva de evoluir.

Sua doçura e cortesia me revelaram seus sentimentos. Ele chora diante da aflição de suas criações, chora por não o permitirem em todos os lugares. Chora por quem se veste de religiosidade e manipula a cruz para exteriorizar o desejo de condenar.

A cruz valoriza, jamais condena, expressa vida, considera o ser e não o realizar.
Valoriza o santo, o excluído, as más-companhias, a prostituta. 
São os Filhos de Deus que não sabem disso, talvez ouviram que aquele que é amor os rejeitou.



 Lorraine Wolf

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 23 de outubro de 2017
Tag :

Rabiscos de Sábado: Afeto e/ou afinidade?

Jesus é o nosso melhor amigo! Qual Cristão nunca ouviu isso? Desculpo-me, mas não é sobre o melhor de todos que dedico minha escrita de agora. Hoje, e nos próximos três textos, falarei sobre os amigos maltrapilhos, sabe?! Aqueles “velhos de guerra” e que são verdadeiros baús de memórias antigas, aquelas que de alguma forma nos dizem que de fato, a caminhada na fé nos mudou em muitos aspetos.  Também incluo os de agora que nos inspiram e exortam, com amor e dedicação são usados por Deus como as migalhas de uma fábula antiga, que lançadas marcam a direção de volta para o lugar seguro que o Senhor representa.  O que, de alguma forma, separa esses dois grupos de amigos?


As mudanças de ambientes alteram nossas percepções e gostos sobre muitas perspectivas. Comida, vestimenta, música, padrão e escolhas amorosas... Tudo isso pode ser revisto e modificado por nós, através da escolha de ir ou ficar, independente de onde estejamos inseridos.  Convertidos, recém-convertidos ou afastados da vivência nas experiências que a Igreja oportuniza, já vislumbrarão os amigos de ontem e os do agora, sem saber ao certo quem atravessaria cada fase da vida ao seu lado, sendo quase que eternamente o amigo de amanhã. Afeto e afinidade, entendidos e experimentados no desenvolvimento das amizades, representam o equilíbrio ou a porção que faz a balança emocional inclinar para um lado específico. 
AFETO
substantivo masculino
1. sentimento terno de afeição por pessoa ou animal; amizade.
"seu a. por nós era patente"
2. p.met. o objeto dessa afeição.
"seu a. eram as filhas"
AFINIDADE
substantivo feminino
1. vínculo de parentesco originado no casamento; parentesco afim.
2. tendência a combinar-se.
3. coincidência ou semelhança de gostos, interesses, sentimentos etc. [...]
Fonte: https://www.google.com.br ou qualquer Dicionário de Língua Portuguesa

Além da definição cirúrgica, supracitada, interpreto tais pontos de um modo mais peculiar. O afeto me conecta com a memória, cumplicidade, experiências compartilhadas... Aquelas que são como um sapato velho que, sendo calçado, ainda serve pra aquecer os pés, sabe?!  Os amigos de outrora, que em muitas situações tornam-se conhecidos pela ausência de convivência cotidiana, cada um em sua justa medida, tem o meu carinho, pois surgem no palco das lembranças e são alegria renovada em dias, por vezes cinzentos. Em outro lugar emocional, percebo afinidade como a predisposição de manter-se junto a outros que mesmo não sendo iguais, buscam os lugares onde combinações são possíveis, através das semelhanças e interesses em comum. Creio, firmemente, que tais parecenças ou predisposições para conhecer e até gostar do que o outro tanto preza em seu universo particular, são o fermento que facilita o começo de conexões entre indivíduos que, por meio da convivência regular, podem transformar-se em novas e verdadeiras amizades.

Relacionamentos mudam e, muitas vezes, amizades que começam por afinidade sofrem o desgaste do tempo e os ventos da mudança, transformando-se em afetos alimentados de memórias revisitadas e não criadas. Sinceramente, não vejo nisso nenhum problema impossível de ser experimentado com maturidade. Nem sempre é possível viver uma amizade regada com afetos e afinidades, mas é importante que o respeito às individualidades seja um instrumento para que o reencontro com o amigo de ontem, não seja uma repetição de sinais frios e olhares distantes.  Sejamos gratos pelas amizades de outrora, pois elas entre trancos e barrancos nos trouxeram até aqui.  E no agora, saibamos regar nossos relacionamentos fraternos com afinidades e afetos sinceros, compreendendo que tudo pode mudar, mas cada situação vivida entre aqueles que por meio da amizade, nos amam em todos os momentos assemelhando-se a verdadeiros irmãos (Provérbios 17:17), são formas de Deus estar presente e mostrar sua misericórdia por casa um de nós.

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 21 de outubro de 2017

Valeu a pena eheh

Minha mãe é professora. Esta é a semana dela. Ela acabou de aposentar e está feliz  da vida... Eheheheh! Mas a grande recompensa profissional de minha mãe é quando ela reencontra alguém que estudou com ela e que prosseguiu nos estudos, se tornou um bom profissional. Ela chega em casa contando feliz da vida e ainda quer que eu lembre quem era o aluno... 

Semelhante alegria deve ter um médico ao ver seu paciente recuperado, um pedreiro ao ver a casa construída, um chef ao ver seus clientes saciados e satisfeitos. Alegria muito maior, sente o nosso JESUS quando um pecador se arrepende! Conta a Bíblia que rola até festa no céu... Deve ser massa! 

Isso porque Jesus veio à Terra para isso, para perdoar pecados. Sim! Ele veio para ser nosso Salvador (1 Jo 4.14), para cancelar a nossa dívida (Cl 2.14), nos purificando totalmente (1 Jo 1:7)! E cada vez que a tristeza de Deus opera em nós o arrependimento (2 Co 7:10) e nós confessamos os pecados, os jogos de luzes intergalácticos começam a piscar lá em cima com som ao vivo da banda angelical! =D

Reconhecer o que Jesus fez por nós gera em nosso coração desejo de andar em santidade, afinal Ele saiu do céu por causa de nossos pecados, nos perdoou, então nos dá muito mais vontade de nunca mais pecar! Isto é afeição, gratidão e para Ele, recompensa! São seus discípulos aprendendo de fato com o Mestre, é a cura do Médico dos médicos, é a obra do grande construtor em perfeito andamento, é o Pão da Vida saciando o faminto por misericórdia, é a salvação para o perdido!

Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si. (Is 53:11)

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

A ARTE DA ESPERA





"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Eclesiastes 3:1

Ow palavrinha difícil é "esperar" minha gente. Sentir- se na posição de telespectador, não é bom nem enquanto assistimos um filme, que no máximo em poucas horas teremos o resultado, imagine quando são daqueles que tem continuação e você gostou do filme. Que agonia e raiva que dá na hora.

Assim é em nossa vida cotidiana. Sabemos que Deus tem o melhor para nós e que a sua hora não é a nossa (entretanto, sempre será a melhor) é uma coisa. Outra coisa bem diferente e complexa é pôr em prática.

Para as mulheres na TPM estar esperando seu companheiro pode ser até cruel né? Ai surge a brilhante ideia (SQN) de assistir filme romântico para desidratar em frente a Netflix- a Cacau Show, Lacta e Garoto agradecem a preferência ;) . Para os meninos suponho que quando estão numa situação sozinhos, sem nada para fazer, seus amigos saindo com suas crushs ungidas, deve ser meio complicado também.

Mas te digo uma coisa: tem como aprender a esperar. Uuhuuuu... e é ESPERANDO ...ahhhh!

Aceita que é melhor. Porque sentir as consequências de querer dar jeitinho, ou antecipar as coisas, ou entregar a Deus com uma mão e pegar com a outra é mil vezes pior, pelo amor de Deus tu acredite nisso.

Nossa intenção em continuar sendo felizes, todavia com alguém ao lado, não deve sobrepor ao que Deus sonha para nós, porque não vale a pena contentar- se com o que não vem do Senhor.

Isso também não quer dizer que todas as pessoas que passaram por sua vida eram ruins, pode até ser que sim, mas, pode ser também que apenas não eram as pessoas certas para você e você para eles. Isso não os diminui e nem a você.

Então respira fundo, olha para frente, toma posse da benção e confia. É o certo a fazermos. E quando pensar em se abafar, não faça nada!! Melhor gastar dinheiro com chocolate, porque academia resolve, pois certas escolhas causam danos piores e machucam a alma.

Keep calm nosso Pai vive, tudo vai dar certo .


Tamires Rocha


A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 16 de outubro de 2017
Tag :

O que a Bíblia tem a ver com meu comportamento? (PARTE 6)

Como prometido chegamos ao fim de uma série e a sensação é de dever cumprido. Espero que vocês tenham visto os outros textos e o porquê estamos falando sobre estudar sistematicamente a Bíblia na coluna de domingo sobre o comportamento.

O nosso último P é, Estude com Preces!



Esse sem dúvidas foi o menor capitulo do livro da Jen Wilkin, mas tenho plena convicção que foi o mais importante. Justamente porque a prece é a única maneira de conversarmos com Deus e pedir que o Espírito Santo nos ilumine e traga o entendimento das Escrituras aos nossos corações. Se não orarmos o nosso estudo não passa de uma atividade meramente intelectual, como se estivéssemos estudando qualquer outra disciplina da escola ou faculdade.

Estudar as escrituras envolve o nosso aprendizado cognitivo, como qualquer outra atividade, mas o que traz a significância realmente é o quando aprendemos espiritualmente o que a Bíblia nos mostra sobre o Reino e Governo de Deus e como também em nosso comportamento. E esse significado vem a nós através das nossas orações e se manifesta em nós como a busca pelo próprio Deus.

Hoje sou professora da EBD da minha congregação na classe dos juniores e quando peço alguns deles para orarem, nós vemos a dificuldade que eles tem sobre o que falar com Deus e sei que essa dificuldade também é nossa. Wilkin (2015), traz o acróstico CAPA, para nos lembrarmos diariamente sobre os elementos-chave que temos que colocar em nossas preces.
ü Confessar: confesse a Deus as suas falhas;
ü Adorar: glorifique a Deus por quem ele é e pelo que ele tem feito;
ü Pedir: peça a Deus para perdoar os seus pecados e suprir as suas necessidades;
ü Agradecer: dê graças a Deus por quem ele é e pelo que ele tem feito.

Esse acróstico mostra o necessário para orarmos antes, durante e depois de estudar. O livro detalha exatamente como podemos usar o CAPA para melhorar o nosso diálogo com Deus durante o estudo das Escrituras, mas como vocês devem saber não vou detalhar para que vocês leiam o maravilhoso livro: “Mulheres da palavra: como estudar a bíblia com a nossa mente de coração”.

Um beijo e até a próxima,



domingo, 15 de outubro de 2017

Rabiscos de Sábado: Educação não é reciprocidade

Bom dia! Boa tarde! Boa noite! =]

Existem algumas coisas que povoam o imaginário feminino, no que tange os sinais pertinentes ao processo de interesse e conquista; base essencial para os primeiros passos de um relacionamento a dois. Até as mais agrestes,  já se pegaram em suspiros gerados por cenas emblemáticas do cinema ou nas leituras de romances, onde esbarrar em alguém pode gerar uma troca de olhares quase respondida com um “eu também te amo”. Como mulher que sabe quem é e conversa muito com as coleguinhas, reconheço que alguns clichês nunca saem de moda.


A “bagaceira” começa mesmo quando não entendemos que na maioria esmagadora das circunstâncias, educação e reciprocidade não representam uma dupla unida e empenhada no desenvolvimento de relacionamentos amorosos. Dentro dos limites da Igreja a confusão entre esses dois pontos é intensa e, por vezes, o irmãozinho gente boa que oferece carona pela pressão da liderança do Ministério de Jovens, por exemplo, torna-se aos olhos das desavisadas um “Todo Abençoado” que vai ser o motivo principal de nove dos dez jejuns que a irmã romântica vai fazer no mês (Parece exagero, mas acontece muitooo rs).

Encontrei descanso em você
Me arquitetei, me desmontei
Enxerguei verdade em você
Me encaixei, verdade eu dei [...]
Agora eu quero ir - Anavitoria

Existe, em proporções individuais, romantismo e bem querer em cada um de nós. Pensamos muito nas miudezas de uma vida a dois, queremos um reconhecimento no oposto que se torna parte do “Eu” que cada um é. Despertar o amor de quem desejamos amar ou já amamos, de um modo simples e doce, através do desmontar das vaidades e do descanso no que o outro é de verdade, parece visão lírica de quem ainda vê poesia na vida, mas é o desejo mudo de muitos de nós.  Às vezes um simples, “posso almoçar com você” no meio-dia de uma terça-feira qualquer, tira um rosto conhecido da multidão e pinta suas faces com um, “será que não podemos?!”. E como saber se com ele / ela é só uma questão de educação? Vamos ao momento “Dicas da Tacila” (rsrrsrsrsrs)!

1.    Gentileza gera gentileza e não uma confissão do tipo: estou orando por você desde a primeira vez que te vi. Existem pessoas que só são legais e não estão a fim de mim ou de você.
2.   A convivência em uma comunidade de fé, também pode tornar as pessoas mais atentas e sensíveis com os outros. Se você esbarrar com um ser do sexo oposto, sua Bíblia cair no chão e antes de você ir parar lá, a pessoa evitar a tragédia e perguntar se você está bem, isso de modo algum significa que chegou à hora de escolher o modelo de convite do casamento. Não viaja! A vida não é tão obvia como roteiros de comédia romântica.
3.    Quem quer vai, liga, manda mensagem, encontra oportunidade, fala com seus amigos mais próximos, faz sinal de fumaça, manda carta... Enfim: dá um jeito de mostrar interesse. Você até pode tentar puxar o papo, mas se a coisa não fluir, definitivamente não valerá a pena insistir na estratégia de tentativa e erro. Perceba, reconheça e esqueça!
4.  Cuidado com os padrões de perfeição. Tem gente que a ama ser o “Crush de todas (os) nós” e simplesmente não sabe o que e quem quer.
5.   Não se chateie com aquela pessoa que fez você querer reciprocidade e, só foi gente boa contigo. Na maioria das vezes o outro lado do quase, nem sabe das suas intenções. Desencana e segue a vida criatura...
6.   Mas se você percebeu que ao entender suas intenções sentimentais, a pessoa está alimentando o que não tem intenção de viver, trate de fechar a porta entreaberta. Nessas horas é mais que necessário dar uma cortada no fluxo de emoções e esperanças infundadas, fazendo da razão sua melhor amiga. Defenda-se de quem ousar tentar brincar com seu coração e para isso, use seu cérebro! Não esqueça que...
Muito melhor é o homem paciente que o guerreiro, mais vale controlar as emoções e os ímpetos do que conquistar toda uma cidade! Provérbios 16:32

Eu, como mulher, quero mais que um cara educado e gentil comigo e as outras solteiras que convivem com ele na Igreja, trabalho, família e outros lugares.  A disciplina de separar práticas de gentileza e servidão dos lances que mostram que entre todas você é única, representa um ato de inteligência e proteção: misturar alhos e bugalhos nesse cenário, leva qualquer um a tragédia e ruína do cotidiano, diante das expectativas que pareciam tudo e nunca foram nada mais que ilusões unilaterais.


Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.






sábado, 14 de outubro de 2017

Sossego - Deise Jacinto #Fridaysong

Não sei vocês, mas nós amamos as composições feitas pelos adventistas (dá pra ver pelas várias que temos por aqui,rs)! As letras são sempre profundas, com arranjos perfeitos e vozes melodiosas.. E no nosso #fridaysong de hoje, não poderíamos deixar de lado essa canção e essa voz que se não conhecia, temos o prazer de te apresentar, que é tão pura poesia e é tão linda!




Abra a porta e a janela, quero ver o sol entrar
Vem chegando a primavera, descobri no teu olhar
E agora meu amor me escute por favor
Quero ser seu sossego
Um ombro pra deitar
O porto pra voltar
Quero ser seu sossego
Quero esse dia lindo perder sua imagem
Quero estar serena, serena pra lembrar dAquele que um dia nos juntou
Que fez eu esperar pra ver juntos eu, ele e você
Pra sempre
Pra sempre
Vem chegando a primavera, descobri no teu olhar
E agora meu amor me escute por favor
Quero ser seu sossego
Um ombro pra deitar
O porto pra voltar
Quero ser seu sossego
Quero esse dia lindo perder sua imagem
Quero estar serena, serena pra lembrar dAquele que um dia nos juntou
Que fez eu esperar pra ver juntos eu, ele e você
Sossego quando nos faltar coragem
Abra a porta e a janela, quero ver o sol entrar
Sossego quando nos faltar coragem
Abra a porta e a janela, quero ver o sol entrar



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Caminhando, vivendo e... compreendendo

“O que eu faço não o sabes agora, compreendê-lo-ás depois” (Jo 13.7) 
Esse texto nos mostra uma realidade absoluta. Deus sempre está agindo. Mas muitas vezes esquecemos aquilo que Deus tem reservado para nós, e é isso que Jesus está dizendo para Pedro. Em outras palavras ele está dizendo: ‘’Pedro, você não experimentou nada ainda, por isso não entende o que eu faço agora.’’ 

Eu diria que entender que Deus tem propósitos em nossas vidas é fácil, agora entender que esses propósitos são executados de acordo com as circunstâncias em que estamos vivendo não é tão fácil assim. E eu lhe faço uma simples pergunta:

De onde você está agora, você pode enxergar seu futuro? Pois bem, se não, comece a se esforçar para enxergar, pois é neste lugar que você está e de acordo com as circunstâncias, que Deus vai mostrar os propósitos dele para sua vida. 


Entretanto, precisamos confiar e entender que Eclesiastes 3 não é apenas um versículo clichê, que se diz quando um adolescente ou jovem quer namorar (risos). Tudo realmente tem o seu tempo determinado, e o que o Senhor quer é que confiemos nele. Pois mesmo que tudo pareça perdido, sem solução, relaxe. O Senhor não te esqueceu e o melhor, ele nos garante isso em Isaias 41:10: ‘’Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.’’

E você? Tem medo da não compreensão do agora? Fique na paz, e viva um caminho de total dependência do Senhor mesmo não entendendo. Jesus te garante que sua caminhada não está sem rumo ou sem destino, está tudo no controle dele, afinal.. "você compreenderá depois’’. Valeu!


Mateus Cruz

A coluna de segunda, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com.
segunda-feira, 9 de outubro de 2017
Tag :

Leia Devox





Detox. Certo dia, um familiar pronunciou essa palavra e como todo bom curioso, fiquei atento na explicação que ele dava à meu pai, dizendo sobre o que era isto e o porque ele tomava. Aquilo era uma novidade para mim. Essa palavra acabou caindo na boca do povo e virou uma “moda”, com pessoas trocando a alimentação equilibrada pelo detox, na cegueira de que isso as deixaria com um corpo magro.
 Restou-me então pesquisar o que era isso:
Detox: técnica de nutrição funcional que ajuda o organismo e eliminar toxinas e outras substâncias que prejudicam a saúde.

Além disso, o detox é eficiente para quem apresenta quadros de mau funcionamento do organismo, assim também como outros sintomas, insônia e falta de concentração. Indo mais a fundo na pesquisa, pude constatar que o próprio corpo produz “detox”. O fígado é quem faz esse trabalho com o auxílio de insumos provenientes de uma alimentação equilibrada. Ou seja, com uma boa alimentação, o próprio organismo ajuda a eliminar toxinas dentro do corpo. O detox é bom, mas o que importa é a alimentação balanceada e saudável, pois é ela que nos dará a sustância para o dia a dia.
A um tempo atrás eu estive refletindo sobre a importância que a leitura de devocionais tem para o nosso dia a dia, o que me levou a mais recentemente pensar sobre o significado desta palavra. Devocional seria então:
Um período de tempo que um indivíduo separa para se dedicar à Deus por meio de canções, orações, leitura bíblica e/ou de reflexões acerca da palavra de Deus.

Interessante que quando nos referimos a devocional, sempre nos remetemos a estas leituras de reflexões bíblicas. Elas são edificadoras. Percebi que o devocional é um alimento espiritual muito importante. É sempre bom ler um devocional, porque ele nos dará inspirações da parte de Deus, que estará usando a vida do autor (a) para nos abençoar.
O devocional é apenas uma técnica de nutrição. É um suporte a mais. Vai nos ajudar a tirar as toxinas do nosso corpo. É importante ler, todavia, é secundário. O que importa mais é o alimento principal, que é a leitura da palavra. Este alimento por si só, tem o poder de fabricar insumos para eliminar as toxinas do corpo sozinho.
Permita-me fazer um trocadilho e dizer, leia devox, mas se alimente da palavra de Deus. Ela é o nosso alimento principal.




domingo, 8 de outubro de 2017

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

#novembroazul Seja macho e se cuide, man!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons