Archive for Julho 2018

Rabiscos de Sábado: Nem vem que não tem!


Tem certas coisas que desconheço, pois nunca experimentei, mas super me projeto reagindo diante do que vale ou não a pena, quando o assunto é algo relacionado com as coisas do coração. No meio dessas idéias desconexas, penso em combinações que não tinham nada haver e dão certo, bem como, aquelas em que o radar “Vai dar treta” apita e é certeiro como se o meu dom secreto fosse à profecia (😅).

Às vezes quero encontrar e ajudar corações apaixonados a se reconhecerem no meio da multidão das possibilidades, porém o bicho pega mesmo quando de longe ou perto sinto que alguém está se precipitando em uma combinação equivocada ou barganhando o reconhecer das incompatibilidades para o segundo ato de uma relação, quando em nome do gostar de estar perto, algumas questões relevantes são jogadas pra debaixo do tapete.


Um casal é, espiritualmente, a união de propósitos e isso é muito profundo para no fluir de um relacionamento as medições do sim ou não estariam pautadas apenas na atração, adequação de desejos sexuais, pegadas ou comodidades de ter alguém para chamar de seu. Talvez, entender que de fato o homem é a cabeça em um relacionamento e que a submissão de uma mulher está condicionada a equiparação do amor dele ao que Cristo sente pela Igreja (Efésios 5: 25) seja um caminho de solução, mas se na prática rasgarmos a cartilha que entregamos aos outros e abrirmos mão do nosso bom senso, as encrencas crescem proporcionalmente ao passo em que mergulhamos no “Faça o que eu digo. Não o que eu faço.”...
Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e à prudência chama de tua parenta, [...]. Provérbios 7:4
Tudo mundo em algum momento da vida sente na pele o desejo de encontrar a pessoa certa e, sinceramente, não acredito que um (a) qualquer deva preencher esse lugar. Pode ser que amanhã, seja eu a dar um passo errado nessa questão, mas enquanto estou navegando em águas tranquilas, peço a Deus que se uma armadilha aparecer no meu caminho com aparência de “benção pura sem mistura” eu possa enxergar e dizer sem demora: nem vem que não tem! Nem tudo vale à pena, mesmo a alma não sendo pequena... Que Deus nos ajude a nunca esquecermos isso, né?!

Beijos e Queijos,



Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 28 de julho de 2018

Desejo a todas inimiga vida longa

Pra que...♪♫ Não, não tem nada a ver com os objetivos da "filósofa contemporânea". Então já pode parar de cantar a música mentalmente hehehe... e mergulhar comigo nestas reflexões a que o Senhor tem conduzido e das quais ainda tenho tanto a aprender. 

Em nossa "gospelidade" temos por hábito dizer que nosso inimigo é o "cão", e bem verdade é, como está na carta aos Efésios (6.12). Mas também na vida encontramos pessoas que são bem difíceis de lidar, pessoas com natureza muito diversa (ou parecida demais) com a nossa e que são verdadeiras "cruzes", "tratamento". Aqui, vou chamá-las carinhosamente de "inimigas". 

Tempo atrás, estava pensando numa dessas. Esta pessoa, talvez sem se dar conta, não sei, me fez sofrer muito. Sofrer, principalmente, porque me fez perceber minha dificuldade em amá-la, perdoá-la de fato, dificuldade de fazer o bem a ela na mesma medida que a outros, sob o pretexto do risco de ser explorada por aquela personalidade não muito fácil. 

Então percebi, paradoxalmente, o quanto meu "inimigo" me fazia bem. Bem não em ações, mas por ser um instrumento para trazer a tona o mal que há dentro de mim, meu egoísmo, minhas justificativas falhas, rancores de uma justificação e proteção alicerçada em mim mesma. Nada disso teria sido tratado, não fosse meu bom inimigo. 

Para minha (in)felicidade, esta pessoa não era a única da minha lista. E olha Iky lá, de novo, sentindo o Espírito embater contra sua carne. Desta vez, a dificuldade de amar estava (pela fé haha) naquele velho "pé atrás". Algo me diz que não devo confiar, mas que direito eu tenho de não amar alguém? Então Ele me lembrou daquela velha cena: esperando sua morte, seu traidor entre seus amigos. Ele sempre o conheceu, conhecia pensamentos (Lc 6.8; 9.47; 24.38; Mt 12.25). No entanto, o escolheu. No entanto, andou com ele. No entanto, não fez qualquer distinção na hora de distribuir pães e peixes ou cargos de confiança (Jo 12.4-6). No entanto, não deixou de considerá-lo seu amigo. E pouco antes de ser traído ele se curva, lava-lhe os pés como aos outros, senta para comerem e beberem juntos. Ele não só desconfiava, ele sabia profundamente quem seu inimigo era (Mc 14.18). Ele não o odiou, não. Ele não o rejeitou, não o desprezou, não fez menos dele, não o ignorou. Nós queremos tanto nos esconder atrás disso... Nada de "ele lá e eu cá". O amor não ignora, o perdão também não... Mesmo que o grande golpe ainda esteja pela frente.

Ah, que Amor é esse?!?

Quando eu olho para Ele, eu fico sem argumentos. Ele, Ele é o centro de tudo. E por causa dEle escrevo este texto. Porque este amor é o que eu preciso viver. Completa a obra em mim, Senhor. Ajuda-me a amar Judas! 

E se é para revelar que ainda não sou como Você, e preciso ser, "desejo a todas inimiga vida longa"!

Ósculos quebrantados,
Iky Fonseca

Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; (Mateus 5:44)
quinta-feira, 26 de julho de 2018

Rabiscos de Sábado: Entrou? Tem que sair!


Já deve ter acontecido com você...
Esse tipo de incomodo era inconfundível! Revirava na cama, pois ficar de barriga para baixo sempre era um bom remédio para esse tipo de situação. Um suor gelado escorria do seu rosto, mesmo a noite estando fria. Tentava pensar em outras coisas, mas foi vencida pelo “mover estranho” no seu estomago.  Perguntava-se, enquanto relutava para levantar da cama, o que tinha comido para causar esse prenuncio de uma noite agitada? Não fazia sentido algum... Não se lembrava de ter comido nada de tão diferente assim, mas entre uma tentativa e outra de descobrir a causa, sentiu aquela dor aguda que anuncia a incapacidade do corpo de conter por mais tempo: como tudo o que entra sai independente de nossa vontade e/ou entendimento, a noite seria de CAGANEIRA!

Nosso corpo gera frutos relacionados com o que consumimos. Todo mundo come, bebe e até gosta de umas “gordices” de vez em quando. E essas delícias que entram, através da nossa boca são digeridas e saem, completando assim nosso processo digestivo. As fezes são o resultado disso e, quando tudo esta certinho elas saem suavemente, mas quando não, o excesso ou falta delas dizem que a alimentação precisa melhorar.

Jesus respondeu: Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus’. Mateus 4:4
O alimento da nossa vida espiritual é a palavra de Deus! Precisamos degustar com apetite, mastigar bem mastigadinha e, as partes favoritas desse banquete, são os pratos que ficam mais saborosos a cada vez que comemos novamente.  Já sabemos o que os alimentos do corpo físico produzem, mas o que sai de nós quando a Bíblia entra?! Pode ser o amor fraternal que dedicamos uns aos outros, o servir que brota sem esperarmos, percepções amplas e fundamentadas na verdade que a palavra nos revela, misericórdia e graça sem medidas, momentos onde a sensação do primeiro amor é vivida novamente... Enfim: quando consumimos a “palavra que sai da boca de Deus” o resultado é sempre algo novo, pois o Senhor nos usa como caminhos dos efeitos que Ele mesmo gera.

Comer é bom de mais, né?! Consumir a PALAVRA também!

Alimente-se!


Beijos e Queijos,





Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.



sábado, 21 de julho de 2018

Que homem é este?

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que se levantou no mar tão grande tempestade que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. Os discípulos, pois, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Salva-nos, Senhor, que estamos perecendo. Ele lhes respondeu: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Mateus 8:23-27
Refletindo sobre esse texto um dia desses, pensei nas tribulações pelas quais passamos. Semelhantemente aos discípulos que estavam no barco em meio a uma tempestade, somos nós em meio às tribulações que vivenciamos ao longo da nossa caminhada cristã. Nossa vida é como o barco que balança em meio a um mar violento e intempestivo. E nós, como os discípulos, nos amedrontamos diante de tamanha tempestade.

Jesus dorme calmamente em meio aos balanços do barco. Nós corremos para Cristo desesperados e clamamos: "Senhor, salva-nos! Perecemos!" Jesus se levanta e repreende o mar agitado de nossas tribulações, acalma nosso coração, ancora nosso barco da vida e tudo faz-se em grande bonança. Assombrados com tamanha grandiosidade e poder nos perguntamos: "Quem é esse que até os ventos e o mar lhe obedecem?".

É JESUS!

 O texto de Romanos 5.3-4, traz também a seguinte mensagem: "E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança." Através das tribulações nós amadurecemos, crescemos e nos achegamos para mais perto dEle. Em cada uma delas podemos ver o poder de Jesus, a sua grandiosidade e o seu amor. 

Desejo que nessa semana a perseverança, experiência e esperança sejam produzidas em nós,cada vez mais.


Isnaile Barberino.



A coluna de sexta, "Presentes", publica textos de nossos leitores e não expressa necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com. 
sexta-feira, 20 de julho de 2018

O guarda-chuva furtado

Poderia ser um dia normal e foi mesmo, afinal infelizmente é normal eu esquecer minhas coisas por aí. Só que foi tudo muito rápido. Passei no banheiro público para dar aquela ajeitada no visual e coloquei o guarda-chuva na borda da pia enquanto me ajeitava, mudei de espelho e saí sem aquele objeto fofo que ganhei de meu pai. Valor comercial Made in China, valor sentimental Made in Heart. =/

Uns três minutos depois abri meu setor de trabalho e vi uma sombrinha que tinha esquecido lá no expediente anterior (🙈) e lembrei de meu guarda-chuva de estimação. Corri no banheiro, nada. Liguei para outro lugar por onde tinha passado antes, nada. Contei para minhas colegas, visitei algumas salas procurando, olhei os ambientes ao meu redor cheios de pessoas, nada. Enviei mensagem para minha mãe, triste, e ela de lá começou a fazer o mesmo que eu: orar.

Um bom tempo depois, entram duas colegas mais que fofas com o guarda-chuva todo sujo nas mãos. Elas tinham juntas encontrado, bem, bem escondido (não vou ensinar como). Como ele era grande, não dava para esconder na bolsa, então esconderam em um lugar do banheiro muito intencionalmente.

E o que você tem a ver com tudo isso? Essa história é um exemplo real e muito simples de como tudo coopera para nosso bem.Veja a "trama":

1- Se eu não tivesse esquecido a sombrinha na sexta, demoraria de lembrar de meu guarda-chuva e talvez fosse tarde demais pro "resgate";

2 - Se outra pessoa abrisse o setor, eu também não veria;

3 - Se minha colega fofa não passasse por ali no momento, não ouviria minha história;

4 - Essa colega fofa já tinha visto um caso semelhante no passado e por isso suspeitou do esconderijo;

5 - Sem a ajuda da outra colega que também estava por lá, ela não teria conseguido resgatar meu objeto.

Pode parecer simples, mas eu realmente tinha/tenho muito carinho por este presente. E neste dia especialmente, precisava de um carinho de Deus e vi como Deus "encaixa suas peças" muitas vezes para nos ajudar. Entender quando e porquê, aí já é mistério. Talvez, nem tenha sido por causa de meu guarda-chuva, mas só para você ler este texto.

Ósculos de bem,
Iky Fonseca

P.S.: Obrigada pela ajuda, meninas! <3
quinta-feira, 19 de julho de 2018

I’ m back

Hello, guys! Quanto tempo, mas antes tarde do que nunca! Para quem não sabe eu sobrevivi aos primeiros dois meses de casamento, mas parece muito mais, definitivamente o casamento é uma escola diária que só quem passa de ano, são os que aprendem um singelo segredo que espero revela-lo ao fim desse texto. 

Foto: Thalys Henrique

Antes que possam pensar que meu casamento tem sido um fardo ou infeliz, quero dizer que depois da salvação foi a melhor coisa que me aconteceu, porém, caros estou me refazendo e me reconstruindo todos os dias e as vezes isso dói. 

Bom, quero tratar de uma coisa simples nesse texto e na verdade alerta-lo, a motivação correta para o casamento. Acredito que já escrevi algo sobre isso, mas hoje que passo na pele sei que tenho mais convicção daquilo que creio. 

Partindo do pressuposto que somos cristãos, a pergunta, “qual é a motivação para eu me casar?”, não deve ter uma resposta tão difícil assim. O real motivo para todas coisas é e deve ser Cristo e glorifica-lo em todo tempo. Sabendo disso, listarei questões pelas quais não devem ser o motivo principal de um casamento:

  • Dinheiro: ele é a raiz de todos os males, não deixe que nenhuma motivação sua dada por um papel monetário;
  • Amor: ele sozinho não suportaria aguentar as pequenas coisas que nos consome dia a dia;
  • Status: em um mundo tão ligado as redes sociais o que fazemos sempre é exposto. Muitas vezes o medo de ficar sozinho força as pessoas a casarem dada vez mais com aquele que não deveria ser seu cônjuge;
  • Sexo: esse é um grande razão pela qual vários casais cristãos se casam, ou porque não aguentam mais esperar ou porque já cometeram o ato e veem no casamento a principal forma de consertar as coisas. Mas uma coisa garanto essa é uma parte importante da vida de um casal, mas não a principal.

Diante de todos esses pontos talvez a pergunta seja: como saber a hora certa de me casar. Bem, essa pergunta é mais difícil do que parece para ser respondida. Não sei com cada casal Deus trabalha de um jeito, na verdade, os propósitos nas nossas vidas acontecem de maneiras diferentes, ou seja, a cada um Deus dá um tempo diferente, mas apenas saiba glorificar e bendizer o nome dEle em todas as estações da sua vida. 

Com amor e saudade, agora, 

Isabelly Santos Lino 

domingo, 15 de julho de 2018

Rabiscos de Sábado: Somente o necessário


Você é um (a) acumulador (a)?

Sempre me considerei uma pessoa do estilo “menos é mais”, sabe como é?! Seja pela falta de grana para gastar com coisas dispensáveis ou pela prática, constante, de doar os itens que não uso mais, me achava à pessoa mais desapegada do mundo. Mesmo tendo essa visão notei, após umas percepções de fora, que eu andava acumulando sim, mesmo sendo bem abnegada, ainda estava ocupando espaço com itens, roupas, sapatos e memórias que já não me cabem. Nesse movimento de olhar para dentro, Tainan (autora de uns textos bem legais do nosso site) apareceu com uma ideia: fazermos um guarda-roupa cápsula e abrir mão daquilo que já não faz sentido em nosso estilo. Topei e tendo o auxilio de MiHouse (vai que essa marca fica famosa e eu sou a primeira a citá-la 😅), abri minhas gavetas e portas,  busquei coisas que nem sabia que tinha e no ato de desapegar fiquei somente com o necessário, ou seja, menos de 60 peças de roupa. 


Sai de uma bagunça para organização simples e, notei que em tudo podemos ser cada vez mais sustentáveis, focando no que realmente é necessário.  Consumir o sonho dourado de uma vida cheia de sucessos é o excesso que nos limita de dar valor ao que realmente o tem. Estamos presos a algoritmos; sequencias finitas de regras que visam à solução de problemas semelhantes; mas poucas vezes questionamos se esses padrões nos convêm.  Faz tempo que tenho pensado e papeado sobre a simplicidade das pequenas e verdadeiras alegrias, mas esse movimento de reconhecer que eu também precisava desapegar me fez ver que minha fé tem limitações, pois andava esquecida de uma certa parte da verdade que nos faz um com Deus:

Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Mateus 6: 28-30
Sejam roupas, alimentos, projetos e até questões sentimentais, precisamos esperar contra a desesperança, constantemente, pois a criação nos diz que Deus segue sendo bom com todos que nEle confiam e dependem sem ressalvas. Fácil? Não é... Eu sou a mais desconfiada das criaturas e, constantemente, barganho a proporção da minha confiança no Senhor com as probabilidades e estatísticas (difícil, mas contextualizada 😎), mas começando mais uma vez, hoje eu quero crer mais que ontem e assim sucessivamente.

Vamos tentar?!


Beijos e Queijos,




Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.

sábado, 14 de julho de 2018

Alimento


Há certo tempo, um homem foi levado a julgamento por ser acusado de causar baderna e transtorno, tirando a paz de uma sociedade. Encaminhado para as autoridades competentes, ele se defende diante deles e de seus acusadores (que por sinal não tinham nenhuma prova da acusação) e ao ser perguntado, esclarece o motivo das acusações: “estou sendo acusado porque espalho a esperança da vida eterna”. 

Mesmo sendo inocentado, ele opta por se defender diante do imperador e embarca juntamente com os presos a caminho da Itália. Durante o percurso, Paulo, este certo o homem, avista uma tempestade que se aproxima e aconselha aos homens: “vamos ficar por aqui, essa tempestade será enorme”, todavia, o oficial romano confiava mais em quem conduzia o navio do que nas palavras de Paulo. Resultado: a tempestade chegou e instaurou o caos dentro da embarcação, mas Paulo calmamente dá outro recado: “fiquem em paz, ninguém vai morrer, mas vamos perder o navio. Quem me disse isso foi um anjo do senhor. Portanto, tenho coragem e confiem em Deus”. 

Paulo enfrentou uma tempestade enquanto viajava. Alimentado em Deus, confiou à vida nas mãos do Autor da vida. Ele confiou naquele que estava realmente conduzindo o barco. Paulo confiou em Deus.



Há um dito popular que diz; “saco vazio não fique em pé”. Sempre uso ele quando estou com fome e realmente saco vazio não fica em pé. Quando não estamos bem alimentados, ficamos fracos e a probabilidade de cairmos é grande. A vida espiritual é igual, se não temos devox, nosso espírito fica fragilizado. Quando não há alimentação, nosso corpo fica fraco. Quando não temos relacionamento com Deus nosso espírito fica fraco.


Samir
segunda-feira, 9 de julho de 2018

Rabiscos de Sábado: Influenciadores e/ou influenciáveis?


Conviver é um caminho de mudanças, adaptações e novos começos.  Faz um tempo que conversei sobre a diferença entre influenciar e ser influenciada com Jacqueline: uma grande amiga que faz parte dos últimos 14/15 anos da minha existência (espero que você leia esse texto queridinha 😃😉😎). Quando nos conhecemos ela era do “mundo gospel” e eu católica, mas a vida fez muitoooos caminhos que nos levaram para vivências diversas e hoje eu sou “ovelha” e ela mantém uma relação com Deus, independente de vivências em alguma Igreja.

Às vezes em nome da “fé” desenvolvemos atitudes que fortalecem um senso comum que grita: Cristo é massa, mas os cristãos... Credo! Já percebeu como no dia-a-dia, tem vezes que nos esquecemos de como Jesus agia na maioria das situações, sendo manso e humilde de coração (Mateus 11:29) e só nos comportamos da maneira como ele agiu quando expulsou os vendilhões do templo, destruindo tudo ao seu redor (Lucas 19: 45-48)?
E andai em amor, como também Cristo vos amou e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave. Efésios 5:2
Se acreditamos que somos sal e luz no mundo (Mateus 5: 13-14), também é necessário perceber que o ambiente onde estamos pode ser mudado por nós ou nos transformar. É esse o ponto da "minha teoria" gerado nesse bom papo: fazer de conta que podemos viver em uma bolha que nos afasta 100% do mundo é muita ilusão e falta de senso crítico, mas captar o mistério de que os habitantes desse lar e que nele são estrangeiros podem e devem influenciar esse ambiente com sabedoria, ternura e amor, faz toda diferença!


Não sei você, mas eu tento administrar minha inteligência emocional na seguinte medida: em situações onde as pessoas ao meu redor podem ser instrumentos de tretas e desgastes, tenho todo cuidado necessário para proteger-me dessas influências e sem “miserinhas” tento colaborar na medida do possível, mas quando algumas presenças me inspiram a ser melhor, principalmente por perceber que o poder de Deus tem sido aperfeiçoado nas fraquezas desses vasos de honra, busco o bom senso desses sábios imperfeitos que tanto me inspiram nessa caminhada que a vida é!  Não dá pra estar em uma situação e não influenciar ou ser influenciado por ela. Estejamos sempre atentos para proteger ou ofertar aquilo que Deus tem nos dado em abundância...


Beijos e Queijos,





Gratidão ao Guilherme Bandeira, pela liberação do uso de seus cartoons nos meus "Rabiscos de Sábado: Razão x Emoção". Conheça mais deste  trabalho em  https://www.facebook.com/objetosinanimadoscartoon/.
sábado, 7 de julho de 2018

Joelhos ralados

Uma noite dessas estava tendo uma conversa com Deus e, aos prantos, pensava em algumas escolhas que havia feito recentemente, bem como, nas consequências que elas tinham trazido para minha vida. Dor, decepção, arrependimento e feridas. Então me lembrei que quando crianças somos frequentemente alertados para não fazer algo arriscado e, mesmo assim insistimos. 

"Menino não monte nessa bicicleta sem rodinhas, você ainda não sabe andar!"... "Menina, não fique brincando de pega-pega nesse chão molhado você pode escorregar!". Como crianças levadas que somos, fazemos mesmo assim e sempre voltamos para casa com os joelhos ralados e aos prantos. Nossos pais nos pegam no colo, limpam nossas lágrimas e cuidam de nossas feridas.

Ao me lembrar disso, percebi que Deus faz conosco exatamente assim! Nos alerta sobre o perigo de algumas escolhas que erroneamente achamos ser corretas, nos orienta e fala ao nosso coração: "Filho (a), não faça isso", mas agimos como crianças levadas e insistimos. Vamos contra a vontade do Pai e fazemos nossas próprias escolhas, que de modo tolo pensamos ser coerentes e boas. E, frequentemente voltamos para os braços do Pai com nossos joelhos ralados, lágrimas nos olhos, arrependidos e marcados por escolhas que não deveríamos ter feito! 

Nosso Pai, perfeito como é, não aponta nossos erros e nem diz: " Tá vendo ai? Eu avisei!" Ao contrário, Ele nos recebe de braços abertos, enxuga nossas lágrimas, cura nossas feridas e nos dá novas chances, afinal como lemos em Romanos 12:2 “O desejo do nosso Deus é que experimentemos qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade dEle”.
Porque Deus como nosso Pai sempre sabe o que é bom para nós e que nessa noite você decida viver a vontade de Deus em sua plenitude. Que confie nEle de todo seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento. Provérbios 3:15

Que Deus nos abençoe continuamente,

 Isnaile Barberino. 



A coluna de segunda, "Presentes", mudou para sexta, num revezamento com a #fridaysong. Nela publicamos textos de nossos leitores que não expressam necessariamente a opinião deste site. Se também deseja que seu texto seja publicado, envie-nos para o e-mail worksolteiros@gmail.com. 

sexta-feira, 6 de julho de 2018

FELIZ 2018.2!


Chegamos ao meio do ano e tanta coisa já aconteceu. UFAAA! Não desanime. Ainda temos 180 dias até 2019.

Que feliz! Costumo brincar que viver um ano é muito pesado. Dividir em semestres é renovador. Pois bem, o texto de hoje é apenas um lembrete sobre a GRATIDÃO, PLANOS, ESPERANÇA e DISCIPLINA.

Devemos ter GRATIDÃO por tudo que temos vivido. Livramentos, histórias, pessoas, sorrisos, afetos, tristezas, dores, curas, experiências. GRATIDÃO até mesmo pela nossa inconstância. Pois, sem ela, seríamos inflexíveis e imutáveis.


Sabe Deus o que você estabeleceu como meta e ainda não conseguiu (e Ele sabe mesmo. haha) É claro que todos os PLANOS sonhados para este ano ainda não estão concretizados. Porém, com toda certeza fomos surpreendidos com mudanças em nossa rota; novas possibilidades e conquistas.


Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos. (PROV. 16.3)

Assim, que não nos falte ESPERANÇA e DISCIPLINA para seguir neste novo ciclo. Que tal fazer uma pausa profunda, refletir e celebrar por tudo que já passou?! Encher o pulmão de um novo fôlego. Renove-se, e então recomece!

FELIZ 2018.2!

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

Jesus Cristo te ama e em breve vai voltar!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons