quinta-feira, 1 de março de 2018

Era um vez um moça muito muito bonita, cabelos negros como noite de lua nova e pele alva como a neve. Morava em uma bela floresta onde não lhe faltavam suprimentos, amor ou qualquer outra coisa necessária para viver - e como era cheia de vida. Mas um dia ela não resistiu e comeu uma maçã que lhe foi oferecida por uma voz astuta e convincente no meio do belo jardim, mesmo já tendo ouvido dos perigos em que isso lhe colocava.


Aquela maçã era deliciosa e fresca, e pareceu difícil conter-se no primeiro pedaço, então saciou-se naquele prazer. Mas foi só a encantadora fruta acabar que começou a amargar sua boca e sua alma. Não demorou muito, a moça morreu e foi posta fora de sua terra natal. Alguns que passavam por ela dizia que ela ainda vivia, afinal ela respirava ainda e até esboçava alguns movimentos, mas quem a conhecia dos primeiros tempos sabia que ela não estava mais ali. Sua voz, sempre em cânticos verdadeiros, emudeceu-se e seu coração tão cheio de amor não palpitava por mais nada. Ela se tornou cinza.

Após inúmeros transeuntes naquele ambiente esquisito, alguém finalmente interessou-se verdadeiramente pela moça caída por ali. Alguém que conseguiu ver sua beleza original por trás daquela feição de morte. Era um jovem extremamente simples, não tinha reinos ou cavalos, chegara montado num jumentinho. Seu olhar, entretanto, tinha toda realeza do amor. Ele conhecia bem todas as histórias e leis que regiam aquele lugar e sabia que só havia um jeito de libertar a jovem da maldição: com dores, Ele tomou o lugar dela.

E a medida que ia assumindo aquela posição de desprezo e vergonha, todos O rejeitavam. Com um forte brado, Ele expirou: "Está consumado!" E a vida dEle entrou nela e ela desejou conhecê-lo. Para sua surpresa e de todos que passavam por aquela região, três dias depois aquele jovem não estava no lugar onde fora colocado. Ela ouviu a sua voz enquanto O procurava! Ele levou-a para uma cidade onde vivia sua imperfeita família, da qual ela passou a fazer parte, e deu-lhe todo o seu amor.

E foram felizes para... Não, pera! Tudo ia muito bem e ela fazia planos para o futuro, até que ouviu uma voz grave e extremamente sedutora soprar-lhe ao ouvido enquanto caminhava distraída. Aquela voz não lhe era estranha, mas não reconheceu o seu dono, apenas encantou-se com a beleza de seus olhos, a elegância de seus modos, a fineza de suas vestes, com as palavras e propostas de uma vida mais regalada, com prazeres, poderes e total independência. As visitas se repetiram e quando se deu conta, a moça estava fugindo com o sedutor príncipe das trevas. Ouviu atrás de si o ruído de pesados portões se fechando, então despertou do seu sono de indolência.

Tarde demais. Estava no domínio das trevas, onde havia choro e ranger de dentes, e deu-se conta que não apenas estava cinza, mas a escuridão completa já dominava seu interior. Só então lembrou-se que ao fugir, a voz de seu verdadeiro amor lhe chamara, repetidas vezes, como pôde estar tão inebriada por suas vontades e não ter dado ouvidos?

Quanto ao amor verdadeiro, Ele encontrou para si uma noiva, simples, sábia e pura, que suportou as fraquezas de sua família, pois essa também suportou as suas, e deu ouvidos à voz dEle. Ela foi adornada para Ele e levada para seu Reino, porque sim, sua simplicidade era apenas um dos trajes de sua majestade incorruptível, e neste novo lugar, finalmente, eles foram felizes para sempre.

Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, Não endureçais os vossos corações, Como na provocação, no dia da tentação no deserto. Onde vossos pais me tentaram, me provaram, E viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos. Assim jurei na minha ira Que não entrarão no meu repouso. Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim. (Hebreus 3:7-14)

Ósculos santos,
Iky Fonseca

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

Jesus Cristo te ama e em breve vai voltar!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons