Archive for Setembro 2018

Será que tem futuro?

Como saber se a pessoa que estou conhecendo (orando, varoando, ou a nomenclatura que quiser adicionar aqui) é a pessoa certa? 
 Em um congresso que fui recentemente, o pastor (Tiago Mattes, da Igreja RED) disse uma frase que irá nortear tudo que quero dizer hoje pra você:
"Tão importante quanto decidir pra onde eu vou, é decidir com quem eu vou."
A palavra dele fez abrir meus olhos, ao perceber que as pessoas da nossa geração em sua  maioria, se casa por química, aquela coisa de primeira vista que "cega os olhos" e as pessoas insistem em chamar de amor, eu costumo chamar de fogo inapropriado, e como o Pr. Tiago mesmo disse, química não sustenta casamento.
Diferente de tudo que você já viu na blogosfera cristã, o texto de hoje fala daquele antes... O famigerado "pré-namoro".
E vou apontar pra você o que na minha opinião são fontes seguras de que algo de certo está dando certo e papel de trouxa não terás, inclusive nesse link aqui, você encontrará um outro texto que serve como uma excelente continuação. E sem mais belongas, vamos começar!



0- Tenha um relacionamento real com o Senhor:

Antes, muito antes de tudo que você venha fazer. Nosso propósito aqui no work é mostrar pra você que Deus assim como em todas as outras áreas da sua vida, se interessa e muito pela sua vida emocional e pretende ampará-la(o) para que faça a melhor escolha. Lembrem-se que a base de um grande amor é a comunhão na espiritualidade. Não tenha medo de não encontrar a "pessoa certa" pois, você tem um amigo que faz questão em fazer com que os melhores amigos dele se conheçam.
Seja amiga(o) de Jesus!
Estando com isso em mente prossigamos...

1- Se conheça:

Se autodescobrir, saber o que gosta, do que não gosta, do que acredita ou não, seu propósito de vida, seus ministérios, do que te chama atenção, do que te desagrada, de como você criaria seus filhos, se quer ter filhos e quantos, se é mais calmo(a), mais quieto(a), introvertido ou não, seus valores e anseios, suas metas... Quando se tem isso em mente, observar se o(a) pretendente tem condições de ocupar um espaço disputadíssimo no seu coração fica muuuuuuuuito mais fácil. É indispensável que você se conheça a ponto de saber distinguir as qualidades que você admira e defeitos que são toleráveis x os defeitos que inegociáveis.

2- Desapegue-se:

Bem, precisamos ter em mente que tudo começa a ser leve quando a gente aprende a  desencanar de que a  pessoa "precisa" ser a pessoa certa, de que o namoro "precisa" acontecer, de que é "necessário" que termine em casamento. Talvez aqui nesse tópico você se indague "não tem sentido querer investir numa pessoa e não ter como pretensão o casamento" ou "entendo que seja um 'pré-namoro' mas o foco no casamento que vai nos direcionar em investir ou não na pessoa", mas o que eu quero dizer com desapegar é no sentido de que  antes do namoro vem a conquista; e não há o que conquistar nem o que se conhecer quando um dos lados já "nutria sentimentos na base do que construiu do ser amado".
O que acontece com o(a) apegado(a) é perigoso pois, é a carência que vai conduzir o pré-relacionamento, além de trazer uma "cegueira" aos defeitos e uma certa "rebeldia" à liderança. Todo esse apego já demonstra uma imaturidade e uma dependência do outro que precisa ser trabalhada. Amor é decisão, é pensado, é racional. O apego é totalmente emocional e se entregar as emoções e  ao imediatismo, é correr um risco que terá um custo alto. Você tem que lembrar que a sua suficiência e felicidade não pode depender dele(a), e sim do Senhor. É Ele que vai te dar toda a sabedoria, discernimento e percepção pra saber se realmente provém de Deus, por isso é tão necessário seguir os passos 0 e 1.
Não precisa focar no futuro, foque no hoje. Como diz lá no livro de Mateus 6:34, 'já basta cada dia o seu mal', se não estiver funcionando agora, não funcionará no futuro. Cultive esse relacionamento de uma forma saudável. Desta forma, se não terminar em casamento, com certeza terminará em uma bela amizade.

3- Seja você mesmo:

Eu gosto do que sou quando estou com ele(a)? Eu fico com medo do que ele(a) vai pensar se eu me expôr ou expôr minhas opiniões? Eu me sinto bem em conversar sobre qualquer coisa?
Se você respondeu sim, é um ótimo sinal pois, é de grande importância que você seja você mesma(o) e estar confortável ao lado dessa pessoa. A pior coisa que existe é você estar ao lado de uma pessoa em que você precisa medir absolutamente tudo que você fala...Tudo tem que ser leve, sem cobranças, sem dependência, vocês estão só... Se conhecendo. Avalie se esta pessoa faz ou não sentido pra você.

4- Comprometimento real:

Ele(a) faz questão de estar com você, virtualmente e principalmente, na "vida real"?
Não vale mandar mensagens ou ligar dizendo que esta com saudades, falando várias coisas mas, no fundo, não está fazendo nada.
Temos que analisar o esforço que é feito pra que o relacionamento aconteça. Todo mundo tem uma vida acontecendo: Trabalho, amigos, igreja, família, ministério, casa, academia... E em meio a tudo isso, tem que adicionar você, porque na teoria você é importante pra ele(a) agora. É como aquele velho ditado: O interessado dá um jeito. O desinteressado, uma desculpa."

5- Aprendendo com as diferenças:

Depois que já falamos da importância do autoconhecimento no tópico 1... Você já percebeu quais são as diferenças que existem entre vocês? E essas diferenças estão okay pra você?
Por exemplo: Eu sou uma pessoa mais noturna, ele é mais diurna. Eu acordo mais reflexiva, ele acorda mais "bom dia até pra parede". Eu sou mais reservada, ele é mais expansivo. Eu gosto mais de música orquestrada, ele gosta de reggae. Eu sou batista, ele é adventista do 7º dia. Eu tenho chamado para missões mundias, ele não gosta nem de viajar.
Você consegue lidar bem com essas diferenças? Porque se for inegociável, não existe a menor possibilidade de você abrir mão. Não dá pra ferir os seus valores inegociáveis.
Observe sempre os sinais de como ele(a) é.

6- Aprovação de seus pais e líderes:

Bem, esse tópico poderia estar no topo pois, é tão importante quanto orar. Aprenda a ler os ensinamentos de Deus através das palavras de seus pais. Eles enxergam o que a gente não enxerga. Busque da boca dos seus pais a benção do Senhor. Seja submisso(a).
Como minha mãe sempre diz:
 "Quem não ouve cuidado, ouve coitado."



Talvez você que esteja lendo esse texto e não está nem orando, nem namorando, nem vigiando (o que eu acho difícil hahaha), e esteja percebendo que tem amigos(as) que nunca cogitou se relacionar e que se encaixa perfeitamente no perfil tudo de bom que eu falei aqui...Se eu fosse você ao invés de "buscar" na igreja alheia, eu aproveitava a sorte que Deus te dá, porque não sei se você sabe, mas o bom é a gente namorar amigo, rs.
Percebeu que sua varoagem está no caminho certo? Está esperando o quê pra oficializar? rsrsrs
Porém, se está "pré-namorando" e percebeu que não vai vingar... Meu conselho é que termine enquanto existe amizade entre vocês, porque depois, só restarão mágoas.

Certa de que relacionamentos maduros e reais virão,

Natasha Zucolotto.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Bodas de prata

Você me encontrou em meu pior estado. Era ainda tão jovem, achava que sabia de tudo, enquanto via minha vida desmoronar. Você cuidou de mim. Viu que era meu tempo de amores, e me envolveu com a aba de seu manto, e fizeste uma aliança comigo como nenhuma outra. Ela não tinha peso de ouro ou de pedra preciosas, era o leve peso da eternidade. Contudo, também me cobriu de finas joias, de vestes de louvor e coroa de honra. A vergonha do meu pecado, Você cobriu, e me chamou de sua. 

E assim eu fui lhe conhecendo, quanto mais prossegui nisso, mais lhe amei, mais lhe amo. Pude ler a sua história, suas caras de amor, mas pude sobretudo me relacionar com Você, sua casa já era meu coração, onde Você é bem-vindo e quando bate na porta, meu coração te deseja, mas se você se vai, encontram-me perdida na escuridão. 

Porque já não sei viver sem você, mas às vezes o cansaço me toma; descalço meus formosos pés da preparação do evangelho, dispo-me de minha armadura e deito para descansar; sua voz ecoa e tardo demais para corresponder a quem minha alma ama, tardo demais a ponto de ficar distante o olhar que me traz paz. 

Quantas vezes silenciei e não quis conversar, quantos dias como gotejar contínuo repeti os mesmos assuntos, as mesmas orações. Como Você é paciente e benigno! Mesmo quando fui adúltera e lhe troquei por ídolos que deixei crescer em meu coração, quando não contive meus piores desejos, a sua ira esteve sobre mim apenas por um momento, mas a tua misericórdia...

Meu amado, a Você todo o mérito por esta aliança, a Você toda minha gratidão por ter me buscado de volta tantas vezes. Você meu amado, é o mais distinto entre dez mil; seu nome é como unguento derramado, doce perfume que sara meu coração, o seu amor, mais forte que a morte. As muitas águas não podem apagar o nosso amor, nem os rios afogá-lo.

Ósculos de prata,
Iky Fonseca #25anosdeamor

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

O que eu, a Bruna Marquezine e você, temos em comum?

Olááá, como vão vocês do lado daí? Espero que muito bem! 
Essa semana, enquanto assistia alguns stories no instagram, fui incentivada a olhar um em específico que estava bombando e mexendo a internet: Um story feito por nada mais, nada menos que a belíssima (e que sempre foi) Bruna Marquezine que, ao longo dos mini-vídeos  disse, como é importante trabalhar a autoestima, o quão importante é ter empatia pelo outro e como comentários "construtivos" um dia afetaram a autoimagem dela, a ponto dela sentir necessidade de emagrecer e de sentir tão mal pelo que ela estava fazendo com o próprio corpo para perder peso, que entrou em depressão (graças a Deus, fez terapia e passa bem). 



Foi lindo ela dizer que a gente precisa entender que ninguém tem o direito de opinar sem que a outra pessoa peça a sua opinião. Seria o óbvio, o natural. Porém, o que mais me chamou a atenção em tudo isso, não foi só o fato dela se expôr e precisar "ensinar" sobre a importância de pensar naquilo que se  vai dizer, quando, como se dizer e se realmente precisa dizer;  além de mostrar que se a gente que ver o bem do outro a gente primeiro precisa calçar as sandálias do outro e andar uma milha ao seu lado pra entendê-lo de verdade e perceber, que opiniões soltas sem um real acompanhamento, são como palavras soltas, veneno para quem as recebem... Mas no quão quem realmente precisava ouvir aquilo, não entendeu o seu real propósito e no quanto se faz necessário debater sobre isso não só fora como dentro das igrejas.

Tá Natasha, mas aí são pessoas perdidas, nem vão pra igreja, não tem nada a ver com a gente...Tem tudo a ver com a gente. Sabe, essa situação me ensinou muita coisa, e a principal delas é sobre o domínio próprio. A palavra nos alerta diversas vezes que precisamos dominar a nossa língua. 
Em Tiago 3: 7-8 (inclusive, o capítulo inteiro é muito bom), diz que somos capazes de dominar tudo que vive, menos a língua. Os "comentários construtivos" de uma língua não domada, pode tirar a paz e a alegria do outro. A mesma língua que louva ao Senhor, não pode ser a mesma que cria intrigas, fofoca e amaldiçoa.

O domínio próprio nos ajuda a ter sabedoria pra manter a boca fechada quando queremos falar algo que não devemos. Devemos andar no espírito, nos autocontrolar, dominar o que sentimos, conduzir nossas fraquezas ao Senhor. 
Trabalhar nosso domínio próprio, é trabalhar em prol daquilo que fomos chamados a ser : Cada dia mais parecidos com Cristo!
Ter o domínio, é só um dos frutos que você colhe com o Espírito Santo fortalecido em você.

Com ouvidos cada dia mais atentos e boquinha cada dia mais fechada, eu me despeço.

Natasha Zucolotto.
 .
terça-feira, 11 de setembro de 2018

Dê cisão!

O gabarito da prova. A resposta da entrevista. Financiar ou quitar uma dívida. O começo ou fim de relacionamento. O teste de gravidez. Existem momentos que são cruciais em nossas vidas, e sem nos darmos conta, eles são construídos de pequenas e diárias escolhas de PENSAMENTOS e repetições de COMPORTAMENTOS. 
Para os cirurgiões, o momento da incisão, vulgo corte, é determinante para o sucesso da cirurgia. 
Um corte no local inadequado pode impedir que se chegue ao objetivo; uma perfuração realizada de qualquer modo pode dificultar a cicatrização. Igualmente as nossas decisões. 
Cisão significa ainda divisão por falta de acordo; uma dura decisão! 

Provérbios 16: 1-3 nos instrui sobre os momentos em que temos que nos posicionar. 
1. "O coração do homem pode fazer planos"; podemos e devemos refletir o momento em que vivemos e tomar uma decisão, "(...) mas a resposta certa vem dos lábios do Senhor." Também temos que estar dispostos a buscar o desejo de Deus para nossas vidas; essa situação na qual você tem que decidir, ela te aproxima ou te distrai do seu propósito de vida? 
Afinal, 2. "Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o espírito." Não adianta tomar uma série de decisões desconexas com o seu futuro guiando-se por emoções do presente. Diante de todo conflito, 3."Confia ao Senhor as tuas obras, e os teus desígnios os serão estabelecidos." Aquele que é especialista em resoluções de problemas e novos rumos sabe o que é melhor para você. Então, não tenha medo, dê cisão. 

Por Tainan Piantavinha  - colunista quinzenal de quarta-feira no WS.
quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Quem somos?

Jovens que escolheram a santidade para todas as áreas de suas vidas, inclusive para os relacionamentos. Acreditamos que a família é um projeto tão importante que devemos investir nele antes mesmo do namoro e do casamento.

+ lidos da semana

Tecnologia do Blogger.

Jesus Cristo te ama e em breve vai voltar!
Textos e logomarca do Workshop de Solteiros sob Licença Creative Commons Não-comercial 4.0 Internacional . Workshop de Solteiros Blogger - Designed by Johanes Djogan
Licença Creative Commons